FYI.

This story is over 5 years old.

Veja o documentário sobre o Moby e sua vida na Nova York dos anos 90

Da vida pobre no subúrbio à sua carreira como DJ, Moby revisita os lugares em que viu surgir a cena raver nova-iorquina.

Para ativar as legendas em português, clique em "Settings>Subtitles>Portuguese".

Este conteúdo foi publicado originalmente no THUMP US.

Você provavelmente já sabe que o Moby escreveu uma biografia chamada Porcelain, na qual foca especialmente na sua vida na Nova York dos anos 90 — a mesma cidade que, caso você acredite nas manchetes, estava cheia de biritas e drogas e encontros sexuais aleatórios. O que é ótimo, mas é preciso mais do que encher a cara, cheirar umas carreiras e trepar pra se tornar uma das figuras mais influentes da história da música eletrônica. Desde então, o nome de Moby tornou-se sinônimo dos primórdios da cena rave underground dos anos 90, além de ele ser autor de um dos maiores discos de balada na história do pop.

O curto documentário que você assiste acima — produzido pelo próprio Moby, como acompanhamento visual da sua biografia — mostra o artista de rolê por alguns locais que frequentava em NYC: seu antigo apartamento em Gramercy Park, uma boate que virou o canteiro de obras de algum projeto luxuoso. Mas o bicho pega mesmo com as histórias que ele conta sobre cada lugar, trazendo à tona memórias de jovens chapadaços, sets em que acabou como um headliner acidental e alguns esbarrões com a Madonna. Moby nos leva inclusive aos deprimentes subúrbios de Connecticut dos quais buscava fugir durante o seu amadurecimento. Como no caso do livro, trata-se de uma observação intimista na criação de um ícone americano — e um lembrete de que algo muito especial aconteceu em Nova York entre 1989 e 1999.

Para quem segura legal o inglês, dá pra ler um trecho de Porcelain aqui e está disponível para compra o Music from Porcelain, uma compilação com versões remasterizadas de faixas do Moby, bem como algumas de suas canções favoritas dos anos 80 e 90 — via iTunes.

Tradução: Thiago "Índio" Silva

Siga o THUMP nas redes Facebook // Soundcloud // Twitter.