Prostitutas são deusas
Todas as imagens são cortesia da artista Mado Reznik. 
Guilhotina

Prostitutas são deusas

Um registro oficial de prostitutas argentinas do século 20 deu vida ao projeto 'De las Putas Confesiones'.

O Pedro é designer na VICE. Ele também tem uma editora, a Pipoca Press. Por isso, ele sabe que tem muito trabalho foda de muita gente foda que está circulando pelas feiras e eventos de publicação no Brasil e fora dele. Aqui na Gulhotinavocê vai conhecer esses trabalhos e essas pessoas.

Mado Reznik é uma artista argentina. Escreve, publica, faz colagens, fotografa. Tudo isso é apenas um suporte para o que realmente a interessa em seu trabalho: a memória das pessoas que não têm ou não tiveram voz. Isso pode ser bem observado em seu trabalho.

Publicidade

Colagem de Mado Reznik

E aí que, há muitos anos na cidade onde sua mãe nasceu, ela encontrou um Registro Municipal de Prostitutas que era obrigatório no início do século 20. Toda mulher que trabalhava como prostituta devia estar registrada.

De las putas confesiones nasce anos depois na forma de um livro de artista finíssimo onde as fotos dessas mulheres em fotogravura se juntam aos textos de Mado, criando narrativas que levam o título de divindades gregas, mas não aquelas do Olimpo, algumas das menos conhecidas.

Foto do livro de artista 'De las Putas Confesiones'.

Foto do livro de artista 'De las putas confesiones'.

Capa do livro.

Anos depois, o livro de artista vira uma publicação e deixa o trabalho de Mado mais fácil de circular e acessível, sem perder nada para o “original”, onde os sonhos e pensamentos dessas mulheres voltam em nomes como Andrómaca, Atalanta, Calisto e Níobe.

Crédito: Mado Reznik

Crédito: Mado Reznik

Mais que um trabalho sobre mulheres prostitutas, é um trabalho sobre mulheres, o feminino, desejo, corpo e política. Em tempos de pautas como o aborto, que acaba de ser aprovado pela Câmara dos Deputados da Argentina, é quase necessário conhecer o trabalho de Mado.

Livro de artista 'Cinco', homenagem às cinco mulheres grávidas e assassinadas na Argentina entre 1976 e 1983.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.