FYI.

This story is over 5 years old.

Como Criar Um Pênis Artificial

Os cientistas que nos deram as vaginas de laboratório agora estudam como fazer pênis.
Crédito: Shutterstock

Pênis feitos em laboratório estarão disponíveis para homens com problemas genitais e anomalias dentro de cinco anos, de acordo com cientistas do Instituto Wake Forest para Medicina Regenerativa.

Se você ficou cético com esse cronograma, vale a pena informar que os pesquisadores do instituto já transplantaram vaginas criadas em laboratório em mulheres nascidas sem elas. Eles também tiveram grande sucesso com outros órgãos artificiais, então as credenciais deles nesse campo são bem fortes.

Publicidade

Dito isso, criar pênis artificiais é algo complexo pra cacete, então não é surpresa que a abordagem do instituto para criá-los seja um tanto engenhosa e ao mesmo tempo bizarra.

Em seus testes, os pesquisadores fizeram "suportes" de pênis de coelhos lavando os órgãos dos doadores com detergente para matar todas as células vivas. Esse processo deixa uma moldura de colágeno que pode ser sedada com células do pênis do coelho receptor. O pênis criado em laboratório é rico em células musculares e endoteliais, essenciais para funções eréteis.

Uma amostra de como tecidos impressos em 3D serão de um estudo de 2014 da Nature Biotechnology. A descrição completa está disponível online.

O cultivo de células e a criação do suporte levam semanas, mas no final, os coelhos que tiveram novos pênis em seus corpos ganharam habilidades sexuais e reprodutivas. De fato, quando 12 desses coelhos machos foram colocados em gaiolas com fêmeas, eles cruzaram em um minuto, resultando em quatro gravidezes.

"Os estudos com coelhos foram muito encorajadores", disse o diretor do instituto, Anthony Atala em uma entrevista para o The Guardian. Atala é um ícone emergente do futurismo biomédico, especialmente depois de sua palestra ao TED em 2011 sobre joelhos impressos em 3D. Ele está otimista sobre os pênis de laboratório, que estarão disponíveis para homens em cinco anos, mas reconhece que há uma série de obstáculos até lá.

"Para conseguir aprovação para humanos nós precisamos de dados de segurança e qualidade, precisamos provar que os materiais não são tóxicos e nós temos que divulgar todo o processo de fabricação, passo a passo", ele disse.

Publicidade

Quando o tratamento estiver disponível para os homens, oferecerá uma grande melhora com relação às atuais cirurgias de substituição, que se baseiam em próteses envoltas em enxertos de pele do braço ou da coxa do paciente. O modelo do Instituto Wake Forest, ao contrário, contém células eréteis reais introduzidas a um doador de pênis real, permitindo aos receptores ganharem (ou ganharem novamente) genitálias biológicas normais.

O tratamento ajudaria os homens com anomalias congênitas e também homens que sofreram lesões (por isso que a pesquisa é financiada pelo Instituto de Medicina Regenerativa das Forças Armadas dos EUA). Não poderá ser usado para transições de sexo de mulheres para homens, porque o processo requer extração de tecido peniano do paciente.

No entanto, o tratamento será muito útil para meninos com genitálias ambíguas. Essa anomalia é normalmente corrigida pela remoção da genitália masculina e criando a criança como menina, o que pode acarretar complicações emocionais sérias mais tarde na vida. Colocar um pênis de laboratório nesses bebês poderia ajudar.

"Imagina ser geneticamente um homem, mas viver como uma mulher", disse Atala sobre essa situação. "É um problema devastador e esperamos poder ajudar."

Tradução: Letícia Naísa