Europeus lançarão robôs a laser para estudar as ondulações no espaço-tempo

Após décadas de atraso, cientistas enfim receberam a confirmação de que terão um observatório de ondas gravitacionais em escala colossal.
27.6.17

Na última quinta-feira, a Agência Espacial Europeia (ESA) autorizou o futuro lançamento de um trio de satélites emissores de laser para detectar diretamente ondas gravitacionais no espaço profundo.

Chamada de Antena Espacial de Interferômetro a Laser (LISA), o conjunto está projetado para ser lançado em 2034 e se tornará o primeiro observatório de ondas gravitacionais no espaço.

As ondas gravitacionais são ondulações no espaço-tempo criadas por certos tipos de distúrbios, como a colisão de buracos negros ou a explosão de estrelas massivas. Elas foram descritas, de modo figurativo, como o "ouvir" do universo – da mesma forma como a luz nos permite ver fenômenos cósmicos.

Publicidade

Assim como o Observatório de Ondas Gravitacionais de Interferômetro a Laser (LIGO) aqui na Terra (que anunciou a primeira detecção direta de ondas gravitacionais na história em 2016), o LISA criará um detector óptico ao longo de vastas distâncias a fim de capturar distorções sutis da passagem de ondas. O conjunto estará atrás da Terra enquanto ela orbita o Sol em uma distância média de 50 milhões de quilômetros.

Crédito: Nico 0692/ESA.

Enquanto os braços do LIGO têm 4 km de comprimento, as três naves do LISA estarão separadas por 2,5 milhões de quilômetros e obedecerão uma formação triangular, tornado-as centenas de vezes mais sensíveis que o LIGO.

Essa escala colossal é uma grande vantagem dos observatórios de ondas gravitacionais dispostos no espaço. Os cientistas lutam por tais missões há décadas. O LISA foi proposto pela ESA no início dos anos 1990, e a NASA se tornou parceira oficial em 1997, mas saiu da parceria em 2011 alegando limitações orçamentárias. A missão agora é oficialmente liderada pela ESA, embora a NASA negocie um papel e futuras contribuições à missão, que dependerão das prioridades da agência norte-americana.

A missão LISA Pathfinder, lançada pela ESA em dezembro de 2015, já realizou testes de algumas das tecnologias que a LISA utilizará para detecção. Agora que o LISA já foi escolhido como prioridade da comunidade espacial europeia, esse triângulo espacial composto de robôs detectores de ondas gravitacionais com lasers está muito mais perto da realidade.