FYI.

This story is over 5 years old.

Música

Discos: Grooveman Spot

Reparar em como Grooveman Spot arriscou depois trabalhar todo o tipo de linguagens e ser bem sucedido na maioria delas.
02 September 2014, 2:07pm

Supernatural

Jazzy Sport

Grooveman Spot é, de há uns anos a esta parte, um exemplo evidente de um produtor que aproveitou ao máximo a sua escola de hip-hop para, a partir daí, explorar os mais diversos horizontes. Mesmo sem merecer grande atenção por parte do Ocidente, aquele que era também conhecido por DJ Kou-G aventurou-se primeiro num hip-hop jazzy, que, independentemente de algumas manobras individuais (os tais

signature moves

), não andará muito longe de Jazzmatazz e da era dourada da Ninja Tune. O testamento desse fértil início encontra-se num

Eternal Development

, que, apesar dos seus dez anos, não revela os mesmos sinais de velhice que outros discos de

cut-up

da mesma altura.

O mais extraordinário nisto é reparar em como Grooveman Spot arriscou depois trabalhar todo o tipo de linguagens e ser bem sucedido na maioria delas. Já lá vão cinco álbuns (e outras tantas compilações) e o produtor japonês cada vez mais parece um Pac-Man que engole géneros atrás de géneros sem vacilar. Podemos concentrar-nos apenas nos efervescentes

Paradox

 e

Began to Notice

 (dois dos seus mais recentes discos) de modo a verificar que Grooveman Spot sabe como armar valentes malhas de funk arrastado, boogie futurista, house das respectivas escolas de Detroit e Chicago, e tudo mais que envolva estilhaços da mais abençoada música africana. Assim dissipam-se quaisquer dúvidas de que Grooveman Spot é um dos produtores mais inquietos e progressistas do seu campeonato.

Só agora chegamos a

Supernatural

, o sexto longa-duração lançado há sensivelmente um mês, mas descrevê-lo não tomará assim tanto tempo: trata-se afinal do mais pragmático e desenvencilhado disco de Grooveman Spot até aqui. A prova disso reside na quantidade generosa de

bangers

 instantâneos que

Supernatural

 garante logo na primeira meia-dúzia de faixas: “Iconoclast” (este tipo andou a ouvir Niggafox?), “Uncut Diamond” e “Louder!!!” são granadas prontas para explodir em qualquer festa sem pessoal careta. Este Grooveman Spot tem o sangue carregado de boom-bap e do mesmo electro que ajudou à fundação do hip-hop. Com uma categoria invejável,

Supernatural

 certifica-nos de que o seu autor sabe aplicar sem merdas tudo o que aprendeu de bom. Eis portanto um dos mais contagiantes e eficazes discos que este ano nos trouxe.