FYI.

This story is over 5 years old.

Charles Bradley: Pesadelos Nunca Mais

Charles já tomou porradas na cara mais vezes do que consegue contar, mas, ainda assim, acredita que o grande barato da vida é aquele momento logo antes de dar o primeiro beijo em alguém.

Foto por Chris Frape.

Quando Charles Bradley era mais novo, morava na Califórnia e trabalhava num restaurante, alguma coisa aconteceu. Um cliente se zangou com o ponto de um hambúrguer, então ele foi lá e pediu desculpas. O proprietário ficou furioso por vê-lo falando com os clientes, o chamou de crioulo, e falou que "daria um corretivo" nele. No dia seguinte, quando Charles voltou ao trabalho na cozinha, um branco grandalhão chegou da rua e começou a dar-lhe uma surra. "Antes que eu percebesse, ele me pegou e me empurrou por cima da grelha", diz Charles, estremecendo. "Eu senti o calor subindo para as minhas costas, e eu tentava lutar de todo jeito pra tirar aquele cara de cima de mim."

Os policiais chegaram e "colocaram a arma na minha cabeça", de acordo com Charles. Ele foi para a cadeia e ficou 30 dias preso até o julgamento – ao qual o agressor não compareceu – e assim foi sentenciado a três anos de liberdade condicional. Ele está me contando essa história porque quer que todos saibam como é difícil para ele entrar no Canadá e "espalhar o amor com a sua música".

Leia essa entrevista na VICE Brasil.