FYI.

This story is over 5 years old.

Kim Gordon

Startup Pretende Ser o “iTunes da Arte”

Ponha arte digital na sua parede com o Depict.
2.7.15

Jenny Sharaf, X-Ray, 2014

Se o conceito de arte evolui com a tecnologia, o mesmo se aplica com o conceito de compra de arte. Foi assim que a Depict, startup que se propõe a tornar disponível ao público a arte digital, desenvolveu a Frame, uma tela de alta resolução e design elegante que, pendurada em uma parede, exibe projetos de arte que, de outra forma, estariam confinados à tela do computador. A ideia de Kim Gordon, diretora e fundadora da Depict, era criar uma plataforma de arte que “fizesse pelo conteúdo visual o que o iTunes e o Spotify fizeram pela música”, e espera que o conceito de posse de imagens virtuais recrie o significado de propriedade artística.

Publicidade

Disponível agora para pré-venda, moldura e tela saem por apenas US$ 1800 e é possível adquirir compilações de imagens, GIFs e vídeos produzidos por diversos artistas por US$ 20 cada. Os trabalhos ficam armazenados online na Depict Cloud, que pode ser acessada via celular ou computador.

Mudar os quadros da parede agora é apenas uma questão de humor: uma vívida paisagem digital para manhãs calmas, uma pintura de Canyon Castor ou Mark Lovejoy para uma declaração bombástica durante o jantar, um GIF psicodélico para festinhas tarde da noite. Tudo isso sem tocar em um único martelo.

Canyon Castor, Toes, 2014

A Depict ainda estáe m processo de expansão de seu catálogo virtual de obras. A empresa planeja também disponibilizar seleções das obras preferidas de curadores renomados. Embora o modelo proposto pela Depict ainda não seja exatamente compatível com o dos leilões já existentes, o futuro da arte digital parece estar em plena expansão. Ou, pelo menos, abrindo um espaço há muito necessário.

TJ Silverlake, Float 2, 2013

Mark Lovejoy, #1137 de 'Eye Candy', 2014

Bridget Klappert, Skull Hands Gif, 2014

Clique aqui para saber mais sobre a Depict.

Tradução: Flavio Taam