FYI.

This story is over 5 years old.

Ouça "Contra", o novo som do Kamau

Com colagens feitas pelos DJs RM e Erick Jay, o rapper e produtor paulistano dá continuidade ao seu processo de experimentação com beats e poesia, que ele retomou no seu último disco, 'Licença Poética' (2015).

A arte da capa ficou por conta do Kiko Dinucci.

O Licença Poética (Experimentos Pessoais), de 2015, foi um disco importante pro Kamau, porque marcou a sua volta no processo de assanir, além das letras, todas as batidas das suas músicas — coisa que ele não fazia desde 2006, com o Escuta Aí, lançado com o grupo Simples. E o rapper e produtor paulistano resolveu dar continuidade a essas suas experimentações com beats e poesia na sua nova faixa avulsa, "Contra", lançada exclusivamente nesta quinta-feira (24) pelo Noisey.

Publicidade

"Eu queria um beat que encaixasse com o clima da música e, um dia, comecei a experimentar algumas notas com instrumentos virtuais", me disse Kamau por telefone. "Distorci tudo que eu tinha tocado num arpeggiator, coloquei no reverse e sampleei o que tinha feito. Aí tive a ideia do baixo e pedi pro Jhow Produz tocar a linha que tinha pensado."

O Jhow, inclusive, foi o responsável pelos synths, teclado e piano no Licença Poética. Outros caras que participaram do disco que estão em "Contra" também são os DJs RM e o Erick Jay, que, junto com o Kamau, fizeram as colagens e scratchings na faixa. "São colagens simples, mas que casaram muito bem com o som", o rapper explicou. Além disso, foi a primeira vez que ele se sampleou e que ele assina também as colagens de um som seu.

Sobre as rimas, o Kamau meteu o seguinte papo:

"Eu percebo que muitas pessoas são 'do contra' só por serem. Como se elas fizessem força para não gostar de certas coisas, às vezes até antes de mesmo de conhecer ou isso ou aquilo. Sabe aquele personagem da Turma da Mônica, o Do Contra? Sempre vai ter alguém assim."

"Tem também o fato de que hoje em dia. principalmente com essa guerra política no Brasil, se você não concorda comigo, você não é mais meu amigo. Então, algo que poderia ser uma discussão mais construtiva, com argumentos e pontos de vista, acaba ficando vazio e virando só briga. E não só na política. Tipo, tem gente que briga porque um gosta de Eminem e outro gosta de Tupac, sendo que o Eminem gosta de Tupac, sabe? É como se, 'se você não pensa como eu, você é necessariamente meu inimigo', e não precisava ser assim".

"No final da faixa, eu falo sobre respeito, porque as opiniões podem divergir, mas é sempre bom ter o respeito ali para que a convivência possa continuar".

O Lançamento do LO-FI de "Contra" vai rolar na Casa Brasilis nesta quinta-feira (25). Confirme presença no evento aqui.

Siga o Noisey nas redes: Facebook | Twitter | Instagram