Acabámos com os comentários em VICE.com

O que não significa que deixámos de vos amar profundamente.

|
21 Dezembro 2016, 11:14am

Como devem ter reparado, acabámos de levar a cabo algumas obras no nosso site VICE.com. Fizemos um lifting à fronha. Passámos uma demão de tinta fresca no nosso velhinho URL. Como acontece na maioria dos casos de criação de novos designs, este é o primeiro passo de um processo em andamento e, nas próximas semanas, vamos aparar aqui e ali e acrescentar novas funções para tornar o site ainda melhor. Mas, a par destas novidades, há também que contar com a perda de algumas coisas do site antigo, sendo a mais notória, claro, a extinção da secção de comentários.

Em teoria, os comentários são óptimos. Autores e editores, com a sua sede insaciável de validação, adoram ler as carinhosas respostas dos leitores. Os comentários podem alimentar uma discussão comunitária produtiva sobre um artigo ou tema em particular, muitas vezes fornecendo visões que, de outra maneira, se perderiam. Como os nossos colegas da Motherboard realçaram no ano passado, a secção de comentários é uma continuação da antiga tradição das cartas ao editor, uma parte querida de muitas publicações e uma forma valiosa de criar um diálogo aberto entre quem publica e as pessoas que são a nossa razão de existir.

Infelizmente, as secções de comentário já não são assim. Sem moderadores e algoritmos complicados, elas tendem a descambar em anarquia. Muitas vezes acabam num remoinho de racismo e misoginia, onde as opiniões mais ofensivas e idiotas ficam no topo e as respostas mais razoáveis se afogam no ruído. 

"Sabemos que a maior parte de vocês são pessoas bonitas, inteligentes e tolerantes, que nos desafiam a melhorar todos os dias".

Mesmo recebendo bem os vossos pensamentos sobre como, na verdade, somos ou esquerdalhos, ou fantoches da direita alimentados pela CIA, ou como a VICE era muito melhor antes de se vender aos deuses do capitalismo, ou que, em geral, somos uma merda, ao longo dos anos tivemos que banir incontáveis comentadores, por ameaçarem os nossos autores e temas, revelarem informações particulares de cidadãos e se envolverem em discursos de ódio contra, basicamente, todo e qualquer grupo imaginável.

Não temos tempo nem vontade de continuar a monitorizar essa merda toda. Além disso, há várias outras formas de discutirem publicamente o nosso trabalho e o valor pessoal das nossas equipas. Ainda vamos ler os vossos pensamentos no Twitter e no Facebook e gostamos muito de receber cartinhas (não bombas) nos nossos escritórios em todo o Mundo.

Valorizamos os pensamentos e críticas dos leitores e a nossa maior preocupação quando decidimos aniquilar os comentários era que as pessoas que têm coisas construtivas e inteligentes a dizer considerassem isto um insulto. Não penses isso, por favor. Sabemos que a maior parte de vocês são pessoas bonitas, inteligentes e tolerantes, que nos desafiam a melhorar todos os dias. Isso não mudou só porque tirámos aquela coisa feia no final dos nossos artigos.