Atomwaffen
Noticias

O obscuro fórum neonazista ligado a uma onda de terrorismo

O Ironmarch se vangloriava de sua ligação com grupos terroristas nazis.

O Ironmarch.org não era o tipo de site pra se entrar se você sabia o que era bom pra você. Um fórum cheio de suásticas levava os usuários numa jornada compartilhada de radicalização extrema, e desencadeou uma onda internacional de terrorismo nazista.

Usuários do Ironmarch.org já planejaram entrar atirando num shopping, assassinaram dois homens, tentaram matar um dentista sikh com um facão; foram descobertos com armas ilegais e materiais para fazer bombas, entre outros crimes. Ainda que esses atos de violência tenham acontecido principalmente na América do Norte, o fórum tinha muitos fãs no Reino Unido também.

Publicidade

Um dos administradores do Ironmarch fundou o grupo terrorista nazista britânico National Action (NA), enquanto um infográfico produzido pelo site lista o NA entre seus “grupos afiliados”, sob o título “Membros do Ironmarch na luta fascista global”.

1519919083143-2018-03-01

Um infográfico feito por usuários do Ironmarch implicando sua ligação com grupos terroristas neonazis e de extrema-direita, e encorajando usuários a criar seus próprios grupos.

O site desapareceu em novembro de 2017, depois de relatos de que seu fundador tinha abandonado o projeto. Mas como um dos principais fóruns online defendendo terrorismo neonazista, a corrente política sedenta de sangue que ele ajudou a criar continua muito presente.

Mas mesmo com os pedidos frequentes de violência, o fórum nunca atingiu a mesma notoriedade de dois outros sites neonazis – o Stormfront e o Daily Stormer, que acabaram sob escrutínio intenso depois que uma marcha da alt-right em Charlottesville acabou em violência e com uma contramanifestante morta por um neonazi.

Um dos maiores e mais antigos fóruns neonazistas – e ligado a quase 100 crimes de ódio com mortes segundo um relatório do Southern Poverty Law Center – o Stormfront teve seu domínio apreendido logo depois de Charlottesville. Enquanto isso, o Daily Stormer foi obrigado a mudar seu registro de domínio várias vezes, até eventualmente o perder e ter que registrar vários outros nomes de domínio de vida curta.

1520523086762-Ironmarch-welcome

A seção de “boas-vindas” do Ironmarch dizia que o site era o “Facebook Nazi” e tinha o slogan “Gas the Kikes, Race War Now, 1488 Boots on the Ground!” (1488 se refere às “14 palavras” nazistas e “Heil Hitler” – o “H” sendo a oitava letra do alfabeto.)

O Stormfront sempre foi um site para todos os tipos de neonazistas, enquanto o Daily Stormer agia como uma ponte entre neonazis extremistas e partes da alt-right. O Ironmarch era diferente.

Publicidade

O site começou em 2008 visando ser um fórum online explicitamente fascista. Em vez disso, ele acabou se tornando um fórum do International Third Position Federation (ITPF), um grupo de extrema-direita que emergiu no Reino Unido nos anos 80 cercando o ex-líder do Partido Nacional Britânico (PNB) Nick Griffin. A maioria dos membros iniciais deixou o grupo no final dos anos 90, e em 2008 ele era irrelevante, então ser membro do fórum do ITPF era uma coisa de nicho.

As coisas só começaram a mudar para o Ironmarch quando vários usuários descobriram o trabalho de um homem chamado James Mason.

Mason é um neonazi americano idoso que por um breve período esteve ligado à Igreja de Satanás, antes de se envolver com o Partido Nazista Americano e o National Socialist Liberation Front (NSLF), responsável por três atentados à bomba na área de Los Angeles em 1975.

Mason reverenciava Charles Manson, o serial killer que cortou uma suástica na testa, e morreu em 2017. Manson disse a Mason para começar um grupo neonazista chamado “Ordem Universal”, e que o logo deveria ser uma suástica sobreposta a duas balanças, e foi exatamente o que Mason fez.

1520528735085-test1

Em 1980, Mason começou a publicar uma newsletter chamada SIEGE, que defendia a luta armada e terrorismo, e celebrava serial killers e assassinos em massa. A publicação acabou em 1986 e Mason desapareceu do olhar público, mas suas ideias não.

As newsletter SIEGE foram publicadas num livro, também chamado SIEGE, que foi descoberto por usuários do Ironmarch e rapidamente se tornou um dos textos-chave que o fórum encorajava seus usuários a ler. O Ironmarch descrevia encontrar o livro como um “momento 'Ah há!' para nós”, e chegou a publicar sua própria edição, que teria sido baixada mais de 16 mil vezes.

Publicidade

Em julho de 2017, membros do Atomwaffen Division – um grupo neonazi paramilitar lançado por usuários do Ironmarch nos EUA – usaram o fórum para anunciar que tinham encontrado Mason e iam ajudá-lo a voltar a publicar a newsletter SIEGE. Um banner apareceu no site anunciando “JAMES MASON ESTÁ DE VOLTA”, com um link para uma entrevista com Mason. Um usuário chamado “Rape” disse sobre seu encontro com o neonazi: “A viagem de 1600 quilômetros valeu a pena”. Outro usuário disse que Mason “endossava 100%” o Ironmarch e o Atomwaffen. Desde que encorajaram Mason a retornar às atividades políticas, usuários do Ironmarch fizeram um site para ele e produziram vários vídeos promovendo as visões do neonazista.

Cerca de dois anos depois que os usuários do Ironmarch descobriram o trabalho de Mason, alguns começaram a agir segundo as ideias que ele promovia.

No começo de 2017, quatro membros do Atomwaffen moravam juntos numa propriedade em Tampa, Flórida. Um deles, Devon Arthurs (conhecido como TheWeissewolfe no Ironmarch), se converteu ao Islã e matou dois outros membros, mais tarde dizendo à polícia que eles tinham insultado sua religião. O membro sobrevivente do grupo, Brandon Russell (conhecido como Odin no Ironmarch), foi preso quando a polícia voltou à propriedade e descobriu que o grupo estava estocando armas ilegais e materiais para fazer bombas. Arthurs disse à polícia que Russell planejava jogar explosivos numa usina nuclear, e ele foi sentenciado a cinco anos de cadeia em janeiro de 2018 por posse de material para fazer bombas.

Publicidade

Em fevereiro de 2015, uma gótica norte-americana obcecada por Columbine chamada Lindsay Souvannarath foi para o Canadá visitar dois amigos que conheceu no Tumblr. Os três planejavam ir para um shopping em Halifax no Dia dos Namorados e matar o maior número possível de pessoas com um fuzil, uma espingarda e bombas de gás. Quando Souvannarath chegou ao Canadá ela foi detida pela polícia, mais tarde se assumindo culpada por conspiração para cometer assassinato. O tribunal ouviu que “Souvannarath tinha um interesse preexistente por atentados em escolas e nazismo”.

O nome de usuário de Souvannarath no Ironmarch era With Hate As My Sword. Um dos fundadores do Ironmarch é um fascista russo que usava o nome Alexander Slavros no site. Souvannarath era uma das namoradas da internet de Slavros.

1520531459639-raymond1

No começo de 2018, um neonazi de 17 anos foi acusado de matar os pais da namorada um pouco antes do Natal, depois que eles mandaram ela terminar com ele. O Huffington Post revelou ligações do suposto assassino, Nicholas Giampa, com o Atomwaffen e seu amor pelo SIEGE.

Em janeiro, o corpo de Blaze Bernstein, um gay judeu, foi encontrado na Califórnia, esfaqueado 20 vezes. O suspeito do crime tinha participado de um acampamento de treinamento de três dias organizado pelo Atomwaffen e era membro oficial do grupo. Isso traz o número total de mortes ligadas ao Atomwaffen para pelo menos cinco.

Enquanto isso, outros membros do Ironmarch estavam expressando seu apoio a vários grupos neonazis violentos na Europa, incluindo o Aurora Dourada, cujos simpatizantes mataram o rapper de esquerda Pavlos Fyssas na Grécia e foram ligados a mais de 100 ataques racistas; o paramilitar Azov Battalion, que luta no leste da Ucrânia; e o Movimento de Resistência Nórdica, cujo um membro assassinou o antifa Jimi Karttunen em setembro de 2016.

Publicidade

Vários outros grupos neonazistas e fascistas do mundo também podem ser ligados ao Ironmarch.

Um dos fundadores do agora banido National Action – um jovem fascista britânico de Bognor Regis chamado Benjamin Raymond – foi administrador do Ironmarch. Desde que o NA foi considerado uma organização terrorista, foi revelado que ele tinha feito uma bomba de cano, sugerindo a um amigo que ele queria explodir uma mesquita – o tipo de atividade que os usuários do Ironmarch celebravam e incentivavam.

1520527476913-zack-davies

Muito antes do NA ser proibido, o simpatizante Zack Davies – que usava o nome de usuário Rockerz88 no Ironmarch – tentou matar um dentista sikh com um facão para vingar a morte de Lee Rigby. O National Action negou publicamente qualquer associação com Devies e suas ações.

Outro usuário do Ironmarch e ex-membro do National Action, Ryan Fleming (conhecido como Atlas no site), pegou três anos de prisão em julho de 2017 por fazer sexo com uma garota de 14 anos. Enquanto estava no NA, usuários do Ironmarch ficaram do lado de Fleming quando foi revelado que ele tinha sido condenado por abusar sexualmente de uma adolescente, enquanto o admin e cofundador do NA Raymond foi ao Stormfront defendê-lo.

O Atomwaffen e o National Action dificilmente seriam fundados se o Ironmarch nunca tivesse existido. O SIEGE provavelmente nunca teria se tornado tão popular se o Ironmarch não tivesse lançado sua própria edição e encorajado os usuários a lê-lo. O Ironmarch tinha uma cultura que encorajava terrorismo neonazi, glorificava atos de extrema violência e celebrava os indivíduos que os realizavam. Ele ajudou a criar e depois moldou uma tendência política de extrema-direita onde atos de violência política assassinos são explicitamente encorajados – e aceitos.

@jdpoulter

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram .