FYI.

This story is over 5 years old.

Desporto

As piores camisolas de futebol de sempre

O futebol não é só marcar golos.
6.3.13

Esqueçam o equipamento rosa do Benfica, isso foi marketing. Ou o Arsenal a equipar de branco como o Tottenham. Ou o alternativo do Barça que parece um cocktail caribenho. Esses equipamentos dão vontade de rir, não de pôr em causa a humanidade. Estas sim, são as verdadeiras abominações. A lista é gigante, mas compilei os meus preferidos. Porque o futebol não é só marcar golos. Às vezes também é marcar golos com a pior fatiota de sempre.

Publicidade

“Ei, basco. Tens ketchup na camisola!", "Hakzapuleita?" ["Hã?", em basco.], golo.

ATHLETIC BILBAU (2004)
Desenhado pelo artista Dario Urzay nas comemorações do centenário do mítico clube basco, é, segundo o autor, a evocação de “espirros de sangue”. Não sei se é uma analogia negra com os atentados da ETA, mas não estou a ver a particular relação da cidade com sangue. Relaciono mais Bilbau com arquitectura futurista e gastronomia de elevado gabarito. O que é que isto me faz lembrar? Uma explosão de ketchup ou uma lâmpada de lava zen. A ideia era ser o equipamento caseiro, mas o clube acabou por só o usar na campanha europeia (felizmente foi logo eliminado). GRUUUUUUUUUUUUAH! HULL CITY (1992/93)
Este é bastante simples: o Hull City, clube das divisões inferiores de Inglaterra, tem como símbolo um tigre. E vestem de laranja. O salto lógico é: porque não fazer um kit em animal print? O resultado é uma das piores camisolas da história do desporto rei. Um equipamento que o baixista dos New York Dolls não desdenharia de usar em palco. O famoso equipamento invisível. MANCHESTER UNITED (1995/96)
A história deste equipamento é curiosa. Só foi usado uma vez, num jogo contra o Southampton, e somente durante 45 minutos. Antes do jogo começar, um dos adjuntos de Sir Alex Ferguson avisou-o da dificuldade que os jogadores teriam em se verem uns aos outros no relvado com isto vestido. Resultado ao intervalo: Southampton três, Manchester United zero. Na segunda parte os jogadores voltaram já com outra camisola, mas só conseguiram marcar um golo. Durante as décadas que Sir Alex leva à frente dos red devils, há certamente muita coisa provocou resultados negativos: lesões, clima, jogadores a jogar fora das posições originais — mas esta terá sido a única vez em que a culpa foi da Umbro. Esta prisão é uma escola. Ou vice-versa. HARROW SCHOOL (1870s)
Para começar, devo dizer que esta é a foto de equipa da bola mais fixe que vi até hoje. Nada de gajos alinhados pelos tamanhos com uma bancada completamente vazia no fundo. Aqui estão eles, encostados a uma catedral gótica, de mãos nos bolsos. Um até está sentado numa cadeira ao contrário. Algures entre o pijama e a farda de presidiário, este é quase o Pior Kit de Sempre. Uma bela cábula para os exames de Geografia. SHIMIZU S-PULSE (2001/02)
Isto agora começa a resvalar grandemente porque, para finalizar, vou só falar de equipamentos desenhados por gajos completamente embriagados. Há que dar valor ao facto de estas coisas terem sido aceites, de terem passado por uma hierarquia dentro do clube (igualmente embriagada — ou drogada). Ao contrário do que o nome sugere, o Shimizu S-Pulse é um clube nipónico e não uma bebida energética. Aqui está um belo exemplar de camuflado de deserto (são coisas que associo logo: deserto e Japão) com um globo destacado na Ásia onde surgem nomes de vários países. Por exemplo, acima do logo da Puma está escrito Rússia. Desconheço que o desenhou, mas o sake devia ser bom. Gaaaaaay. KANSAS CITY WIZARDS (1994)
Finalizo este artigo com o país onde futebol se chama soccer. Claro que só o facto da mesma modalidade nem ter o mesmo nome só poderia levar a bizarrias várias, a começar nas alterações às regras (não há empates no soccer, o jogo passa logo para a marcação de penalidades). Ou equipas que aparecem num ano e reaparecem no ano seguinte, a dois mil quilómetros de distância. É a América. Os Kansas City Wizards (agora Sporting Kansas — preferia o antigo nome), fundados em 1995, deviam ser enormes junto da comunidade gay, caso essa malta gostasse de bola (e não do seu plural). Adoro, detesto. Adoro, detesto. Adoro, detesto. Adoro, detesto. Adoro, detesto. COLORADO CARIBOUS (1978)
Os Colorado Caribous, de Denver, foram um caso à parte na história do futebol. Só existiram no ano de 1978, mas podem orgulhar-se de ter o melhor/pior equipamento de sempre. Tudo está certo/errado nesta camisola. Para começar, não há muitas equipas a equipar de castanho — a excepção mais conhecida é o St. Pauli, o clube do bairro das putas de Hamburgo, apoiado por punks , intelectuais de esquerda e, claro está, putas). Mas vestir de castanho e usar uma franja de farripas de couro ao peito, numa onda Bonanza, é obra.