FYI.

This story is over 5 years old.

Exclusivo: O Novo EP do Red Mess É uma Bad Trip Psicodélica

Derreta seu cérebro com o streaming exclusivo de ‘Drowning in Red’, segundo trampo desta banda stoner de Londrina.

Foto por Renan Casarin.

Red Mess é um trio de Londrina, Paraná, que toca uma sonzeira stoner desde 2012. Em setembro do ano passado, eles estrearam com um EP de quatro faixas intitulado Crimson, provavelmente porque Thiago Franzim (guitarra e voz), Lucas Klepa (baixo) e Douglas Villa (bateria) piram no som do King Crimson. Drowning in Red, o segundo EP da banda que o Noisey lança exclusivamente nesta terça (24), é considerado pelos integrantes uma continuação do trampo anterior. Isto porque as músicas totalmente inéditas, aquelas que se pá nem o povo que vai nos shows conhece ainda, estão em processo de composição, guardadas para o álbum que será gravado no ano que vem.

Publicidade

E, de fato, “Daybreaks Dope” e “Ready to Go”, as faixas deste segundo EP, seguem uma estética parecida com as do primeiro, rockão pesado e cheio de riffs ganchudos, com ressonâncias de várias coisas entre o stoner e o rock progressivo: Kyuss, Electric Wizard, Sleep, Black Sabbath, Frank Zappa, o já citado King Crimson, Gentle Giant, e outros lances nessa linha. O nome dado ao EP é, na verdade, o nome original da arte que estampa a capa, assinada pelo Gabriel Araújo, que é camarada dos caras da banda.

Segundo Lucas, eles curtiram a ideia de usar a ilustração porque “toda a distorção da paisagem e o rosto em lágrimas remete a uma bad trip psicodélica”. Como nos filmes de ácido com o Jack Nicholson, esse tipo de coisa só zoa a brisa do personagem que vive a experiência – pra quem assiste é daora. Então não se acanhe em curtir bem alto essa pedrada sonora. Cata só a ideia rápida que troquei com os caras:

Noisey: Como foi que a banda se formou? Vocês vêm de outras bandas? Qual era o envolvimento de cada um com o cenário local quando decidiram montar o Red Mess?
Douglas Villa: Eu e o Thiago somos amigos de infância e, desde pequenos, dividíamos nossa vontade de montar uma banda. Enfim, em 2012 isso aconteceu, e com mais um amigo montamos uma banda de nome Sküllage Coopers. No final de 2013, o Lucas entrou pra banda e acabamos virando um trio. Achamos nosso estilo, que é o stoner, mudamos de nome para Red Mess e criamos todo um conceito para a banda. De início, quando começamos, só o Lucas tocava em outras bandas.

Publicidade

Um dos sons desse EP, "Daybreak's Dope", já tem um clipe rodado, certo? Fala um pouco do conceito e de como foi produzido esse clipe. Quando pretendem lançar?
Thiago Franzim: Sim! O clipe foi produzido pelo nosso grande amigo Renan Casarin. Ele veio do Rio Grande do Sul até Londrina para gravar, por ser um grande admirador dos nossos trabalhos. O clipe mostra basicamente a banda tocando e a confusão vermelha acontecendo à nossa volta. Pretendemos lançar até o meio do ano.

Como anda a cena de Londrina atualmente? Com que tipo de bandas vocês dividem palco ou fazem outras parcerias?
Douglas: A cena musical em Londrina sempre foi muito forte, mas sempre tem a questão que todas as cidades sofrem que é a aceitação da música autoral. Em Londrina, a casa que mais promove eventos em prol da música independente é o Hush Pub. Tocamos com todo tipo de banda e estilo, mas aquelas com as quais dividimos palco com maior frequência são Vulgar Gods e Dizzaster, ótimas bandas de Londrina por sinal.

Qual tem sido a repercussão do primeiro EP da banda e dos shows que já fizeram até aqui? De que lugares do Brasil e do mundo vocês já receberam os melhores retornos?
Douglas: Ficamos realmente surpresos com a boa aceitação da galera. Tivemos reviews que nos deixaram muito felizes lá da Rússia, Espanha, Estados Unidos e do Brasil (veículos do Rio de Janeiro e de São Paulo). Como ainda temos 17 anos, não podemos sair pelo Brasil afora para tocar, mas, por enquanto, os poucos shows que temos realizado só em Londrina estão dando uma ótima repercussão. Pretendemos gravar um álbum no fim do ano e, a partir daí, rodar o Brasil e o mundo o quanto possível para disseminar a nossa música.

Arte por Gabriel Araújo Vitória Plácido

Siga o Red Mess nas redes: Bandcamp | Facebook