Sexo

Novo livro de ilustrações é um portal para a mente perversa do Marquês de Sade

O homem que baptizou o “sadismo” escreveu e encomendou muita arte erótica que, 200 anos depois, ainda desafia limites.

Por Beckett Mufson
28 Agosto 2018, 9:45am

Composição pelo autor. Imagens cortesia Goliath Books.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE USA.

Dependendo de a quem perguntes, o Marquês de Sade foi a encarnação humana da devassidão, um mártir tipo Larry Flynt da liberdade de expressão, ou algo entre ambos. O lendário cineasta italiano Pier Pasolini achou-o suficientemente interessante para adaptar a sua obra 120 Dias de Sodoma ao cinema, criando um dos filmes mais perturbadores de todos os tempos e há séculos que fascina artistas e psicólogos.

Como Miki Bunge, fundador da editora indie Goliath Books, afirma à VICE: “O Marquês de Sade é a personificação da perversão”. Este mês a Goliath está a lançar 100 ilustrações raras encomendadas pelo infame aristocrata francês, nascido Donatien Alphonse François, num novo livro que é, basicamente, um portal para a sua famosa mente devassa.

É difícil saber exactamente quem é o artista (ou artistas) por detrás das cenas comissionadas pelo aristocrata francês que deu nome ao “sadismo”. Parte do conteúdo da edição, intitulada Marquis de Sade – 100 Erotic Illustrations, parece saído directamente da Bang Bros. Rodeados de paredes decoradas, colunas e arcos, hordas de homens cheios de testosterona e com perucas na cabeça mergulham em emaranhados orgíacos de mulheres. Depois, a coisa fica mais kink.com, com padres a pinar com freiras, duas mulheres a masturbarem-se enquanto vêem um incêndio e outra pendurada no tecto pelos punhos.

Obscenidades desta escala não eram apenas mal vistas na sociedade da época, mas altamente ilegais, portanto não é surpresa que as gravuras não tenham a assinatura de um artista. Quatro anos depois de encomendar estas peças, em 1797, Sade foi preso por Napoleão devido aos seus livros que descreviam este tipo de cenas, Justine e Juliette. Seja lá quem criou as obras gráficas, provavelmente queria evitar o mesmo destino, por isso é tão difícil para Bunge apontar o autor. “Hoje, acreditamos que pelo menos um dos desenhos não é do mesmo ilustrador”, adianta. E acrescenta: “Até onde sabemos, temos no livro toda a arte original dessa época”.

Bunge compilou as ilustrações de tomos do trabalho de Sade publicado nos anos 1970, alguns com mais de 500 páginas, além das ilustrações originais que adquiriu. 100 Erotic Illustrations é pensado como um apanhado mais digerível do legado visual desta figura controversa.

Mas, qual é esse legado? Há séculos que Sade cativa artistas e psicólogos, no entanto, tendo em conta algumas das ilustrações mais fortes do livro, a decisão de Napoleão de o prender até parece razoável. Até Bunge tem dificuldade para definir uma forma de pensar sobre a obra de Sade. “As imagens são bastante explícitas, especialmente para a época”, explica. Talvez o detalhe mais problemático sobre as ilustrações é que a Goliath teve que modificar algumas delas, “especialmente aquelas que envolviam crianças”, para poder publicar o livro em 2018.

Por mais depravado que ele fosse, Bunge defende a importância de Sade no discurso moderno. “Podes ver claramente como diferentes formas de sociedade reagiram e lidaram com o seu trabalho ao longo dos séculos”, justifica. A dado ponto, Sade foi tão apagado da consciência colectiva que os seus próprios descendentes só foram informados da sua obra por um historiador, que os abordou em busca de informações.

A própria conclusão de Bunge sobre o legado de Sade não é satisfatória, mas encaixa-se confortavelmente na área cinzenta entre condenação e complacência. “Acho que o Marquês de Sade foi um milionário que podia conseguir qualquer coisa graças à sua posição. Incluindo assédio sexual e violação. Claro que não podemos aprovar tal coisa”, diz. E conclui: “Todavia, a liberdade de expressão é a base de qualquer sociedade digna. Sendo assim, o Marquês de Sade e tudo o que lida com demonização de conteúdos é, hoje, muito actual”.

Com isto em mente, abaixo podes ver uma selecção de arte (MUITO NSFW) de Marquis de Sade – 100 Erotic Illustrations.

Podes comprar "Marquis de Sade – 100 Erotic Illustrations" pela Goliath Books.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.