FYI.

This story is over 5 years old.

Noticias

Silêncio na Cracolândia

Agressões, bombas de gás, balas de borrachas e saques de lojas foram registrados.
Foto: André Lucas/C.H.O.C Documental

Na noite de terça-feira (17), a Polícia Militar de São Paulo entrou em um confronto com os dependentes químicos que circulam pela região da Cracolândia, próxima à estação da Luz, na região central da cidade. Agressões, bombas de gás, balas de borrachas e saques de lojas foram relatados. Oito pessoas foram detidas e levadas para a 2ª DP do Bom Retiro e um policial foi ferido por causa de um coquetel molotov e levado para a Santa Casa.

Publicidade

De acordo com a nota oficial da SSP, o conflito aconteceu após a PM intervir em uma em uma briga entre habitantes da Cracolândia e pessoas que participavam de um culto. "No local, eles foram hostilizados com pedras, paus e garrafas por um grupo de pessoas que também depredou uma base da PM e uma viatura da GCM, além de danificarem lojas e um coletivo", diz o comunicado da SSP.

Conflito na Cracolândia. Foto: André Lucas/C.H.O.C Documental

Raphael Escobar, militante d'A Craco Resiste, uma organização que promove atividades com pessoas que vivem no fluxo, estava presente no local e disse que o conflito começou por conta de provocações de alguns membros da Polícia Militar contra os dependentes químicos que ocupam o fluxo. Segundo Escobar, o conflito pode ter começado após alguns usuários responderem as provocações jogando objetos nos policiais.

Usuários fizeram barricadas ateando fogo em objetos na entrada na rua e tacaram pedras e pedaços de paus na PM,  que respondeu com um grande número de bombas de gás e balas de borracha. A Força Tática interviu em peso durante o confronto. Escobar relata que ele e outros membros da organização foram impedidos de entrarem no fluxo e ameaçados pelos policiais. "A gente disse que somos dos direitos humanos e um dos policiais respondeu 'Foda-se'", conta.

Também presente no momento do conflito, o fotojornalista André Lucas presenciou um policial efetuando um disparo de um projétil de borracha contra o rosto de um dos frequentadores da região e outras agressões. Alguns dependentes químicos se dispersaram pela Avenida Duque de Caxias, quebraram um vidro de uma loja próximo à Santa Efigênia e saquearam produtos exibidos na vitrine.

Publicidade

Escobar e Lucas testemunharam detenções da polícia após a depredação das lojas. O fotojornalista conta que chegou a ver policiais pegando produtos de dentro de uma loja depredada e colocando ao lado dos detidos que estavam deitados no chão. O fotojornalista registrou os detidos estirados no chão sem os objetos e depois com caixas de eletrodomésticos posicionadas ao lado deles.

Foto: André Lucas/C.H.O.C Documental

Foto: André Lucas/C.H.O.C Documental

O confronto gerou o cancelamento das atividades de hoje da II Semana da Diversidade da Beleza na Cracolândia que pretende doar kits com itens de higiene básica como absorventes para dependentes químicas que ficam pela região, além de oferecer cabeleireiro e maquiagem para fortalecer a auto estima dessas mulheres. A ação voltará ao normal amanhã (19) e continuará até domingo.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.