Um hacker famoso está tentando criar um Anonymous mais sofisticado
Crédito: Wendelin Jacober/Flickr

FYI.

This story is over 5 years old.

Um hacker famoso está tentando criar um Anonymous mais sofisticado

"Phineas Fisher é uma das pessoas mais inspiradoras na comunidade de hackers ativistas nos últimos tempos – possivelmente de todos os tempos."
25.5.16

Em agosto de 2014, um hacker abalou o mundo da segurança digital ao revelar os segredos da empresa Gamma Group, fabricante do spyware FinFisher e famosa por vender dados de espionagem a governos.

Em tom de brincadeira, o hacker se apelidou de Phineas Fisher, divulgou a invasão e provocou a empresa no Twitter. Ele também escreveu um guia detalhado de como violou a segurança – não para se gabar, segundo ele, mas para desmistificar a ideia do que faz um hacker e, com sorte, "inspirar vocês a sair por aí hackeando coisas".

Publicidade

E aí Phineas Phisher desapareceu. Por quase um ano, seus perfis públicos ficaram em silêncio. Ao levar em conta que ele havia irritado uma empresa que vendia ferramentas para dezenas de governos e polícias em todo o mundo, parecia ser uma atitude sensata.

"Para hackers com consciência política, Phineas já é uma lenda."

Em 2015, pouco menos de um ano depois, Phineas Fisher voltou com tudo. Ele invadiu os computadoresdo concorrente do Gamma, Hacking Team, outra empresa conhecida por vender spyware para governos questionáveis ao redor do mundo.

"Gamma e [Hacking Team] já foram, faltam alguns outros :)", ele tuitou.

Logo depois da invasão, ele provocou o Hacking Team usando a conta da própria empresa no Twitter e então, outra vez, desapareceu por meses, até o dia em que ele revelou como entrou no sistema do Hacking Team. Uma vez mais, ele convocou outros a agir. "Hackear é uma ferramenta poderosa. Vamos aprender e lutar!", escreveu.

No Twitter, proclamou em seu perfil que "nossos teclados são nossas armas."

Na semana passada, ele atingiu sua terceira vítima, a força de polícia catalã Mossos D'Esquadra. Acompanhando sua nova invasão, ele publicou um vídeo tutorial de 39 minutos, com canções anti-polícia na trilha sonora em que ele mostrava como conseguiu acesso aos dados.

Embora sua última vítima pareça um peixe pequeno comparado ao Finfisher e ao Hacking Team, ela é coerente com sua visão política de "anarquista revolucionário" e com seu objetivo maior de inspirar outros hackers ativistas a "contra-hackear", como ele diz em seus tutoriais.

Publicidade

"As coisas não precisam ser sempre grandes", Phineas Fisher me disse por e-mail. "Eu queria dar um pequeno golpe no sistema, ensinar um pouco sobre como ser um hacker no vídeo e inspirar as pessoas a agir."

Seu plano pode muito bem estar funcionando. Com seus ataques raros, concentrados e quase "cirúrgicos", Phineas Fisher tem grandes chances de inspirar uma nova geração de hackers ativistas e "abrir o caminho para que outros hackers sigam seus passos", de acordo com Biela Coleman, uma professora da McGill University de Montreal, no Canadá, conhecida por seus estudos de hackers, ativismo hacker e Anonymous.

"Para hackers com consciência política, Phineas já é uma lenda", me disse Coleman.

"Não quero ser um hacker solitário enfrentando o sistema. Quero inspirar outros a agir de forma parecida."

Mustafa Al-Bassam, um pesquisador da área de segurança e ex-hacker do LulzSec, concorda e diz que "a estratégia e a mensagem [de Phineas] se parecem com muitas operações anteriores do Anonymous, mas que é possível argumentar que ele foi mais eficiente fazendo tudo sozinho".

Phineas Fisher é "um dos hackers mais inteligentes que já vi" e "uma das pessoas mais inspiradoras na comunidade de hackers ativistas nos últimos tempos – possivelmente de todos os tempos", me disse Al-Bassam num chat online.

Coleman disse que, ao contrário do Anonymous e de hackers inspirados no LulzSec, Phineas Fisher escolheu melhor seus alvos e justificou suas ações com opiniões políticas e éticas mais convincentes e sofisticadas. Para Coleman, o grande desafio do hacker agora é encontrar um ponto de equilíbrio entre sua necessidade de não ser pego e sua meta de inspirar outros a unir-se à causa.

Phineas Fisher, por sua vez, não parece ter pressa – embora esteja significativamente mais ativo online nas últimas semanas.

"Aprender a hackear e se tornar bom nisso é algo que leva tempo", ele disse, revelando que se interessou no assunto pela primeira vez quando leu um artigo sobre o hacker do Anonymous e do LulzSec Jeremy Hammond, em 2012. De qualquer forma, "ainda é impossível saber" se seu chamado para "contra-hackear" está funcionando e, na verdade, ele não quer criar um "movimento formal" ao estilo do Anonymous ou LulzSec.

"Mas eu não quero ser um hacker solitário enfrentando o sistema", ele me disse. "Quero inspirar outros a agir de forma parecida, e tentar oferecer informações para que eles aprendam como fazer isso. "

Tradução: Danilo Venticinque