FYI.

This story is over 5 years old.

​Hackers Divulgam Informações Pessoais de Supostos Membros do Ku Klux Klan

Membros do Anonymous e de outros grupos soltaram uma lista que inclui vários políticos americanos na seita racista.
4.11.15
Crédito: Vincent Diamante/ Flickr

Na semana passada, hackers que se diziam ligados ao grupo hacktivista Anonymous ameaçaram publicar informações pessoais de integrantes da organização racista Ku Klux Klan.

No decorrer do final de semana, eles cumpriram a promessa. Um grupo ligado ao Anonymous chamado YourAntiSec, em referência à famosa operação hacker operada pelo ramo LulzSec do Anonymous no verão de 2011, publicou uma lista de telefones e e-mails que afirmam ser de membros e administradores de sites da KKK.

Publicidade

Os hackers divulgaram as informações em uma série de Pastebins. Ainda não está claro a quem pertencem os telefones e e-mails ou como os hackers os obtiveram. (Os mesmos se negaram a revelar de onde veio a informação.) Alguns dos telefones, porém, parecem estar inativos.

O grupo disse que o objetivo era "chamar atenção" para sua operação, chamada OpKKK, de acordo com um representante que falou com o Motherboard por meio de mensagens diretas no Twitter e também para possibilitar que pessoas entrassem em contato com os supostos membros para falarem "o que pensam".

Ao mesmo tempo, um hacker conhecido como Amped Attacks divulgou outros dados. Desta vez, uma lista de figurões políticos, quatro senadores e cinco prefeitos, supostamente ligados à KKK.

Amped Attacks disse ao Motherboard ter encontrado as informações ao invadir "alguns sites", onde encontrou bancos de dados com e-mails ligados aos políticos citados na lista. Amped Attacks só citou seus nomes, mas não divulgou nenhum telefone, email ou endereço.

"Não quero que qualquer um possa ver os dados e agir de forma criminosa contra esta escória racista."

"O motivo pelo qual não listo os endereços destas pessoas é que não quero que qualquer um possa ver estes dados e agir de forma criminosa contra esta escória racista", disse o hacker na postagem do Pastebin.

Amped Attacks revelou ao Motherboard não ter ligação com o Anonymous e afirma não ter trabalhado em conjunto com o grupo.

Publicidade

No meio tempo, alguns dos políticos na lista negaram tais acusações.

"A afirmação é 100% falsa", disse um porta-voz do senador John Coryn, do Partido Republicano do Texas, ao telefone. "Não sei que evidências foram fornecidas. Não há prova. É ridículo."

Jim Gray, prefeito de Lexington, Kentucky, tuítou negando tudo também, dizendo que a acusação é "falsa, ofensiva e ridícula" e que ele "nunca teve qualquer relação com a KKK".

Tom Henry, prefeito de Fort Wayne, em Indiana, também negou em um tuíte, afirmando que as declarações são "completamente falsas e irresponsáveis".

Paul Fraim, prefeito de Norfolk, Virgínia, ecoou as negativas.

"A afirmação é absolutamente falsa e difamatória", afirmou Fraim em declaração enviada por email ao Motherboard. "Não há verdade alguma nesta declaração. Não tenho ligações e nunca tive com tal organização. Acho incrível que as pessoas possam se esconder atrás de seus computadores e criar tamanha declaração odiosa e imprecisa."

Já o senador Dan Coats, do Partido Republicano de Indiana), se referiu às informações "lixo internético sem fundamento do pior tipo".

Tradução: Thiago "Índio" Silva