Drogas

Faz diferença se produtos para a pele contêm CBD?

Testei 40 produtos de skincare com CBD, li todas as avaliações empolgadas, e falei com três dermatologistas para saber se eles realmente funcionam.
24.4.19
Close-up shot of a person holding a small container of lotion.
Eddie Pearson / Stocksy

Você já deve ter percebido que a indústria de bem-estar tem um baita tesão por CBD, um dos compostos centrais que não dá barato da cannabis. Sou uma editora de bem-estar e CBD, antes conhecido como canabidiol, é o ingrediente astro de quase todos os produtos que me mandam de amostra hoje em dia. Já recebi óleos de CBD, chocolate, bala de goma, lubrificante, bebidas com gás, matcha e uma caralhada de produtos para a pele, incluindo hidratantes, máscaras e sabonetes.

Publicidade

Há pesquisas começando sobre os benefícios de ingerir óleo de extrato de CBD para alívio da dor e como ajuda para dormir menos viciante, mas há menos provas das propriedades do composto para a pele. Esses produtos estão sendo vendidos amplamente por aí, mas temos pouca noção de quão seguros eles são, se eles podem mesmo melhorar a pele, ou se estamos só jogando dinheiro fora.

Mas nada tema. Por você, querido leitor ou leitora, eu experimentei todos os benditos produtos de CBD que me mandaram, li todas as afirmações empolgadas que as empresas fazem sobre eles, e falei com vários dermatologistas que sabem detectar conversa fiada sobre os propósitos e eficácia dos produtos para a pele que contêm CBD. Nota: testei os produtos de skincare – hidratantes, séruns etc. – não cremes de CBD para dores musculares.

A maioria dos produtos para pele com infusão de CBD dizem que o canabidiol tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes – sendo assim, é só usá-los e pronto, sua pele vai ficar menos inchada e com uma aparência mais jovem. Agarrei a oportunidade de refutar essas afirmações grandiosas, porque qualquer pessoa que confia na ciência sente o cheiro de groselha estilo Goop sobre coisas que rejuvenescem de longe.

Para o bem ou para o mal, não consegui exatamente desmascarar essas afirmações. Mas encontrei uma perspectiva mais pé no chão e razoável sobre esses produtos.

Primeira coisa: o CBD ainda não foi regulamentado pelo FDA nos EUA. “Como o composto não é regulamentado, a qualidade e pureza de produtos de CBD pode variar muito”, diz Charles Crutchfield, professor de dermatologia da Universidade de Minnesota. “Pesquisas já mostraram que raramente esses produtos contêm a concentração de CBD que diz o rótulo.” (Essa história é tão comum que já tem até um estudo sobre isso nesta publicação médica.) Essa falta de regulamentação é importante porque, claro, a dose é crucial. A absorção geral de CBD pela pele é muito baixa, ele diz, e produtos de baixa qualidade podem tornar essa absorção relativamente ineficaz.

Publicidade

Temos receptores de CBD na primeira camada da pele, nos folículos capilares e nas glândulas de óleo – então há um mecanismo físico de ação para qualquer suposto benefício, diz Kenneth Mark, dermatologista e professor do departamento de dermatologia da Universidade de Nova York. Ele me disse que as pessoas estão empolgadas com as propriedades anti-inflamatórias do CBD porque quase todo problema de pele – de eczema a acne – está ligado a inflamação. Quanto ao CBD ser antioxidante, ele acredita que o composto seja melhor que a vitamina C. “Todo mundo sabe do hype cercando a vitamina C para cuidado da pele”, ele diz. (Eu não sabia, mas é verdade.)

Quando questionei sobre essa história do CBD ser melhor que vitamina C, ele me mandou um estudo que apoia essa conclusão, mas os testes foram em roedores. A maioria dos benefícios do CBD para a pele ainda não foram provados em humanos. A única pesquisa mais reveladora para qual os dermatologistas apontam é de 2017, e mostrava os benefícios de canabinoides para coceira. E nisso posso dar meu parecer, já que usei um hidratante de CBD que realmente aliviou uma queimadura de sol.

A principal pergunta que eu tinha enquanto testava os hidratantes e cremes era: se as marcas estão vendendo esses produtos de skincare (que são bem caros), vale a pena incorporá-los na sua rotina de bem-estar ou só tentar usá-los para tratar um problema de pele em particular? O CBD tem mesmo propriedades preventivas?

Publicidade

No final das contas, há um potencial teórico para o uso de cannabis na dermatologia, mas nada conclusivo ainda, diz Raman Madan, diretor de dermatologia cosmética da Northwell Health e professor de dermatologia clínica da Hofstra University. “Me parece que algumas das melhoras que as pessoas estão vendo, por exemplo com eczema, é porque elas estão hidratando a pele – e o hidratante por acaso contém alguma forma de CBD. É preciso muito mais pesquisa para chegar a uma conclusão definitiva, mas por enquanto eu não veria o canabidiol como cura para qualquer coisa.”

Madan tem um ponto importante aqui: alguns dos hidratantes de CBD contêm emolientes calmantes como mel de manuka, cacau e manteiga de karité. Não tem como saber se é o CBD do produto ou os outros ingredientes que fazem diferença até que haja mais pesquisas formais em humanos.

Mas olha, pesquisa em animais ainda é pesquisa, então se você quer ver se esses produtos têm um efeito positivo na sua pele e tem dinheiro pra gastar neles, manda ver. Acredito fortemente que quando você se empolga com um produto, isso te faz querer cuidar melhor da sua pele no geral. E efeito placebo também não é algo para descartar, já que estudos mostraram que isso pode ter um efeito potente em se tratando da pele.

Dito isso, fiz minha própria “pesquisa”. Mesmo não sabendo como esses produtos poderiam afetar eczema ou condições do tipo, minha pele fica muito seca no inverno e eu estava procurando alguma coisa que parecesse mais hidratante que minha manteiga corporal da Brandless, que custa só cinco dólares e me salvou do cotovelo ressecado.

Publicidade

Dos literalmente 40 produtos que experimentei de graça (estou escrevendo esta matéria desde novembro, porque testei cada produto por vários dias), alguns se destacaram. Gostei do Hand and Foot Cream da Uncle Bud pela viscosidade e perfume – citros mentolado parece meio esquisito, mas o cheiro é de salada de verão e de gênero neutro. O hidratante labial da Veritas Farms era calmante e não deixava aquele resíduo branco estranho nos lábios. O Body Cream da Extract Labs é mais um bálsamo que um creme, substancial mas não gorduroso, e um pouquinho rende bem.

A Kiehl faz o Cannabis Sativa Seed Oil que é leve o suficiente para usar no rosto, deixa uma sensação de bumbum de nenê e tem um cheiro suave parecido com o da gloriosa plantação de cânhamo que visitei uma vez no Kentucky. Aliás, todo óleo de CBD vendido para a pele é bem carinho, e por $49, esse é o único que eu realmente compraria. E por último, esse sérum para os olhos da CBD for Life é muito bom para ressaca – não posso dizer nada sobre as supostas propriedades “anti-idade” de nenhum desses produtos, mas pode ter alguma verdade na teoria anti-inflamatória, porque esse sérum diminuiu mais o inchaço das minhas olheiras do que qualquer outro produto sem CBD que já usei.

Então é isso. Enquanto alguns dermatologistas acreditam que o CBD tem um grande futuro nos produtos de skincare, eles ainda não bateram o martelo. E até eu ver um efeito Benjamin Button mesmo com esses cremes de CBD, vou continuar cética e seletiva.

Matéria originalmente publicada no Tonic.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.