Entretenimento

Um guia para o homem hétero não passar vergonha no Instagram

Explicado por um hétero que sabe do que está falando.
Madalena Maltez
Traduzido por Madalena Maltez
MS
Traduzido por Marina Schnoor
Instagram para homem hétero
Imagens via o autor. 

Todo mundo diz que você não pode fazer do Twitter sua bolha – um canto seguro nessa grande tempestade de merda online – mas é exatamente isso que torna o Instagram tão legal.

Felizmente livre da necessidade constante de ter opiniões, a plataforma do Instagram é pensada para as pessoas postarem coisas que gostam e que acham que outras pessoas podem gostar também. É um espaço positivo confortável, seguro e receptivo. Quer dizer: o site pode distorcer nossa percepção da realidade de alguém com seu corpo, carreira e relacionamentos, mas ainda é muito legal ver uma foto de uma praia bonita ou de uma cerveja gelada num bar no fim da tarde. Fotos de cachorros recentemente adotados e de livros novos não são só para influenciar: elas agradam as áreas de substância negra e tegmental ventral do seu cérebro, que ejaculam a dopamina que todo mundo precisa desesperadamente hoje em dia.

Publicidade

Mas os homens… os homens geralmente mandam mal no Instagram. Sim, essa é uma declaração que continua correta sem as últimas duas palavras – mandamos mal em várias coisas, amaldiçoados por tentar demais e nunca realmente aprender nossa lição, o que resulta num constrangimento persistente em diversos meios – mas o Instagram parece ter um bom potencial para ser um espaço positivo para homens explorarem coisas que os deixam felizes, e que deixam outras pessoas felizes, e seria uma pena perder isso com uma série de selfies onde você ficou parecendo um serial killer e fotos mal iluminadas de uma latinha de cerveja.

Se você está aqui, talvez precise de ajuda para ser menos ruim no aplicativo de fotos que você usa diariamente. Mas não no quesito prático – esses são bem simples (não use filtros, use o recurso de grade e experimente um pouco com exposição antes de postar) – mas o tipo de dica realmente útil e que pode te ajudar a se sentir um pouco menos sozinho neste mundo.

Use selfies com moderação

Sim, muitos homens têm uma relação estranha com o próprio rosto, e o Instagram tem ajudado com isso, mas há um limite: e o limite é duas selfies por mês. O que já é muito. O suficiente para mostrar o desenvolvimento da sua barba ou corte de cabelo novo, mas não o suficiente para seus seguidores verem sua cara flutuando sempre que fecham os olhos. Tenho amigos com rostos que parece que conheço melhor que o meu: vejo cada pinta, mancha e ruga dentro da minha pálpebra antes de dormir. É muito legal que você esteja se curtindo, mas o Instagram é, estranhamente, um meio bastante altruísta: você quer ajudar as pessoas com algo que você fez ou viu. Seu rosto realmente traz alegria para a vida das pessoas? Não sei, talvez traga. Talvez você seja um desses caras com perfeita estrutura óssea, com rosto de estátua grega que realmente melhora o dia de alguém, um bálsamo de bochechas perfeitamente esculpidas para os males da vida. Mas para o resto do pessoal, melhor ir devagar. Não quero conseguir desenhar sua cara de memória.

Além disso …

Publicidade

O que você está fazendo com a sua cara?

Que… que é isso? Com o seu rosto? O bico de pato, olhos arregalados, a postura estranha e tensa. Você tem duas opções em se tratando de selfies: a) o olhar casual com a sobrancelha levantada tão querido dos youtubers de sucesso que você nunca ouviu falar mas têm seis milhões de seguidores, e b) o uso eficiente de acessórios. Acessórios atraem o olhar. Eles mudam o contexto. É por isso que tanta gente tira selfie com cachorros.

Já vi caras de queixo fino abraçarem um dogue e ficarem parecendo um Henry Cavill que só faz exercícios de maxilar na academia. Um fabricante de animais de pelúcia recentemente conduziu uma pesquisa que descobriu que os homens parecem 24% mais sexies quando seguram um filhote. O mesmo estudo mostrou que eles também parecem mais dignos de confiança. Você pode provar literalmente qualquer coisa com ciência pop, mas é verdade que gostamos de pensar nos animais como quase sobrenaturalmente dotados de perceber pessoas com quem você nunca ia querer sentar no bar, latindo sem parar para qualquer um que tenha cheirinho de babaca, então se o cachorro te acha OK, você provavelmente é OK.

Nunca fale nos seus Stories do Instagram

Digo isso do jeito mais simpático possível: cala a boca. Como acabamos sendo uma geração que odeia falar no telefone mas adora o som da própria voz? Aquele negócio que aconteceu no caminho para o trabalho provavelmente era interessante, mas você precisa mesmo usar sua voz (estridente e desigual) pra qualquer coisa? A resposta é não.

Publicidade

Não tenha uma “estética” consciente, por favor

Tenho um certo respeito estranho por quem mantém sua estética pelo resto da vida. Casais emo passeando com o filho na rua aquecem meu coração, até que fico atrás deles na fila do supermercado e percebo, enquanto o cara lentamente puxa a carteira pela corrente, que esses putos compraram todo o queijo manchego. Mas caras com uma estética consciente no Instagram me dão nojo.

Não tem nada mais constrangedor que pensar em alguém com uma página inteiramente monocromática. Imagine a pessoa na cama com a parceira, seu recém-nascido no colo, tirando uma foto desse momento perfeito com os olhos marejados de orgulho, o coração inchando do tamanho de um Nike AF1, o melhor dia da sua vida, só pra devolver o bebê pra ela e ir editar a foto com um filtro branco e preto FN16 35 mm desse milagre da vida, fazer o balanço dos brancos, mexer na granulação e nas sombras, até a foto estar finalmente pronta para ser postada junto com aquela que ele tirou de uma ponte sem atrapalhar o tema geral.

Ter um padrão é ótimo, e ter uma “coisa” é ainda melhor (sei exatamente que páginas querem postar uma coisa específica, seja campos de futebol obscuros, calças interessantes de veludo ou filhotes de poodle antropomorfizados), mas sério, poste a foto que der na telha.

E mais…

Sinceridade pode sim! Só um pouco

Por que os homens têm tanto medo de admitir que realmente gostam de alguma coisa? Curtir camisetas de motocross e referências irônicas ao neonazismo pode funcionar por um tempo, mas quando você vai se aproximando dos 30, é preciso ter mais que isso. Compartilhar seus interesses, coisas que você realmente gosta, é um jeito perfeito de mostrar que você é mais que esse cara que fica brigando na internet e tentando esconder que estudou a vida inteira em escola particular. Postar fotos daquela exposição do Rodin que você queria muito ver, ou talvez uma visão bonita do pôr do sol alaranjado sobre a sua cidade. Pode ser um pouco assustador, sabe, se mostrar assim tão vulnerável. Mas se seus problemas com intimidade realmente não te deixam ficar empolgado mesmo com alguma coisa, o Instagram deixa amenizar o clima dessas fotos colocando um adesivo de uma pizza dançando ou um gif do Xherdan Shaqiri comemorando um gol, o que vai mostrar pra todo mundo que você está só zoando e não se divertiu realmente, nem um pouquinho.

Publicidade

Compre uns lençóis legais e coloque um livro em cima

Isso sempre funciona, bicho.

@SamDiss

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.