Publicidade
Food by VICE

101 maneiras de estragar uma festa

Todas as formas memoráveis de acabar com aquela cena especial que tanto trabalho deu a alguém para preparar.

Por Joel Golby; fotos por Bruno Bayley; Traduzido por Madalena Maltez
11 Maio 2018, 3:51pm

Todas as fotos por Bruno Bayley.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE UK.

Provavelmente já estiveste numa festa em alguma altura da tua vida. Se não: eh pá, foda-se, então? O que é que estás aqui a fazer? O resto pode ficar. Festas são divertidas, festas são fixes. Festas, normalmente, são sítios onde tens aquela primeira vez: o primeiro beijo, o primeiro dedo, a primeira moca, a primeira conversa frenética mocada, a primeira vez que fumaste mais do que, afinal, aguentas. Festas acontecem em todas as fases da vida: na época do insuflável e dos trampolins, da rebeldia adolescente, da apatia dos 20 e poucos anos, de fazer 30 e fumar charros por causa disso. Bem, tu sabes o que é uma festa. Não vou explicar mais.

Mas, festas também podem correr mal e, normalmente, a culpa é tua. Festas giram em torno do etéreo e frágil clima central e podem ser estragadas irreversivelmente por qualquer cagada (tua). Derrubas sem querer uma lâmpada cara, por exemplo, ou bebes uma garrafa de vinho proibida. Acabas a arrancar uma porta do armário da cozinha. Fazes alguma atrocidade na casa-de-banho. Tentas falar de política. Há muita coisa que pode acabar com uma festa e, quando isso acontece, não há como desfazer a merda feita.

Pensa neste texto não como uma lista engraçada, mas sim como um conjunto de directrizes. Lê todos estes pecados e nunca os repitas à face da Terra. Aqui vão 101 maneiras de estragar a festa.

A casa-de-banho

1. Se vais fazer sexo na casa-de-banho, não demores mais que cinco minutos. Se vais fazer sexo por mais tempo que isso, é melhor saíres e curtires a adrenalina de mandar uma na relva molhada de orvalho.

2. Se é para dar em drogas na casa-de-banho tem que ser rápido, OK? No geral toda a gente odeia quem se senta na banheira com a porta trancada, a falar do quanto está alucinado, quando as pessoas precisam realmente é de mijar.

3. Não cagues em festas.

4. Não vomites na retrete.

5. Não vomites na banheira.

6. Sobre vomitar em festas, um guia rápido: não o faças, nunca.

7. Não vomites num vaso de plantas (sei lá porquê, mas bêbados acham sempre que é subtil vomitar num vaso de plantas).

8. Também não vomites pela janela. Nunca corre bem.

9. Bom, acho melhor voltar um pouco atrás e falar sobre a coisa de cagar: não cagues na casa-de-banho, como já falei, mas também não cagues noutro lugar que não seja a casa-de-banho. Um funcionário anónimo da VICE contou-me que alguém cagou, tipo, num canto de uma festa que deram aqui. No cantinho da parede. Não faças isso. Tipo: Porquê cagar no chão? Estou à procura de um motivo. E quão fora tem alguém de estar para cagar no chão? Numa festa. Enquanto outras pessoas estão lá. Como?

Drogas

10. Existe mesmo essa coisa de “queimar a largada com ketamina”?. Não acabes com a festa antes de ela começar ; dá sempre merda. (Uma boa regra apra isso: dizem que a “hora K” é bem depois de o sol se pôr).

11. Também não convides um dealer. Eu sei que já estás um tanto passado e a tentar ser simpático, mas a vibe fica muito pesada, desculpa. O traficante é sempre aquele gajo estranho a fumar descaradamente a um canto, mesmo quando toda a gente sabe que a regra é fumar lá fora.

12. Não fiques "para lá de Bagdad" e comeces a perguntar a toda a gente se gostam da tua conversa: mesmo se a pessoa gostar mesmo de ti, ela vai deixar de gostar depois de 20 minutos a falar sobre se gosta de ti ou não, o que envolve tu quase a chorares duas vezes e mesmo a chorar uma e a dizeres a dada altura “Eu não sou um gajo mau, sabes? Não sou. Sou boa pessoa, sabes? Mas não sou... tipo... um mau gajo”.

13. Talvez isto seja muito pessoal, mas: não fiques em altas e a perguntar a toda a gente “Qual é o maior arrependimento da tua vida?”. Nada acaba mais rapidamente com o bom ambiente que isto.

14. Qualquer pessoa que tenha uma opinião sobre erva, que renda uma conversa de mais de um minuto deve ser escoltada pra fora da festa. Melhor ainda, do país.

15. Overdose na festa: A Grande Bad Vibe™

16. Se vais dividir droga com alguém numa festa quando compraste um grama (ou qualquer que seja a escala: dois gramas para quatro narizes) não sejas forreta na hora de dividir. E não tentes usar as drogas dos outros, porque isso dá sempre discussão e ser expulso da festa por cheirar meio grama de uma raspadinha amassada é a coisa menos fixe que alguém pode fazer na vida.

17. Por favor, não peças drogas aos outros. É feio.

Sexo

18. Sexo pode ser complicado, porque há sempre alguma coisa no ar nas festas – uma excitação no próprio oxigénio, onde toda a gente se está a divertir e a rir – e isso deixa toda gente com tesão. Mas, também: ficar com tesão pode ser a coisa menos cool da Terra, por isso é complicado, não é?

19. Acho que toda a gente concorda que tentar engatar alguém, a menos que a pessoa se mostre muito interessada, é um claro “não”. Se sentiste uma vibe “não, obrigada” é melhor saltares fora e preparares uma vodka com coca-cola sem gelo, sozinho na cozinha. Talvez chamar um Uber depois e voltar para casa, sozinho.

20. Dito isto, às vezes festas são um bom momento para engatar alguém com quem já andavas em conversações antes e, novamente, tens que sacar a vibe.

21. Eu acho que pinar na cama de um estranho (ou mesmo do teu amigo) numa festa é um crime que merecia pena de morte (se algum amigo meu pinar na minha cama, eu mato-o! Se te vieres no meu cobertor, eu mato a tua mãe!), mas algumas pessoas adoram esse tipo de coisas.

22. Acho que a regra aqui, sinceramente, é: não faças sexo em festas a menos que seja absolutamente necessário. Absolutamente. Necessário.

23. Sei que pode ser divertido entrar num armário apertado, ou num quarto trancado para dar aquela rapidinha ilícita, mas acho que esse comportamento precisa de acabar, desculpa.

24. OK, última, mas aqui vão as razões porque isso não é na boa:

a) Vamos encarar a verdade, vais estar no quarto ou na casa-de-banho de alguém e nenhum de vocês vai estar realmente confortável, tanto emocional como fisicamente.

b) Nove em dez vezes alguém vos vai apanhar e acabar por ver a cara ridícula que fazes quando te vens.

c) Vai ser impossível acabar, porque vocês sabem que alguém vai aparecer, a não ser que curtas esse tipo de coisas e, nesse caso, vai fazer sexo no mato como uma pessoa normal.

Conversas

25. NÃO fales sobre trabalho, por favor.

26. Não percebes quão chato é o teu trabalho? O teu trabalho é chato "p'ra cacete". Estás numa festa para esquecer a realidade da vida, não fiques a reclamar “daquela menina da revisão” que te “manda muitos e-mails”. É só apagar!

27. E isso vale para política também. A sério, ninguém quer ouvir as tuas opiniões enquanto tenta aquecer umas merdas no microondas.

28. Isto não é uma coisa “estraga festas” em si, mas é um bom conselho para melhorar a tua vida: não planeies fazer QUALQUER COISA, com QUALQUER PESSOA, nunca, numa festa em casa de alguém.

29. Evita sempre que puderes ser aquela pessoa que depois de três cervejas acha que precisa de ficar extremamente perto da tua cara para conseguires ouvir o que ela está a dizer.

30. É razoável pedir a quem quer mostrar vídeos da Internet – quem pára a conversa para procurar e mostrar vídeos da Internet – para se retirar da festa.

31. Uma boa maneira de estragar a festa é ser apanhado naquela conversa chata de 45 minutos num canto, com alguém que fica a insistir para irem falar lá para fora, porque a música está muito alta para continuar aquela conversa que tu nem querias ter começado.

Fumar

32. Sei lá porquê, mas a área de fumadores improvisada de uma festa acaba sempre por se transformar numa festa paralela. E tudo bem. Mas, quando chega ao ponto em que quem não fuma tem que ficar cá fora para se envolver – ou seja, quando a festa paralela rouba a vibe da festa principal real – tens um problema em mãos que só pode ser resolvido com um extintor de incêndio.

33. Ficar a cravar cigarros à pessoa do lado quando tens uma cena aberta 24 horas na esquina é falta de educação, não faças isso.

34. Por favor, não fales sobre vaping.

35. Se alguém usar uma daquelas tuas velas giras ou um dos teus pratos de louça como cinzeiro, a festa acabou.

36. Isso também vale para quem deita a cinza do cigarro para o chão como um animal.

Porrada

37. Cenas de porrada são incríveis e ver dois gajos bêbados a trocar sopapos no asfalto molhado de chuva, ao som dos barulhos de uma festa, é uma das poucas diversões gratuitas que sobraram no Mundo.

38. Sabes quando dois gajos estão à porrada, mas ninguém quer realmente dar o primeiro soco, então ficam só a agarrar-se agressivamente até que a camisola do gajo que está em cima acaba a subir, toda a gente lhe vê o rabo e, automaticamente, ele perdeu? É muito bom.

39. Mas não, a sério, não tragas confusões já formadas para uma festa: qualquer porrada que começar tem que ser orgânica.

40. Além disso, se houver uma luta, tem que acabar rápido e os envolvidos têm que se ir embora imediatamente depois, mesmo se for muito engraçado. Precisas de um gajo que anda no ginásio a fazer de juiz e tem que haver pelo menos cinco mulheres para se meterem no meio se as coisas aquecerem, a gritarem “ISSO NÃO VALE A PENA!”.

41. As regras: sem garrafadas, sem atacar os dentes, sem ferimentos sérios. Sair da festa com um colar cervical não é na boa.

Brincadeiras e actividades em geral

42. Não pares a festa a meio para fazer um discurso.

43. Jogos para beber são coisa de universitários. E só de universitários.

44. Teoria: acho que é possível estragar a vibe de uma festa com antecedência planeando demasiado as coisas no Facebook, por isso qualquer coisa que vá muito além da notificação inicial “a festa vai ser dia tal, hora tal, em lugar tal”, significa que o evento vai ser uma merda, com cada publicação adicional a fazer diminuir o número de confirmados e a piorar a festa pouco a pouco.

45. Estranhamente, isto é uma faca de dois gumes, porque o facto de não organizar bem a festa também pode estragar a vibe. Mandar uma mensagem ao teu grupo três meses antes a pedir para as pessoas reservarem a data do teu aniversário e depois não organizar porra nenhuma até um dia antes, vai dar merda. Tens que, ao mesmo tempo, planear e não planear a festa.

46. E nada de festas temáticas, nunca. Por favor.

47. Pequenos furtos estragam qualquer festa. Roubar coisas numa festa em casa de alguém é um pecado que tem o seu próprio círculo no inferno.

48. É melhor não ter um gato nervoso na festa: os bêbados ficam tristes porque querem interagir com um animal fofinho e o gato também fica furioso.

49. Também não aconselho ter qualquer tipo de peixe vivo numa festa, porque ele vai morrer.

50. Também não é uma boa ter um cão na festa. Nunca devias ter um cão numa festa. Cães são seres puros e inocentes que não merecem ver ninguém a cheirar uma linha num espelho que estava no quarto de alguém, todo sujo de maquilhagem, agora está lá o ser humano a ficar louco com uma combinação de cocaína barata e iluminador e um cão estar a ver tudo isto é triste.

51. NÃO FAÇAS UMA TATUAGEM NUMA FESTA. NÃO CONFIES NUM GAJO QUE LEVA A SUA MÁQUINA DE TATUAGENS PARA A FESTA EM CASA DE ALGUÉM. NUNCA FAÇAS UMA TATUAGEM NUMA FESTA.

Beber

52. Se te vais voluntariar para ser o “herói da meia-noite” que vai comprar cerveja quando os sítios mais próximos já fecharam, tem a certeza que vais conseguir cumprir a missão e voltar meia hora depois porque, bom, essas coisas acabam sempre com três pessoas muito bêbadas a distrairem-se, a apanharem um Uber para uma loja de conveniência a duas horas de distância e, quando voltam, já toda a gente se foi embora, adormeceu ou está a ver vídeos psicadélicos no YouTube, a beber um gin puro e a falar sobre as suas melhores experiências de festival. E agora ninguém quer três gajos bêbados com quatro sacos de latas a cantar “OLÉ OLÉ, OLÉ OLÉ” e a recomeçar esta noite triste.

53. As principais bebidas de festa são: cerveja e vodka barata misturada com qualquer coisa. A equipa B de bebidas só entra em campo quando as coisas acima acabam: gin, ou o colega de apartamento mais sossegadito, que vai ao quarto e volta com uma garrafa de whisky. Nada de champanhe, OK.

54. Na minha humilde opinião, beber aquele álcool podre que ninguém gosta é o verdadeiro espírito da festa e o cocktail das duas da madrugada de “licor de café e leite desnatado” tem que ser apreciado. Dito isto, se ficaste sem bebidas depois da meia-noite e não tens nenhum plano de emergência, fodeste-te.

55. Não tenhas uma “zona de cocktails” nem nada do tipo.

56. Não tenhas um balde de ponche colectivo; beber qualquer tipo de ponche é tipo beber água da sanita.

57. Sabes aquele gajo estranho que traz duas garrafas de uma cerveja que ninguém nunca ouviu falar enquanto bebe a cerveja boa dos outros? É na boa pedir-lhe para se ir embora e para nunca mais voltar.

Música

58. Músicas de moca são óptimas, mas têm de ser monitorizadas. Toda a gente tem uma música de moca – a minha é “Radar Detector”, de Darwin Deez, que o meu corpo se sente obrigado a ouvir quando fico muito fora (se não sabes qual é a tua música de moca, é “Mr. Brightside”) – e tens uma hora de amnistia de músicas de moca entre as duas e as três da manhã, mas depois tens de parar imediatamente.

59. Da mesma forma, se um gajo insiste em tocar uma “set list de dance javarda” do YouTube às três da manhã e fica sentado de perna cruzada em frente ao notebook para ninguém mudar, o resto da festa tem o direito de conspirar para encher o tipo de porrada.

60. É bom ter alguém no comando da música durante algum tempo, mas não deixes a pessoa ser chamada de “o DJ”, porque o poder vai subir-lhe directamente à cabeça.

61. Pessoa que fica a pedir para aumentar o volume: é melhor pedir para sair.

62. Pessoa que passa o tempo a baixar o volume: é melhor pedir para sair.

63. Qualquer pessoa que agarra um cabo auxiliar da mesma forma que um guarda-redes frangueiro tenta desesperadamente defender as bolas: é melhor pedir para sair.

64. Qualquer pessoa que decide ser o MC – tens que lhe pedir para sair.

65. Pessoa que tenta cantar qualquer rap que esteja a tocar: ofensa grave, amigo. Podes sair.

66. Não ponhas “Ignition (Remix)” a tocar em nenhum momento – é uma música boa, mas as conversas que vão surgir depois não valem a pena.

67. Não deixes ninguém pegar numa guitarra.

68. Não queiras tocar com a tua banda na festa.

69. Esta vai especialmente para o gajo da VICE US que veio a uma festa a minha casa e pôs The Doors (???), disse “Não, malta, saquem das notas!” e depois fez a dança da minhoca no chão.

Localização

70. Se estás na festa em casa de alguém, fica onde estás e não estragues tudo. Nada dá mais cabo da onda que gritar “toda a gente para minha casa, agora!” e passar 15 minutos a organizar uma frota de Uber para outro sítio.

71. Não tranques a porta; isso só torna a coisa toda mais interessante para mim e eu VOU ACABAR POR ENTRAR de qualquer maneira.

72. Além disso, limpa o teu quarto se vais receber pessoas, seu porco. Não quero ver a tua colecção de DVDs espalhada pelo chão com um prato sujo no meio.

73. Dito isto, nada estraga mais uma festa do que alguém que fica a mudar vasos de lugar e a trocar os copos de vidro das pessoas por copos de plástico.

74. Se estás a dar uma festa, aceita que vais ter pelo menos uns 100 paus de prejuízo em tua casa, e fica em paz com isso ainda antes de alguém abrir a primeira cerveja.

Duração

75. Sabe quando acabar a cena. Acabar com a festa à meia-noite: muito cedo. Acabar às seis da matina: um bom horário, toda a gente a ir embora enquanto o sol vai lentamente surgindo no céu. A festa continua depois das 15h00 do dia seguinte: homem, sai daí, vais morrer.

76. Não sejas “o estranho que dormiu no sofá”.

77. Quando for claramente hora de ir embora, não faças aquilo de “como é que eu chego a casa? / o meu telemóvel morreu / não, espera, acho que o perdi / onde fica o multibanco mais perto / faz-me um mapa do caminho / podes chamar-me um Uber? A minha app não está a funcionar”; é muito chato para toda a gente envolvida.

Comida

78. Pedir pizza numa festa parece uma boa ideia, mas não é.

79. A mesma coisa vale para salgadinhos. Qualquer tigela com salgadinhos vai acabar cheia de cerveja que alguém entornou sem querer. E qualquer comida que não for salgadinhos vai acabar no chão e a ser pisada no tapete. Na verdade, também vai acontecer o mesmo com os salgadinhos. É uma boa esvaziar o frigorífico antes de uma festa, porque de certeza que algum bêbado vai atacar o teu pote de alcaparras.

Lista de convidados

80. Não leves o teu namorado seca.

81. Não leves alguém que provavelmente vai acabar sozinho na festa, porque não conversa com ninguém e vai ficar apenas a mexer no telemóvel.

82. Não leves as metades de um casal que saiu uma vez. Não interessa se os teus grupos de amigos se sobrepõem – escolhe um lado e fica na boa.

83. Não convides alguém que não conhece ninguém. A pessoa vai ficar a noite inteira a seguir-te, a beber cerveja em silêncio e à espera que a apresentes a toda a gente.

84. Não convides oito pessoas de uma equipa de skate francesa que não conhecem ninguém, não vão falar com ninguém, vão beber a cerveja toda e depois bazar.

Chorar

85. Não chores na minha festa.

Morrer

86. Não morras ou tenhas qualquer emergência médica séria numa festa.

Os vizinhos

87. Se os vizinhos baterem à tua porta a pedir para baixar o som, lembra-te que eles provavelmente passaram umas três horas a revirar-se na cama, lutando contra a ideia de reclamar – “Eles vão embora daqui a pouco”, a pessoa ficou a pensar, “não pode durar muito mais” – até que finalmente ganhou coragem para bater à tua porta e vai continuar a bater a cada 20 minutos, enquanto tu concordas em baixar o som cada vez mais, mas a pessoa vai chamar a polícia ainda assim.

Se os vizinhos baterem à tua porta para reclamar, muda a festa instantaneamente para o modo “chill” e manda toda gente na área de fumadores calar a boca. Isso vai poupar-te uma noite inteira de agravantes e um ano de gente passivo-agressiva a bater no tecto sempre que aumentares um pouco o som da TV.

Dress code

88. Chinelo de dedo: não.

89. Não fiques nu: essa nunca é a vibe.

90. O mesmo vale para transformar a festa numa orgia: não calha bem. Mas, se quiseres, podes.

Notas e errata

91. Se há uma maneira de passar o YouTube para a tua TV, sugiro que desligues isso antes de começar a festa. A única coisa que as pessoas vão meter a tocar é música má.

92. Se alguém ligeiramente famoso aparecer, cancela a festa e pede para toda a gente se ir embora. Agora já fostes.

93. Por alguma razão, em seis de cada 10 festas há algum bêbado que tenta fazer uma pizza no forno. É a tua obrigação identificar quem vai ser o gajo e impedi-lo antes que o alarme de incêndio dispare.

94. Verifica sempre se não há latas de cerveja no congelador. Há sempre alguém que coloca lá as suas latas para “ficar fria mais depressa”, esquece-se e tu acabas com cerveja congelada no congelador.

95. Saltar do telhado para a piscina – se a tua festa está, aparentemente, a acontecer num cenário de filme adolescente norte-americano rico – é sempre má ideia.

96. Algum bêbado vai insistir em ajudar-te a arrumar a casa antes de ir embora e tu vais achar que é na boa, mas 45 minutos depois a pessoa ainda lá está, confusa, a segurar o lixo reciclável quando tu já só queres ir dormir. Pede para a pessoa se ir embora.

97. Esconde os teus livros se possível. Às vezes alguém pega num livro da tua estante, pergunta “é bom?”, senta-se num canto e fica realmente a ler no meio da tua festa.

98. Não te tranques com outras pessoas num quarto; segregação de festa não é na boa.

99. Não sejas nem sequer amigo de alguém que diz “tenho que trabalhar amanhã”.

100. O mesmo vale para quem perturbar o equilíbrio da festa nas delicadas horas entre quatro e as sete da manhã, tipo, a dizer a hora em voz alta.

101. Sentar nas superfícies da cozinha é proibido.

101. a) OK, esqueci-me de algumas, continua comigo aqui:

101. b) Não cagues na pista de dança.

101. c) Não tentes começar uma pista de dança; pistas de dança acontecem naturalmente. Mas sim, não cagues na pista se uma começar.

101. d) Não transformes conversas sobre drogas numa sessão de terapia. Só porque leste um livro de auto-ajuda não te qualifica para o fazeres.

101. e) Não uses produtos de pele caros que encontraste na casa-de-banho da festa – estás bêbado, não precisas de hidratante.

101. f) Não entornes cerveja no tapete, NÃO É ASSIM TÃO DIFÍCIL SEGURAR UMA LATA.

101. g) E não te esqueças de te divertir! Isso é o mais importante. Uma boa diversão, à antiga - é saudável. E, em nenhuma circunstância, me convides.


Segue a VICE Portugal no Facebook , no Twitter e no Instagram .

Vê mais vídeos , documentários e reportagens em VICE VÍDEO.

Tagged:
festas
Drogas
alcool
Vida
dicas
festa
Guia VICE
goró
conselhos
fim de semana
sair à noite
Copos
Destaques
beber copos
guia prático
conselhos para a vida