“Pior instalação sonora do mundo” vai tocar “Africa” do Toto por toda a eternidade

O artista Max Siedentopf colocou uns alto-falantes no meio do Deserto da Namibia. “Africa” vai tocar no repeat até a instalação ser consumida pelas areias do tempo.
Madalena Maltez
Traduzido por Madalena Maltez
MS
Traduzido por Marina Schnoor
17.1.19
Instalação com Africa do Toto no deserto da Namibia
Foto cortesia do artista.

Talvez um dia a gente se canse do hit gargantuesco de 1982 do Toto “Africa”. Talvez, no futuro, seja difícil explicar para os nossos filhos por que essa foi a música mais tocada da internet em 2017. Ou eles podem perguntar por que o Weezer fez um cover da música em 2018, pulando para o topo das paradas do iTunes e pegando a cobiçada posição 69 da lista de sons do ano do Noisey.

Mas hoje não é esse dia. Não, hoje é o dia que apreciamos essa instalação sonora no Deserto do Namibe, que vai tocar “Africa” do Toto no repeat por toda a eternidade.

A instalação foi feita pelo artista alemão namibiano de 27 anos Max Siedentopf, que disse que queria prestar a “homenagem definitiva” para a música do Toto, a tocando num loop permanente. A obra é formada por seis alto-falantes abastecidos por energia solar, ligados a um iPod que contém uma música. “Alguns namibianos adoraram a ideia, outros dizem que provavelmente é a pior instalação sonora da história”, Siedentopf disse a BBC. “Acho que é um grande elogio.”

Se você tem muito tempo livre — ou se mora perto do Deserto do Namibe — Siedentopf desenhou esse mapa não muito útil para te guiar até a música. É bom tentar ver a instalação antes que a eternidade chegue. “A maioria das partes da obra foram escolhidas para ser o mais duráveis possível, mas tenho certeza que o clima do deserto vai acabar devorando a instalação eventualmente”, ele disse a BBC.

Siga o Alex Robert Ross [solinho de teclado] no Twitter.

Notícia originalmente publicada no Noisey US.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.