Resenhas

By VICE Staff

 
 

SWANS
 

THE DARKNESS
 
   


 
THE DARKNESS
Hot Cakes
Wind-Up

Esta resenha poderia ter um milhão de toques? Sim, mas mesmo assim não conseguiria descrever com precisão a absoluta abominação que é esse disco. O que é que é isso? Quem é que iria querer isso? Você sabe qual é o som disso? Não, não importa, não quero nem entrar nesse assunto. A única forma de esquecer esse lixo é cortar os pulsos com a capinha do CD. E essa porra é complicada de fazer — eu sei por que tentei.

RYAN GOSLING

AGALLOCH
Faustian Echoes
Independente
 

O que as pessoas de bandas como essa fariam se o diabo não existisse? Sobre o que gritariam? O que colocariam nas camisetas? São muitas as questões. O que eu sei é que parece que o cantor dessa banda está sempre engasgando com o próprio cuspe, coisa que é bem difícil de fazer uivando e tocando guitarra ao mesmo tempo. Talvez a habilidade de controlar fluidos corporais enquanto toca música seja uma nova forma de medir um talento. Ou talvez o cantor seja apenas uma vítima de infarto supertalentosa?

DUMB WHOORE

 
 
 
 
 
 
 
FLOW MC
Mixtape Sensaflownal
Casa 1 Produtora /Independente

Sabe aqueles dias que você acorda de ressaca? Muito louco, doidão? Sua roupa tá cheia de… Bom, você sabe o resto. Aí você sai de rolê bem vilão, tromba os moleques de esquina fumando tripa, outros de algazarra com as motocas, geral com funk tocando no celular, e a mulherada passando. Ah, não? AZAR TEU.

ϖK DO BAGULHO

HOLGER
Ilhabela
Independente

Sabe quando você desce de carro para casa de praia do seu pai com seus trutas e as respectivas gatas? Ficaram fazendo rangos loucos e drinks jovens o final de semana inteiro, curtindo os mil discos indies novos que cada um levou nos respectivos iPods? Ah, não? AZAR TEU.

AMANDINHA ALMEIDA

KOKO BEWARE
Something About the Summer
Independente

Quantas bandas dessas tipo Best Coast, Dum Dum e Vivian Girls ainda vão aparecer? Essa pergunta é sincera — quantas? E que tal isso: Por que vocês não pegam um calhambeque e se jogam de um penhasco? Estou cansado de tanto sol e felicidade. Chega! Parem com isso!

FRANKY PEPPERS

 
METÁ METÁ
MetaL MetaL

Desmonta

Você já foi num terreiro? Já foi num show de free jazz? Você já foi punk?

E. PARREI

OS ESTUDANTES
Pedras portuguesas na sua cabeça
Läjä Records
 

Vou falar: estão rolando umas bandas hardcore bem  boas, viu? 2012 é o melhor ano para  hardcore  no  Brasil em muito tempo. Outro disco  resenhado aqui, da mesma  Läjä Records, também atesta isso. Acho que tem dois fatos  importantes para  tentar explicar isso, primeiro aqui: o hardcore enquanto “cena” está em  crise. Então nêgo fica mais solto para fazer um som diferente, sem  querer ficar preso a modinhas de época.

MILLI DIAZ

SWANS
The Seer

Young God

Sabe o que aconteceu enquanto escutava essa coisa linda, barulhenta, obscura e épica de duas horas? Vi um tatuzinho-bola subir do chão até metade da parede e fazer uma pausa dramática antes de cair direto na minha lata de lixo. O cenário só ficaria mais perfeito se eu tivesse arrancado ele de lá e botado fogo nele, mas eu estava muito ocupado batendo cabeça e pensando na morte.

HOT GYNO

OSJANKA NABAY & THE BUBU GANG
Índio En Yay Sah
Luaka Bop

Qual o único jeito de fazer as pessoas pararem de te chamar de “hipster racista” nos blogs delas? Simples, é só virar fã de world music, então acho que é isso que vou fazer. Você pode me encontrar na cabaninha que construí no meio do meu prédio sacudindo os quadris com essa música tão diversa. AAAI!

RYAN GOSLING



 
MERDA
Índio Cocalero
Läjä Records

Você sabia? Este é o segundo disco atestando a tese levantada na resenha do disco d’Os Estudantes, então aqui vai o segundo fator: o povo do hardcore está amadurecendo. Mozine e sua gangue quase anciãos se comparados - se comparados com nada, isso é babaquice, o Merda sempre foi foda, o Moz é imaturo pra caralho e eles só parecem velhos porque bebem demais. E você acabou de ler um cala-boca meu pra mim mesmo em tempo real.

MILLI DIAZ

RODRIGO TAVARES
¡Adiós, Esteban!
Independente

Isso aqui é mais uma das provas definitivas da cooptação das tatuagens pelo lado mais careta da civilização ocidental; ou: se eras tão tatuadão, porque fazias umas musiquinhas tão bunda-mole?!? Talvez a resposta esteja na imprudência da admissão de existência de algo denominado “rock gaúcho” (tem até participação do Humberto Gessinger, o que talvez explique as letras meladas e imbecis), talvez a resposta esteja no cuidado excessivo com o corte de cabelo (e suas consequências sonoras), talvez seja uma mistura de tudo isso, quem sabe? Fica aí o aviso e, por que não, um importante questionamento para a sociedade brasileira como um todo?

MILLI DIAZ



DEEP TIME
S/T
Hardly Art

Quando é que vão criar um método infalível de determinar se a maçã do supermercado é uma farsa ou não? Sabe? Não dá pra saber pela origem, nem pelo brilho, NEM pela ausência de defeitos. Você pode ficar lá parado uma hora com a maçã na sua frente e achar que fez a escolha certa e aí, não, você leva a maldita pra casa, dá uma mordida e sente gosto de caspa. Porra, fruta

 

FECAL NATURE

 
 
 

TATÁ AEROPLANO
Tatá Aeroplano

Independente

Você percebeu que todas as resenhas dessa edição começam com uma pergunta? E que tem muitos, mas muitos pontos de interrogação mesmo em toda essa seção? Você percebe que isso deveria significar muitos, mas muitos questionamentos mesmo? Pois é, e nenhum deles explica o porquê ou pelo menos ameniza meu mau humor de ter escutado esse disco inteiro.

RUI AUGUSTO

LORDS OF ACID
Deep Chills

Metropolis

Como eu estava ouvindo tanto som “industrial rave” com gemidos femininos na vida? Eu culpo a falta de irmãos mais velhos por possuir sete CDs do Lords of Acid quando eu tinha 15 anos. Mas bem, eu não fazia ideia do que eles andavam fazendo desde os meus 17 anos. Eles ainda estão fazendo músicas de trilha sonora do Mortal Kombat com letras sobre “meter” escritas por pessoas que não falam inglês muito bem. Tem uma música aqui chamada “Pop That Tushie” que me faz querer vomitar, e a arte da capa também.

NAZTY CUPZ

NGUZUNGUZU
Warm Pulse
Red Bull Music Academy

Você está pronto? Então feche seus olhos. Imagine-se tirando uma soneca à tarde em cima de um edredom de penas em um quarto limpo e arejado. Você está sonhando, e no sonho você está tentando correr por uma relva macia, mas as folhas não se mexem conforme você passa. Elas ficam amontoadas e quase lutam para afastá-lo. Você por fim se cansa, deita em cima da grama e dorme. Aí você percebe que está dormindo dentro do seu sono, e sonhando dentro do seu sonho. Você acorda na geladeira com um picles enorme na boca e descobre que mijou nas calças.


HOUSE MOUSE
 
 

 

FERGUS & GERONIMO
Funky Was the State of Affairs

Hardly Art

Sabe o que eu faço às vezes, quando estou entediada em casa? Pego uma tesoura, vou até o banheiro e corto toda a minha franja. Isso me faz sentir muito livre, como um pássaro.

LISA BONET’S DIVA CUP

EVEREST CALE
Beast

Independente

Um disco feito por moradores do Brooklyn (NY) sobre vários sentimentos, o oceano, e relógios na parede em contagem regressiva para alguma inevitável e terrível tristeza é clichê? É como queimar sua língua no queijo da pizza. Isso sempre vai acontecer, não interessa e nem adianta espernear. A única diferença entre essas duas comparações é que a pizza de queijo só te dá prisão de ventre se você comer muito. Isso aqui vai te entupir em um 1 minuto.

INDIAN BUMMER

 

Comments