FYI.

This story is over 5 years old.

Tecnologia

A pornografia está a ajudar os pandas a voltar para a selva

Acompanhem a história do panda Tao Tao.
21.2.14

No final de 2012, um jovem panda chamado Tao Tao foi libertado na China’s Liziping Nature Reserve. Criado em cativeiro, o panda está agora a ser anunciado como o primeiro caso de um panda criado em cativeiro e introduzido na selva com sucesso. Isto foi possível graças à pornografia para pandas que lhes ensina os mecanismos básicos para acasalar na selva. Precisei de cerca de 100 mil quilómetros, 134 emails e uma mala cheia de equipamento para encontrar pandas para chegar sudoeste da China, mais precisamente à província de Sichuan. A minha intenção passava por falar com o Dr. Huang Yan, o director do mais recente programa de reintrodução de pandas gigantes do país, sobre o objectivo e métodos para recolocar na natureza os pandas nascidos em cativeiro. O material de rastreio que eu tinha ajudou-me a arranjar uma entrevista, caso contrário seria fortemente ignorada pelo departamento de engenharia florestal do país. Composto por unidades de GPS e umas coleiras que emitem sinais, este equipamento foi cedido pela Suzanne Braden, directora da Pandas International, instituição sem fins lucrativos, baseada em Colorado, que se dedica a apoiar e conservar os pandas gigantes em todo o mundo. A World Wildlife Federation estima que sobrem cerca de 1600 pandas gigantes na selva. Sem predadores naturais, os pandas podem culpar a fraca expansão ao comportamento humano. Mas os maiores culpados são os próprios pandas. Quando o novo processo de reintrodução foi levado a cabo, a imprensa apelidou-o de panda boot camp, como se os pandas fossem adolescentes mal comportados no Dr. Phil. O problema é que estes animais têm sérias dificuldades em engravidar. A reintrodução dos pandas no seu habitat natural está em prática há mais 30 anos mas nunca teve sucesso. Três décadas e oito pandas resultaram em precisamente zero histórias de sucesso. Seis foram recapturados na selva devido a preocupações de desnutrição, um desapareceu e está dado como morto, e o último, Xiang Xiang, acabou por ter um final trágico. Em 2006, o panda com cinco anos de idade — por ironia, o seu nome traduzido é “Sorte” – foi solto na natureza. Menos de um ano depois, estava morto. Ninguém sabe ao certo quais foram os seus últimos, mas teorias sugerem que ele foi atacado por um macho em competição durante a época de acasalamento. A perda de Xiang Xiang inspirou o novo programa de reintrodução. O mais recente panda a ser reintroduzido, Tao Tao, foi solto em Outubro de 2012. Um mês depois, Suzanne Braden confirmou que ele ainda estava vivo. Assim, a equipa de Dr. Huang tornou-se na primeira a conseguir reintroduzir com sucesso um panda criado em cativeiro de novo na selva. Encontrei-me com o Dr. Huang no Bifengxia Panda Center na província de Ya’na City, e comecei por receber uma lição sobre as dificuldades de engravidar os pandas. “Os pandas gigantes fêmeas têm o cio uma vez por ano, na Primavera, e esse período dura apenas entre duas a três semanas.” Dentro desse período são férteis durante 24 horas. É algo cruel para os pandas que precisam de agarrar todas as oportunidades de uma possível procriação com sucesso. Sendo assim não é nenhuma surpresa que os nossos amigos pretos e brancos precisem de alguma ajuda para que a coisa aconteça. Se falarmos de pandas em cativeiro, que tradicionalmente têm um desejo sexual ainda mais baixo do que os seus rivais selvagens. Foi com base nisto que se deu o primeiro passo para um programa de reintrodução com a ajuda da tecnologia para uma motivação extra. Uma observação cuidadosa e testes hormonais serviram para perceber quando instintos naturais falariam mais alto. Resumidamente, os pandas precisavam de não estragar a sua hipótese anual de acasalar. Para fazer isso, cientistas tentaram usar técnicas pouco ortodoxas, incluindo exercícios de treino físico para os ajudar a fortalecer a traseira, empurrando os músculos dos pandas machos e mostrando-lhes pornografia para pandas. Eles chegaram e experimentar  Viagra em pandas, mas acabou por não servir de muito. Numa estranha inversão de papéis, parecia que os cientistas estavam simplesmente a usar tecnologia e medicina feita para humanos em pandas, tornando-nos os ratos de laboratório para uma sociedade mais saudável. Quando utilizada, a pornografia não era para ajudar os pandas a entrar no clima, mas sim, como explica Braden “para lhes mostrar como se faz”. Os próprios filmes continham filmagens de pandas em cativeiro a acasalar. Os especialistas dizem que é ao som que os pandas podem inicialmente responder, o tipo de grunhido baixo e repetitivo que se pode esperar ouvir dum urso de peluche a acasalar. Provavelmente também é importante notar, para quem vê de fora, todos os pandas parecem idênticos, o que levanta a questão: Quão excitado ficavas a ver um vídeo de ti a fazer sexo contigo próprio? Para acrescentar a isso, o porno em questão tinha poucos ângulos e zero HD, mas é reconhecidamente melhor do que qualquer outra coisa que os pandas pudessem ter inventado sozinhos. Quando o Dr. Huang e a sua equipa finalmente conseguiram ter uma panda grávida, a coisa tornou-se importante. A mãe foi rapidamente enviada a sede da China’s Giant Panda em Bifengxia Wolong. No entanto, estar grávida não é o único requisito para entrar no programa de reintrodução. O Dr. Huang explicou: “as mães que têm experiencia a viver na selva e aqueles que têm uma história de sucesso na criação de filhos são os melhores candidatos para a criação de um novo filho selvagem. Se eles encontrarem esses critérios, as mães grávidas são colocadas num gabinete selvagem de um hectare, protegido do exterior, de outros pandas machos e de todos os outros predadores”. No momento do nascimento, começa a reintrodução. Mal o Tao Tao passou logo a viver num ambiente semi-selvagem. O Dr. Huang disse-me que “a introdução desde cedo era um dos primeiros focos do novo programa”. A seguir procurava-se a interacção com humanos, ou falta dela. Era severamente limitado e sempre que era preciso os treinadores iam vestidos de panda para o Tao Tao não perder o medo natural a espécies que não são pandas, humanas ou outras. Foram ensinados a estes pandas algumas aptidões de sobrevivência, por exemplo, como procurar comida. Isso aconteceu pela iniciativa da própria mãe do jovem panda, que tinha experiência a viver na natureza. Após seis meses, o espaço de Tao Tao foi aumentado em dez hectares. Foram usadas coleiras como as que falei no início para saber que território explorava o animal. Este monitoramento constante é essencial para certificar que Tao Tao não foi ferido e saber se se desloca regularmente para novas áreas para procurar alimentos, um sinal de que está a evoluir bem. Depois de dois anos de treino para a reintrodução, o panda foi considerado pronto para entrar na selva. Com um pouco de hesitação, o jovem Tao Tao saiu da sua jaula e entrou na selva da reserva natural Liziping em 11 de Outubro de 2012. Agora, mais de um ano depois de ter sido libertado ainda está a ir bem. Passou a perigosa época de acasalamento ileso, embora alguns investigadores digam que ele não atingiu a plena maturidade o que poderia significar que não é visto como uma ameaça para os machos concorrentes da área. Independentemente disso, Tao Tao está a ser considerado como o primeiro  panda nascido em cativeiro reintroduzido à natureza. Quando falei com ele, o Dr. Huang evitou fazer esta afirmação e explicou que o Departamento Florestal do país seria a entidade oficial a dar a informação. Umas semanas depois, eles disseram. Um site de noticias chinês quebrou o relato da Administração Florestal do Estado, que declarou: “Acredita-se que depois de sobreviver a um inverno frio, Tao Tao sofreu uma reintrodução de outros pandas selvagens durante a primavera. O grupo recomenda a continuação de indivíduos na Reserva natural Liziping.” E isso foi exactamente o que eles fizeram. Desta vez, uma fêmea chamada Zhang Xiang, lançada a 6 de Novembro de 2013, na mesma floresta onde Tao Tao foi solto. Até ao momento, estão os dois maravilhosos. Talvez algum dia eles se encontrem, assistam a um pouco de porno para pandas, comam um pouco de bambu juntos e ajudem a salvar a sua espécie.