Publicidade
Noticias

A VICE News condena o governo turco pela detenção de jornalistas acusados de terrorismo

Dois jornalistas da VICE News foram acusados de terrorismo por um tribunal turco.

Por VICE News
01 Setembro 2015, 8:58am

Imagem por Sedat Suna/EPA

Na segunda-feira o tribunal turco acusou os jornalistas da VICE News e os seus colegas de terrorismo. Grupos defensores dos direitos humanos exigem a liberação dos repórteres.

Os dois jornalistas britânicos, Jake Hanrahan e Philip Pendlebury, encontram-se detidos desde a noite de quinta-feira. Os dois foram presos na cidade de Diyarbakir, no sudeste do país, juntamente com o seu intérprete - um jornalista local que os acompanhava como intérprete e guia - e um motorista, que já está em liberdade.

Kevin Sutcliffe, director de programação de notícias VICE na Europa, condenou a detenção dos jornalistas num comunicado de imprensa.

"Hoje, o governo turco apresentou acusações infundadas contra três jornalistas da VICE News, 'acusando-os de trabalhar em nome de uma organização terrorista', numa tentativa de intimidar e censurar a sua cobertura", disse ele. "Antes de ser presos injustamente, os jornalistas relatavam e documentavam a situação na província turca de Diyarbakir."

"A VICE News condena veementemente as tentativas do governo turco para silenciar os nossos repórteres que cobriram acontecimentos importantíssimos ocorridos na região", disse Sutcliffe. "Continuamos a trabalhar com todas as autoridades competentes para acelerar a liberação de nossos três colegas e amigos."

Algumas organizações humanitárias, incluindo a Amnistia Internacional, PEN International e o Comité de Protecção dos Jornalistas (CPJ, pela sua sigla em Inglês), uniram-se para exigir a libertação imediata destes jornalistas.

"Era absolutamente necessário que os jornalistas cobrissem uma notícia tão importante", disse a Amnistia num comunicado de imprensa. "A decisão de deter os jornalistas foi um erro, e alegar que estavam aliados ao Estado Islâmico carece de sentido e fundamento".

As acusações aconteceram em plena crise de liberdade de expressão na Turquia. Zeynep Oral, presidente da PEN Turquia, disse que é cada vez mais difícil fazer jornalismo no país.

"Tanto o país como a região atravessam um período incertezas, e aquilo de que mais precisamos agora é liberdade de expressão e o direito a saber o que se passa", disse Oral. "Pedimos que seja feita justiça, e que libertem imediatamente os jornalistas que estavam a fazer o seu trabalho."

Alguns dos esforços do governo para aumentar a censura incluem o encerramento temporário de redes sociais como o Twitter e o YouTube - duas plataformas amplamente utilizadas durante a Primavera Árabe, em todo o Médio Oriente e Norte de África, em 2011. A repressão intensificou-se quando o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, perdeu a maioria nas eleições em Junho.

"[Erdrogan] intensificou os seus esforços para pressionar todos os tipos de cobertura crítica e, especialmente, a cobertura dos conflitos cada vez mais importantes no sudeste curdo", disse Maureen Freely, presidente da PEN Inglaterra. "O seu objectivo, como sempre, é controlar a notícia. Se estes jornalistas permanecem na prisão, então terá ganho."

Embora a Turquia esteja cada vez mais determinada a combater os extremistas no Oriente Médio, ainda não se sabe se é boa ideia armar e treinar soldados curdos para lutar contra o Estado Islâmico na fronteira da Turquia com a Síria, por medo a que se unam ao grupo rebelde PKK, que a Turquia considera uma organização terrorista.

Hanrahan e Pendlebury são repórteres experientes. Cobriram juntos a crise da imigração em Calais, o referendo escocês, o republicanismo e muitas outras notícias.

Além de suas contribuições para a VICE News, Hanrahan tem escrito para publicações como o The Guardian, The Independent, e as revistas Wired e Rolling Stone na sua edição para o Médio Oriente. Pendlebury é um editor e cameraman talentoso que filmou no Iraque, no Afeganistão, na Coreia do Norte e noutros países.

Segue a VICE News no Twitter.