Motherboard

Experimentando com implantes de biochip

O biohacker Tim Cannon foi o primeiro a instalar um chip subcutâneo que registra, em tempo real, seus dados biométricos.

A humanidade acaba de dar um pequeno e sangrento passo rumo a um futuro onde todo mundo vai poder fazer upgrades para se tornar um ciborgue. De todos os lugares, isso foi acontecer numa sala dos fundos de um estúdio na cidade pós-industrial alemã de Essen.

Foi lá que encontramos o biohacker Tim Cannon, e o acompanhamos enquanto ele instalava o que provavelmente é o primeiro implante de chip de computador que pode registrar e transmitir dados biométricos. Combinado numa caixa selada com bateria que pode ser carregada wireless, o pacote não é pequeno. E como vimos, Cannon o teve implantado diretamente sob a pele por um colega entusiasta de biohacking, não um médico, e sem anestesia.

Chamado Circadia 1,0, o implante pode registrar dados do corpo de Cannon e transferi-los para um celular Android. Diferente de aparelhos e aplicativos que registram biometria como o Fitbit, o aparelho subcutâneo é de código aberto, e permite que o usuário tenho controle total de seus dados.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.