Música

Exclusivo! Ouve a primeira canção da estreia a solo de Rodrigo Cavalheiro

O músico dos Born a Lion e Country Playground agarrou no violão e armou-se de palavras em português para criar “Carta para Falsidade”, o primeiro avanço do álbum “Passarela de Relâmpagos”.

Rodrigo Cavalheiro tem sangue de cavaleiro andante. Chegou a Portugal, vindo do Brasil, no final dos anos 90. Desembarcou em Lisboa, apanhou um expresso para Leiria, onde fez escala antes de partir para a Guarda, cidade que lhe assegurava trabalho. Na única noite que passou em Leiria, ficou na pensão mais ranhosa da cidade (alguém tinha lá morrido de overdose há pouco tempo), onde lhe roubaram a aliança do seu estado de, então, ainda casado.

Publicidade

O primeiro sítio onde entrou foi num bar chamado Arts, onde se ouvia rock e se conversava sobre música ao balcão. A primeira conversa decente que teve em Portugal foi sobre o facto de, no Brasil, a malta indie ouvir Pavement e Guided By Voices, enquanto que, na Europa, ouvia mais Jesus & Mary Chain ou Joy Division.

No dia seguinte partiu para a Guarda com a certeza de que nunca mais ia estar com essas pessoas. Não só não era verdade, como até viria a tocar mais tarde com uma delas numa banda chamada Born a Lion. Este é apenas um pedaço da história que Rodrigo terá de escrever um dia, pois a sua vida tem tido muitas peripécias.


Vê: "O rock de ginga na anca dos The Twist Connection"


Mas, o que se pode escutar neste trabalho é, maioritariamente, a sua vida antes de abandonar o Brasil, a mulher que o deixou, a mãe que Rodrigo tanto ama e que foi a primeira a dizer “Reage, moleque!“, as desilusões, as angústias, aquela vez quando ainda era menino em que encontrou um homem morto.

Gravado nos Black Sheep Studios, em Sintra, com produção e arranjos de Afonso “Sean Riley” Rodrigues e Guilherme Gonçalves, este é um trabalho cantado em português, de alguém que tem coração gótico e pensamento enraizado no candomblé, onde Rodrigo Cavalheiro é o orixá de serviço. Musicalmente está muito longe dos seus rockers Born a Lion (BAL), ou dos mais recentes Country Playground, mas a negritude está lá toda.

Publicidade

E se, em 2006, os BAL cantavam "At the crossroad I sold my soul, but the Devil don’t let me go “your home is here, you won’t be alone”, qual pacto com o Diabo a la Robert Johnson, aqui as histórias são altamente biográficas.

Num mundo de prateleiras e de rótulos, sim, vai ser difícil catalogar este trabalho, mas o que Rodrigo propõe é, precisamente, a possibilidade de espanto. Aqui, a impossibilidade de conforto abre portas à consequência de se fazer à estrada e dizer olá à vida malvada, como na canção dos Xutos. A VICE Portugal estreia em exclusivo “Carta para Falsidade” (que podes ouvir acima), o primeiro avanço do disco Passarela de Relâmpagos, que sairá no início de Março, em edição de autor e cuja digressão será apenas com Rodrigo Cavalheiro e o seu violão. Pela estrada fora.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.