Motherboard

Dois buracos negros se comeram e ondularam o tecido do espaço-tempo

Mais uma confirmação de que Einstein estava certo, pessoal.
7.6.17
Crédito: LIGO/Caltech/MIT/Sonoma State (Aurore Simonnet).

Visualize: aproximadamente três bilhões de anos atrás, dois buracos negros monstruosos colidiram – formando um buraco negro ainda maior – e criaram ondas no tecido do espaço-tempo as quais, no dia 4 de janeiro deste ano, foram detectadas aqui na Terra.

Simulação da união do buraco negro binário GW170104. Vídeo: Max-Planck-Institut für Gravitationsphysik (Albert-Einstein-Institut).

Essa é a terceira vez que as ondas gravitacionais foram detectadas pelos detectores do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO), abrindo as portas para um jeito novo de observar o universo. O trabalho novo foi publicado no Physical Review Letters.

"A partir dessa descoberta, podemos aprender mais sobre a forma como as estrelas explodem", afirmou o pesquisador principal do projeto Harald Pfeiffer, da Universidade de Toronto, no Canadá, que também é Professor Associado do Instituto Canadense de Astrofísica Teórica. Ele integra a colaboração do LIGO, que inclui aproximadamente mil cientistas no mundo todo. "Trata-se da confirmação de que existe uma grande quantidade de buracos negros colidindo no universo", ele me contou pelo telefone.

Leia mais na reportagem de Motherboard.