©2014 VICE Media LLC

    The VICE Channels

      A China Está Pagando Pra Tibetanos Não Colocarem Fogo em Si Mesmos

      November 21, 2012

      A autoimolação está se tornando um símbolo da luta do Tibete contra o domínio da China. Isso acontece há anos, mas depois do recente ressurgimento dessa amostra definitiva de desobediência civil, o governo chinês decidiu tentar impedir os tibetanos de se cobrirem de gasolina e acenderem um fósforo, numa tentativa de restaurar a “harmonia social” de uma vez por todas.

      O método colocado em uso foi espalhar uma notícia na área de Kanlho oferecendo R$ 16.000 a delatores dispostos a dedurar os colegas tibetanos que planejam cometer o “crime” de autoimolação. Mas, ao invés de anular esse ato de rebelião, isso acabou levando aos níveis mais altos de suicídio por fogo já registrados, com sete tibetanos tirando suas próprias vidas em apenas uma semana no final de outubro. Surpreendentemente, parece que os oprimidos não estão dispostos a entregar seus amigos e vizinhos por alguns trocados, com as imolações continuando em novembro, incluindo a primeira incidência de imolação tripla.

      Pra saber mais sobre as implicações das táticas chinesas e o futuro do Tibete, falei com Stephanie Brigden da organização Free Tibet.

      VICE: Quando a polícia chinesa começou a colocar esses anúncios, eles queriam fazer parecer que isso era pro bem do povo tibetano. Mas acho que tem mais coisa aí, certo?
      Stephanie Brigden: Colocando em perspectiva, a quantidade de dinheiro que a polícia está oferecendo — 50.000 Yuan —, é algo em torno de um ano de salário, mesmo pra oficiais do governo chinês. Era um esforço óbvio pra transformar os tibetanos em informantes, mas acabou destacando a falha completa da China em entender o que está motivando os protestos. Se essas pessoas estão dispostas a jogar gasolina no corpo e colocar fogo em si mesmas, não é oferecendo dinheiro que vão conseguir acabar com esse desejo de liberdade.

      Essa abordagem parece já estar se mostrando um fracasso.
      Exatamente. A notícia foi divulgada no dia 21 de outubro e uma pessoa do mesmo condado colocou fogo em si mesma no dia seguinte. Dentro de cinco dias, mais quatro tibetanos tinham sido adicionados ao registro (um registro que já chega a sete com incidentes mais recentes). Aquela semana teve o maior número de autoimolações já documentado no Tibete. Se a China achava que podia comprar os tibetanos, eles estavam terrivelmente errados.

      Você acha que o aumento da frequência de suicídios foi uma reação direta a essa notícia?
      Não temos nenhuma prova específica disso, na verdade. Não temos cartas das pessoas que colocaram fogo em si mesmas dizendo: “É isso que eu penso sobre o oferecimento de recompensas pra delatores”. Mas não acho que seja uma simples coincidência que o maior número de autoimolações já documentadas tenha acontecido imediatamente depois que a notícia foi publicada.

      Você acha que existe alguma outra maneira de apaziguar os tibetanos, ou a única maneira é através da —
      Liberdade. Com os tibetanos podendo determinar quem os governa. Provavelmente como muitos cidadãos chineses, os tibetanos não querem ser governados por um bando de homens que não foram eleitos por eles há muito quilômetros de distância em Pequim, mantendo o controle sobre as pessoas através da polícia e dos militares, intimidando e coagindo a população. Acho que o mais interessante é que dois terços dos tibetanos têm menos de 25 anos. Isso significa que eles não conhecem outra realidade que não seja a ocupação chinesa, e mesmo assim eles a rejeitam.

      Eles não se lembram como é viver em liberdade, mas já ouviram histórias sobre isso e continuam lutando. Eles querem viver num país onde possam mostrar sua própria bandeira sem medo de ir parar na cadeia, eles querem ir até uma lan house e não precisar mostrar a identidade simplesmente por causa de sua etnia. Independente de não poderem se lembrar de um Tibete livre, jovens tibetanos continuam absolutamente certos de que um país livre é algo que eles querem e algo pelo que estão dispostos a lutar.

      Depois da autoimolação de Dorje Lungdup em novembro, a presença da polícia passou a ser gigante, com interrupções no sinal da internet e dos celulares. Você acha que o governo chinês está usando esses incidentes como desculpa pra sua presença intrusiva no Tibete?
      Infelizmente acho que a China não precisa de nenhuma desculpa pra aumentar a presença militar. Todo caso de autoimolação é recebido com um influxo imediato de militares e pessoal de segurança. Outros atos de intimidação são perturbadoramente comuns, como oficiais batendo de porta em porta e recolhendo nomes, bloqueios militares, esse tipo de coisa. Acontece em toda cidade e vilarejo do Tibete. Conversamos recentemente com cidadãos chineses que viajaram como turistas pro Tibete e mesmo eles ficaram chocados com a presença militar.

      O que acontece com um potencial autoimolador se ele for pego?
      O Free Tibet documentou 63 autoimolações desde 2009, e sabemos de 15 pessoas que sobreviveram, mas não sabemos onde elas estão e qual é sua situação atualmente. Sabemos que o primeiro monge tibetano que colocou fogo em si mesmo — Tabe — foi detido pelo pessoal da segurança, depois exposto na TV chinesa, onde denunciou suas ações. Ainda não está claro se ele fez isso sob pressão ou não, mas sabemos que ele nunca mais pôde voltar pra casa ou encontrar sua família.

      Nossa. O que aconteceu com os outros sobreviventes?
      Um foi mantido no hospital, sendo constantemente ridicularizado e ofendido pelos médicos como parte do processo disciplinar. Em muitas cidades e vilarejos onde acontecem autoimolações, dezenas e dezenas de tibetanos estão desaparecendo ou sendo presos, independente de terem participado diretamente da ação. Esses indivíduos estão sendo presos e condenados a qualquer coisa entre detenção de seis meses e prisão perpétua, simplesmente por estarem nas proximidades. As autoridades não apresentam provas, e tortura tem sido usada como base pra obter confissões.

      O Dalai Lama disse recentemente que espera algum tipo de mudança quando Xi Jingping subir ao poder. Você acha isso válido ou só otimismo?
      Acho que sua santidade está sublinhando que as coisas simplesmente não podem ficar como estão. É impossível pra China manter o controle sobre o Tibete e achar que podem continuar varrendo os protestos pra debaixo do tapete. A ONU foi pressionada e finalmente fez uma declaração condenando o que está acontecendo no Tibete, com o governo britânico seguindo a ação.

      É, não vejo como isso pode continuar assim.
      A comunidade internacional está cada vez mais preocupada com a ascensão da China. Costumávamos pensar que seria algo como “A Gentil Ascensão da China”, mas acho que agora existe uma preocupação genuína com o papel do país no palco internacional, dadas suas atrocidades contra os direitos humanos. Em questão de dias, uma nova configuração de líderes chineses tomará o poder, comandando muitos milhões de pessoas na China e no Tibete, e essa é uma grande oportunidade de mudança. A China não pode continuar ignorando as exigências dos cidadãos tibetanos e chineses.

      Mais exemplos de grandes países sendo filhos da puta com gente pequena:

      Warias, Venham Brincar

      Exorcismo em Massa no Cairo

      -

      Tópicos: China, Tibete, Autoimolação, Entrevista, Dalai Lama, Stephanie Brigden

      Comentários