FYI.

This story is over 5 years old.

Para o Pai da MC Melody, o Processo Contra a MC Mirim É um Problema de Gênero

"Os dois são polêmicos, só que o caso dela é outro tipo", diz pai sobre inquérito contra MC Pedrinho e outras crianças do funk.

Foto: reprodução do Facebook da artista.

Depois que a justiça proibiu o MC Pedrinho de fazer shows sob pena de multa de R$ 50 mil, e ter exigido a retirada de todo o seu conteúdo promocional das redes sociais, a MC Melody, de 8 anos, é a principal personagem de um novo inquérito que investiga e prevê a coibição de crianças e adolescentes produzindo funk com conteúdo de apelo sexual e apologia ao crime e às drogas. Clique aqui para ler a nota sobre o assunto. Na tarde desta sexta (29), o Noisey procurou a KL Produções, responsável pelos MCs Pikachu e Brinquedo, pedindo uma declaração. No entanto, a produtora não quis se manifestar a respeito. Já o pai da MC Melody, o MC Belinho, não se fez de rogado e trocou uma ideia franca com a gente. Acompanhe:

Publicidade

Noisey: Bem, em primeiro lugar eu queria saber como você recebeu essa notícia do lance que rolou com o Pedrinho, e se você acha que o bicho vai pegar pro lado da MC Melody.
MC Belinho: Então… São casos diferentes, né? Os dois são polêmicos, a Melody mais ainda, só que o caso dela é outro tipo. Ele canta um estilo de música, e ela canta outro. O funk dela é mais light. Não fala palavrão. Já o do Pedrinho, do Pikachu e do Brinquedo, são muito parecidos. Enquanto o da Melody fala só de recalque, de ostentação. Daí o que pesa no lance da Melody é por ela ser menina. Eles levam muito pelo lado da exploração, da sensualidade da mulher, fica mais fácil de acharem um jeito de criticar.

Você acha então que a MC Melody foi incluída nessa polêmica só pelo fato de ela ser uma menina, mesmo as letras dela não exibindo um conteúdo de apelo sexual?
Os meninos não sofrem tantas críticas quanto as mulheres. Por isso que eles já cantam mais pesadão mesmo, e não é de agora que vem rolando esse estilo, já faz um tempo que vários MCs Mirins tão cantando isso aí. O que rolou foi que o Pedrinho chegou num patamar muito alto, aí veio o Pikachu, veio o Brinquedo, veio uma porrada de moleque cantando essas coisas aí… Mas cada um faz o que quer, né, mano? Se a galera tá abraçando, se tem público pra curtir o funk, é porque não é tão errado assim. Tá ligado? O meu estilo com a Melody na verdade é diferenciado, é mais um pop, uma parada. Não deixa de ser funk, mas, como eu disse, não vem com palavrão, não vem com letras pesadas. As letras dela são bem light. É lógico que a gente fica com um certo receio, porque tá todo mundo sendo investigado pelo mesmo caso, pelo fato de ser criança cantando funk.

Publicidade

Em que outros aspectos a maneira como a Melody é apresentada se diferencia dos MCs Brinquedo, Pedrinho, Vilãozinho e Pikachu?
O nosso caso muda muito. Porque, em primeiro lugar, ela não tá fazendo um monte de shows. E os meninos já trabalham com isso há anos. O Pedrinho já está há milianos trabalhando na noite. Os outros meninos também. E ela já não faz show, só tem feito apresentações em programas de TV e rádio, só rolou uma apresentação até hoje em casa noturna. O que pesou no caso da Melody é o fato de ela ser uma menina de oito anos andando de shortinho. A gente fica com medo mesmo assim, de de repente também ser brecado. Mas mesmo no caso do Pedrinho o lance não deve ser definitivo.

E se tudo isso for fruto do preconceito específico com a cultura do funk, independentemente de se tratar de putaria, ostentação ou qualquer outra coisa?
Pra ser sincero eu acredito que 50% é preconceito específico com o funk e os outros 50% é devido às letras mesmo. Se você parar pra ver, realmente tem uns conteúdos bem pesados. Eu fiz muito funk putaria, comecei minha carreira cantando funk putaria. Já faz sete anos que tô no funk, três e meio deles cantando ostentação, e a minha carreira só melhorou quando saí do funk putaria, sabe? Porque é difícil você dar um CD pra um pai de família, você mostrar o som pra sua família escutar, e às vezes você está trabalhando, ganhando o seu dinheiro, mas não consegue mostrar o seu trabalho pras pessoas. Imagina a minha filha cantando funk putaria? Como que eu vou chegar pros tios dela e falar “escuta aí o CD da Melody”? Não tem como.

Se o funk não falasse de putaria, você acha que as pessoas iam ficar de boa?
Só que esse lance das letras a galera gosta, a comunidade gosta. Muitos só estouraram porque cantaram isso, se eles cantassem musiquinhas normais, ninguém ia querer saber. Essa é uma realidade muito forte também. Se os meninos estivessem só cantando ostentação, ou só umas letras mais light, talvez não tivesse estourado, porque o povo gosta dessas porra aí, mano. O povo gosta de putaria, mesmo, entendeu? Agora, que isso pesa, pesa. É muito palavreado forte pra criança.

Você sente de alguma forma que a Melody é vítima de um efeito colateral de uma parada que está sendo feita por outros artistas?
Esse negócio pega de tabela quem faz outro tipo de som, vira um preconceito geral contra o funk. A comunidade, o povão, vai curtir, vai cair pra dentro. E quem não gosta de funk, já pega mal, aí escuta umas palavras dessas e passa a odiar mais ainda. Aí já passa pra outra situação, já vem governantes querendo aparecer, e culpa o funk total. Essas paradas são erradas nos olhos de quem vê. Escuta quem quer, tá ligado, mano? Acho que tudo é assim. É igual o rock, cara. Tem rock que não dá pra escutar. Forró também, tem muita letra de duplo sentido aí, que muita criança canta. Funk escuta quem quer, ninguém está lá colocando uma arma na cabeça das pessoas obrigando elas a escutarem MC Pedrinho. Tem muitas coisas pra se importarem mais do que um moleque cantando. Se o moleque está sendo aceito pela sociedade, pela população, não tem razão de ser. Acredito que boa parte disso aí vem dos governantes, tem muita coisa errada no Brasil pra se preocupar com meia dúzia de crianças.

Saquei. Só que o pessoal na internet não critica a Melody por causa das letras, e sim pelo visual que ela usa. Qual a sua opinião sobre isso?
Tem coisas que dá pra gente mudar, no caso da minha filha mesmo. Mas se você sai na quebrada aí, numa comunidade, não precisa nem ser filho de pobre não, filho de rico também… Qual filho de rico que já não usou um shortinho, uma blusinha decotada? Porra, até em carro você vê isso aí. É só procurar na internet, tem um milhão de crianças dançando de shortinho. O que eles querem é o seguinte: aparecer. Aí eles pegam quem está lá em cima. Eles não são bobos, não vão pegar uma criança desconhecida pra investigar. No meu caso foi só um vídeo que causou a polêmica, então tinha que pegar todos os vídeos aí de criança do Brasil inteiro. No caso do Pedrinho também, tem mais de 500 crianças da idade dele cantando funk do mesmo jeito que ele. Os caras estão atrás de quem está em evidência para dar como exemplo. Se for parar pra ver, é pra mostrar pra mídia. Mas o Brasil é grande, daqui a pouco toda essa porra passa aí, e eu quero ver o que eles vão fazer.