VICE Sports

A 'Revolta da Pizza no Canindé' mostra que o brasileiro cansou de sofrer

Sem gol, sem borda.
Crédito: Brunno Marchetti Montagens Artísticas

A Portuguesa vive seu momento mais tenebroso em 97 anos de história. Fora até da quarta divisão do Campeonato Brasileiro, o clube está muito distante do período recheado de glórias. Craques como Roberto Dinamite, Basilio, Dener e o esquadrão vice-campeão de 96 deram lugar a um elenco desmotivado que briga para não cair na série A2 do Paulistão.

O torcedor, como é de se esperar, está exausto de tanto apanhar. Nesta terça-feira (30), depois de perder por 3 x 0 para o Oeste pela quinta rodada do Paulistinha, alguns membros decidiram protestar contra o elenco e meteram o louco: apropriaram-se das pizzas que seriam entregues aos jogadores depois da partida.

Publicidade

A ação foi planejada com esmero. A pizzada lusitana, bem menos glamurosa que a do Faustão, é tradicional após as partidas da Fabulosa. Cientes disso, os revoltados torcedores não tiveram dificuldade em realizar o plano com requintes de política nacional: via interceptação e suborno.

Eles perceberam a chegada do motoboy com as redondas — os sabores não foram identificados pela reportagem, mas seria uma boa piada se fosse de portuguesa — e deram R$ 300 para deixá-las ali mesmo. Segundo relatos publicados no Netlusa, eram 10 caixas. Quatro foram entregues a funcionários do clube, o que pode ser interpretado como ato de bondade, e as outras seis devoradas ali mesmo.

Segundo o site, um dos torcedores ainda brincou com a cena. “Não jogam nada e ainda querem comer?”

Não há detalhes sobre os envolvidos, nem sobre a repercussão do ocorrido entre os jogadores. O fato é que, com três derrotas, um empate e apenas uma vitória, o time que já esteve entre os grandes do futebol paulista padece de dinheiro, elenco e prestígio. A Lusa volta a campo no dia 10 de fevereiro, às 11h, contra o Votuporanguense, em Votuporanga, e precisará de um esquema melhor para a entrega da comida em caso de derrota.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Portuguesa respondeu que "o clube não vai se pronunciar no momento sobre isso".

Não está fácil.