Viagem

Mulher diz que tripulação fez 'piada' depois que homem se masturbou do lado dela

Ela até fez um vídeo do cara.
Drew Schwartz
Brooklyn, US
MS
Traduzido por Marina Schnoor
1.8.18
Screenshot via Instagram de Pascolla; foto via usuário do Flickr Alan Wilson.

Atenção: conteúdo sensível sobre assédio sexual.

No meio de um voo de Londres para Chicago no começo do mês, Genevieve Pascolla acordou de um cochilo com uma visão muito escrota. Com o corpo escondido por um cobertor, o homem sentado do lado dela parecia estar se masturbando – e de algum jeito, depois que ela saiu correndo de seu assento para fugir do cara, as coisas só pioraram.

Segundo o BuzzFeed News, Pascolla acordou a mulher do outro lado e contou a um comissário de bordo da United Airlines o que estava acontecendo. Ela escreveu no Instagram que os comissários “confirmaram que ele estava se masturbando em público” e mudaram ela e a outra mulher de lugar. Aí, segundo ela, a tripulação começou a fazer piada sobre o que o cara tinha feito – uma experiência que Pascolla descreveu como “ser atacada”.

“Aí eles começaram a fazer piada sobre a situação, perguntando 'que perfume você está usando' e desculpando o cara por 'ter tomado um pouco de vinho'”, escreveu Pascolla. “Ninguém pediu para ele parar. Ele teve permissão para terminar o que estava fazendo, com uma criança sentada perto.”

Com todo o diálogo global sobre assédio sexual atualmente, era de se pensar que a United faria alguma coisa para chamar a atenção do homem, garantir que Pascolla estivesse bem, e reconhecer a queixa dela – especialmente considerando a reputação deles agora não é exatamente imaculada. Mas segundo Pascolla, não foi o que aconteceu.

Publicidade

Ela disse que um “segurança” a abordou enquanto ela saía do avião e perguntou se ela queria uma desculpa do cara, o que ela recusou. Ela fez uma queixa com a companhia aérea, mas eles demoraram um mês e meio para responder – só para dar uma desculpa meia-boca pelo que chamaram de “situação desconfortável”, e se negar a devolver o dinheiro da passagem.

Numa entrevista para o BuzzFeed, a porta-voz da United Maddie King chamou o suposto caso de “inapropriado e ofensivo”, dizendo que a segurança dos passageiros é a “maior prioridade” da empresa.

“Por isso, nesse caso, nossas clientes foram prontamente mudadas de lugar numa seção diferente do avião, e as autoridades foram chamadas para encontrar o perpetrador quando o avião pousou”, disse King. Não está claro se o homem foi preso.

King disse que a companhia aérea falou com Pascolla no dia do voo para “confirmar seu bem-estar” e ofereceu a ela “uma compensação como gesto de boa vontade”. Pascolla disse ao BuzzFeed News que só foi abordada pela empresa depois de tuitar sobre o que aconteceu, e que a United deu a ela um voucher de 50% do preço da passagem.

Se motores explodindo, janelas rachando, pilotos fumando, comissários agressivos e bagageiros em chamas não fossem o suficiente para se preocupar enquanto você voa, parece que os passageiros têm que acrescentar punheteiros na lista. Difícil acreditar que alguém superou aquele cara que mijou no assento da frente num avião.

Matéria originalmente publicada na VICE Reino Unido.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.