O Tiny Desk da NPR não tem nada de pequeno
Música

O Tiny Desk da NPR não tem nada de pequeno

Celebrando dez anos, a série da NPR já conta com mais de 700 apresentações, de T-Pain a Wilco e Adele, superando os 80 milhões de visualizações no YouTube.

“Quem é descuidado com a verdade em pequenas coisas não é se confiar quando lida com assuntos importantes.”

—Albert Einstein

Na era das tais fake news, nós enquanto cidadãos temos o dever de cobrar a imprensa: independente de ser jornalismo político ou de entretenimento, o que importa é a verdade e não há fato pequeno demais que não mereça ser apurado. Logo, é complicado notar que, ao longo de uma década, um dos mais respeitados veículos de comunicação dos EUA tem enganado seu público: desde 2008, a National Public Radio apresenta uma série de apresentações musicais ao vivo chamada Tiny Desk Concerts (concertos na mesinha, numa tradução livríssima), com artistas de todos os gêneros, tocando atrás de uma mesa de escritório abespinhada de tralhas na sede da NPR em Washington. Em seu décimo ano de atividade, a série já conta com mais de 700 apresentações, de T-Pain a Wilco e Adele, superando a marca de 80 milhões de visualizações no YouTube. Após rever horas de imagens, bater um papo com fontes próximas à bendita mesa e analisar fotos, fica bem claro que o “tiny desk” não tem nada de pequena.

Publicidade

Muitos que estiveram do outro lado da mesa comentam do engodo por trás de seu nome. Alex Luciano, do Diet Cig, banda que tocou num Tiny Desk Concert em 2017 , conta que ela e seu colega de banda Noah Bowman muitas vezes falam sobre “como a mesa não é nada pequena”. De acordo com a Alex, a mesa é bem razoável. “Parecia uma mesa em L comum”, afirma, “mas com uma estrutura melhor do que esperávamos”. De fato, a mesa é grande o bastante para acomodar Alex, com seus 1,62m de altura, que subiu na mesma durante a apresentação de sua banda.

“Na real era uma mesinha bem razoável em termos de tamanho”, disse o artista country Sturgill Simpson, apesar do assento que lhe foi fornecido para sua apresentação em 2014 ser bem diminuto. “Lembro que em determinado momento pensei que eles deviam chamar aquilo de Tiny Stool Concert [Show do Banquinho].”

Na real era uma mesinha bem razoável termos de tamanho — Sturgill Simpson

De forma a melhor analisar melhor a Tiny Desk e sua estrutura física, primeiro é preciso determinar o que seria uma mesinha em termos de tamanhos de mesas. A comerciante de móveis de escritório Office Depot lista três tipos de mesa para venda em seu site. A seção “Grande” conta com mesas de mais de 1,50m de largura, já a “Média” varia entre 0,75 e 1,50m, com a classe “Pequena” oferecendo mesas com 0,75m de largura pra baixo. Uma das mesas disponibilizadas nesta categoria tinha lá seus 40cm de largura, logo, cabe afirmar que qualquer mesa para ser considerada “pequena”, tem que ter menos de 75cm. Mas fotos da Tiny Desk da NPR mostram uma outra história.

Publicidade

Jason Isbell, que em junho de 2016 disse a um fã no Twitter ter 1,85m de altura, participou de um Tiny Desk Concert em agosto de 2017 . Supondo que Isbell estava sendo sincero quanto à sua altura (duas fontes confirmam a afirmação), e supondo que ele não tenha ficado mais alto ao longo dos 14 meses que se passaram entre estes dois eventos (homens geralmente deixam de crescer aos 18; Isbell tem 39 anos), consideremos sua estatura como referência para medição da mesa.

Temos aqui uma foto de Jason Isbell atrás da mesa:

E aqui a suposta altura de Isbell, deixando de lado a mesa:

Agora comparemos estes 1,85m com o comprimento da mesa:

Claramente Isbell se encaixa direitinho à esquerda da mesa, o que significa que este lado tem ao menos 1,85m de comprimento, sem contar seu lado direito, que provavelmente seria um pouco menor tendo em vista que a mesa já foi descrita como possuidora de formato em L. Ainda assim, a tal Tiny Desk teria pelo menos um Jason Isbell e meio, o que dá uns 3,70m e a torna grande demais para ser classificada como “pequena” levando em conta os padrões utilizados na medição de mesas.

E isso só pra falar da mesa em si: caso consideremos todo o espaço atrás dela, chamá-la de “mesinha” faz menos sentido ainda. Isbell se apresentou junto de cinco membros de sua banda, a 400 Unit, e até convidou uma pessoa da plateia, Ashwin Wadekar, pra tocar guitarra. É possível então afirmar que a área da mesa é capaz de acomodar até sete adultos de estaturas diferentes, um deles tendo 1,85m de altura. Não tem nada de pequena mesmo.

Publicidade

A banda de sete adultos de estatura média de Isbell nem mesmo foi o máximo que o Tiny Desk já recebeu: já houveram participações de grupos maiores como Polyphonic Spree , o grupo acapella de dez integrantes Afro Blue , uma banda de metais de 11 integrantes , a banda Mother Falcon e seus 17 membros , bem como as 23 pessoas que formam o Mucca Pazza . Isso que nem estamos falando dos instrumentos, que vão de tubas até o piano de 400kg do Chick Corea .

Mucca Pazza, com todos seus 23 integrantes, por trás da "Tiny" Desk.

Gabby Smith, que já tocou no Tiny Desk duas vezes, uma delas com seu projeto Eskimeaux (agora conhecido como Ó) e com o Bellows , comenta que por mais que a mesa não seja de fato pequena, ela parece. “A mesa em si é normal e realmente tudo se passa num cubículo, coisa que eu não esperava”, revelou ao Noisey. “Mas assim que você tenta enfiar toda a sua banda e equipamento ali e a passagem de som fica cada vez mais silenciosa, parece mesmo muito apertado."

Vários outros artistas altos já falaram do tamanho comum da Tiny Desk. “Não lembro da mesa em si, o que sugere que ela é pequena o bastante pra não deixar nenhuma impressão profunda”, comentou Frank Turner, cantor de 1,92m, que se apresentou no Tiny Desk Concert em 2013. Quando questionado se a mesa era diminuta o suficiente para ser lembrada por tal característica, Turner afirmou: “Creio que não”.

“Eu tenho 1,95m e ao vê-la de perto, considerei-a uma mesa de tamanho bem comum”, disse Ben Walsh, do Tigers Jaw, que tocou em um Tiny Desk Concert em 2017 , "apesar de que não posso deixar de lado a possibilidade de eu mesmo ter encolhido temporariamente”. (Funcionários da NPR confirmam que a mesa pode ser movida, mas geralmente oferece um espaço de 3x2m.)

Publicidade

A Tiny Desk oferece espaço suficiente para um piano e um vibraphone.

Antes da NPR se mudar para a 1111 North Capitol Street, NE em 2013, a série Tiny Desk Concert era filmada em sua antiga sede, 635 Massachusetts Avenue, NW. A mesa atual é, inclusive, maior que a antiga, de acordo com alguns funcionários da própria NPR. A mesa nem mesmo é menor que as outras do escritório, dizem.

A proporção inacreditavelmente mediana da mesa parece ser um segredo que todos da indústria conhecem. “É maior que a minha mesa!”, disse um agente de Nova York que não quis revelar a identidade para proteger seus clientes. “São quase como se duas mesas médias tivessem sido colocadas juntas em L. Meu escritório provavelmente caberia ali."

Os Tiny Desk Concerts tem sido pauta em veículos como The Washington Post, Forbes e The Ringer. Mas cada um destes textos foca na impressionante influência da série ou seus criadores, o redator da NPR Stephen Thompson e o dono da mesa, o apresentador do programa All Songs Considered Bob Boilen, mas nunca focando no elefante branco que é o tamanho da mesa.

“O nome da série é uma referência não só ao tamanho do palco e dos shows, mas também à história de seu apresentador”, disse Thompson em um email. “Mas assim como o programa de Bob chamado All Songs Considered não leva em consideração TODAS as músicas, sua Tiny Desk realmente não tem nada de pequena. O que estou dizendo é que Bob é uma fraude."

No final dos anos 70, Boilen formou a Tiny Desk Unit, descrita em seu livro Your Song Changed My Life de 2016 como “uma banda de dance psicodélico”, mas nunca explicou o porquê daquele nome. Em participação no programa CBS This Morning em 2015, porém, Boilen confirmou que a sua finada banda havia sido inspiração para o nome da série Tiny Desk Concert, que o mesmo explicou em entrevista à Vox em 2016 ter começado como uma piada interna: “Nosso amigo Bill tinha uma bandejinha com um calendário e um porta-lápis, que ele levava pra cima e pra baixo. Era a mesinha dele."

Publicidade

Passados quarenta anos, o golpe da “Tiny Desk” continua sendo uma piada interna pra galera do metiê, de acordo com fontes. Conor Oberst encerrou seu show no Tiny Desk em 2014 ao dar um presentinho a Boilen, uma peça de mobília em miniatura. “É uma mesinha mais inha ainda’, disse a um Boilen risonho.

Conor Oberst, detrás da Tiny Desk, dando uma mesinha ainda menor de presente a Bob Boilen.

Mas esta piada é feita às custas de quem? Diferente de muitos outros veículos de propriedade privada, a NPR não tem fins lucrativos e faz parte da Corporation for Public Broadcasting, grupo que recebe subsídios federais e aloca 450 milhões de dólares anualmente para serviços de transmissão públicos.

“Gosto da série Tiny Desk, mas enquanto contribuinte acabo me sentindo meio enganado pelo seu nome”, disse-me um fã de música. “Ainda mais se a mesa em questão nem é pequena."

Dan Ozzi é redator do Noisey, cobrindo sempre as últimas tendências de mobiliário de escritório dentro da música. Siga-o no Twitter.

Matéria originalmente publicada no Noisey US.

Annalise Domenighini e Colin Joyce colaboraram com este artigo.