©2014 VICE Media LLC

    The VICE Channels

      Como ter um orgasmo sozinha

      March 1, 2013



      Descobri, recentemente, que muitas mulheres adultas nunca tiveram um orgasmo. Isto dá-me vontade de me atirar de um penhasco para cima de uma cama cheia de dildos pontiagudos. Os orgamos são importantes, amigas, é necessário que consigas ter vários ao longo da vida. Sei que pode ser frustrante, mas tens de continuar a tentar: é que o mundo só vale a pena com orgasmos. Nos inícios da minha adolescência, lembro-me que a masturbação era como se fosse o meu TPC. Só sei que ficava imensamente chateada quando as pessoas me diziam como afagar os meus próprios genitais e quando não conseguia atingir o objectivo proposto. O que quero dizer, em suma, é que este foi um processo consciente e esforçado. No fim, consegui ultrapassá-lo e ter sucesso.

      Compreendi que a maioria das dicas que recebia sobre a melhor maneira de me masturbar eram puramente físicas. Mas esse não é o único ingrediente que faz a caçarola do orgasmo. Há certas merdas que podem, por vezes, estragar a diversão. Por isso, vou abordar o problema do orgasmo a partir de um prisma meditativo.



      ESPAÇO PRÓPRIO
      Certo dia, estava eu a conduzir numa rua movimentada durante a hora de ponta, quando percebi que estava prestes a ter um orgasmo (estava-me a masturbar, claro). Essa sensação foi incrível porque recordei o quanto me sentia desconfortável quando me tocava no meu próprio quarto simplesmente porque os meus pais estavam em casa. As revistas femininas recomendam que encontres um sítio isolado, onde te possas sentir à vontade — tipo o chuveiro, por exemplo.

      Mas, na minha opinião, tens de confrontar aquilo que te faz sentir tão envergonhada no acto masturbatório. Costumava ficar preocupada, tinha receio que alguém olhasse para os meus dedos e se apercebesse do muco. Ou que notassem a minha cara corada, bem ao estilo pós-orgasmo. Depois apercebi-me: “Que se lixe. Sou uma pessoa nojenta, tal como o resto do mundo, e se não tiver um orgasmo hoje, vou acabar por matar alguém.” Ninguém vai perceber que te estiveste a masturbar. Ninguém quer saber. Junta-te à festa.



      EXCITAÇÃO
      Tens um clitóris que, supostamente, é o centro do sistema nervoso, da circulação sanguínea e de todas essas coisas mágicas que conduzem ao orgasmo. Então, por que motivo é que, quando o tocas, nada acontece? Será que estás avariada? Não. Não esperes que por estares a afagá-lo algo fixe vá acontecer. Vais ter de relaxar e de começar a pensar em coisas que te fazem sentir bem (ie, excitada). O que te excita? Não sabes? Esta é, geralmente, uma pergunta difícil para as mulheres (certamente por culpa de séculos de opressão, mas nem quero entrar por aí).

      Em suma, fantasiar com amor e com sexo pode requer muito esforço mental. Se calhar, excitas-te com o pensamento de partilhar os mesmos valores e o sentido de existência com outro ser humano. Se calhar, excitas-te com o pensamento de teres filhos e de começares uma nova vida com alguém que amas. Se calhar, excitas-te com violações. Seja o que for, tens de mergulhar nesses pensamentos, livremente, e ter noção de que esses sentimentos são TEUS, privados. E que não tens de ter vergonha.



      DEIXA-TE IR
      Isto é crucial. Há muitas mulheres que estão prestes a ter um orgasmo, mas que param de se tocar nesse momento porque se sentem assustadas, com medo de ter dores. Ou porque a sensação é fantástica. Em todos os passos deste processo, tens de te deixar ir. E o que significa isso? Acho que é uma combinação de: a) parar o tempo num momento de fantasia, b) estar em sintonia com o teu corpo e com os seus impulsos e c) deixares-te ir. O teu corpo é resistente, aguenta o orgasmo. Mesmo que sintas que tens de ir fazer xixi (ou algo do género), deixa-te ir. A pior coisa que pode acontecer é molhares os lençóis, mas depois podes sempre pôr tudo a lavar.

      Isto lembra-me dos meus 15 anos. Eu e o meu namorado estávamos a dar os primeiros passos na “sexualidade activa”. Ainda guardava memórias de andar de fraldas e de curar alergias no rabo. E, não surpreendentemente, quando ele me tirou a roupa interior FOI TUDO DEMASIADO ESTRANHO. É mesmo lixado, mas muita gente tem memórias da infância e nem sequer se apercebe disso.

      O meu maior conselho para ti é que aceites que és um animal humano, estranho e sexual. Podes (e DEVES) ter um orgasmo e não vais morrer por isso. Se quiseres ver pornografia e se te sentes intimidada/aborrecida pelos sites, tenta inspirar-te com o James Deen, Nicole Ray, Ryan Gosling e afins. Eles sabem como tratar as senhoras.

      AGORA:
      Sê livre.

      -

      Temas: orgasmo, nsfw, +18, sexo, orgasmo feminino, masturbação, meter dedos, Ryan Gosling, Kara Crabb, vaginas, masturbar, prazer, arejar

      Comentários