VICE REPORTS

As pessoas que vivem escondidas na Suécia​

Milhares de refugiados a viverem em território sueco foram obrigados a esconderem-se, desde que as leis de asilo do país deixaram de ser das mais acolhedoras da Europa, para passarem a ser das mais duras.
28.7.17

Vê mais vídeos, reportagens e documentários em VICE VÍDEO.

Neste episódio de VICE Reports, a correspondente Milène Larsson descobre o estado de emergência em que vive uma sociedade paralela em crescimento constante na Suécia, à medida que os números de recusa de asilo aumentam e os rejeitados se escondem com medo da deportação.

Os riscos para as pessoas nesta situação são agora muito mais altos, depois de ter sido revelado que o ataque terrorista de 7 de Abril em Estocolmo foi perpetrado por um destes refugiados a quem foi negado asilo e que se tinha mantido escondido no país.

A VICE foi ao encontro de refugiados e de cidadãos suecos que estão a abrir as suas casas para esconder estas pessoas e descobriu redes civis que se organizam por toda a Suécia para ajudar aqueles que deixam de estar sob protecção das autoridades.

Conversámos ainda com um deputado do partido de extrema direita Democratas Suecos (agora, o segundo maior partido político sueco), que quer criminalizar o acto de esconder refugiados, bem como com o principal responsável da polícia fronteiriça sueca, que perspectiva que nos próximos anos possam entrar na clandestinidade cerca de 40 mil pessoas a quem o pedido de asilo é negado. Isto, sem contar com migrantes sem documentos.

Ninguém sabe a verdadeira dimensão desta sociedade paralela e a Suécia vai, certamente, enfrentar as consequências desta exclusão social nas próximas décadas. No entanto, a existência de sociedades paralelas não é um fenómeno exclusivo do país nórdico. É, sim, uma realidade por toda a Europa.

@Milenelarsson