FYI.

This story is over 5 years old.

A Primeira Festa Sailor Moon de Nova York Foi Kawaii Demais

O anime japonês virou tema de uma festa no Brooklyn novaiorquino e suas fantasias fofas e cabelos montados têm influenciado a música, a arte e a moda.
Rebecca Smeyne

Todas as fotos por Rebecca Smeyne

Em outubro, colei em uma festa de cosplay em um bar no Brooklyn, em Nova York, onde uma molecada com moletons Mishka e adesivos da Hello Kitty estavam pirando em cima de uma mistura de jungle e F-core. Brincando eu chamei o evento de "nu-kawaii" (kawaii sendo a palavra japonesa para "fofo"), porque a cena parecia notavelmente diferente do que você costuma encontrar em eventos voltados para a galerinha do anime. Ao invés de parecerem ter acabado de voltar de uma convenção de cosplay, os garotos nu-kawaii bebem tanto da cultura japonesa quanto da moda street wear e das estéticas pós-internet; como se góticos suaves se encontrassem com sweet Lolitas e fizessem música dance de computador para postar no Tumblr, rindo o tempo inteiro do processo.

Publicidade

No começo de agosto, a mesma cena se juntou no primeiro afterparty internacional oficial do Sailor Moon, que aconteceu em um galpão adaptado no Brooklyn, adequadamente nomeado Villain. Para os não iniciados, Sailor Moon é um anime japonês sobre uma lutadora adolescente e sua turma que luta para defender a galáxia. (Esse resumo é bem ruim, mas esse é seu charme).

Apesar de a série ter seu início no começo dos anos 90, ela permanece imensamente popular — não apenas entre fãs hardcore do anime e crianças mais novas, mas dentro de círculos mais amplos da moda e da arte, para quem o Sailor Moon enfatiza fantasias fofas, maquiagem, cabelo e acessórios como cristais e gravatas borboleta, representando um sonho fantástico. As fantasias à mostra mostraram precisamente como Sailor Moon alcança os dois lados dessa vitrine cultural.

Como um amigo colocou, "dá pra ver quem assiste o anime de verdade, e quem apenas gosta da estética".

O afterparty foi montado por Marcella Zimmerman e Bojana Djongo, e é palco para um mistura de estilistas, fotógrafos e baladeiros como Miyako Bellizzi, Nicky Ottav, Aaron Kolfage, Jason Schwartz e Veronica So — fundadora de um zine de "moda futurista" chamado L_A_N.

No palco, Meesh, que fez seu nome como a vocalista da irritantemente grudenta "Pop It", cantava ao lado de um DJ anônimo que tocava maniacamente synths distorcidos de rave, canalizando os sabores açucarados da pop star de plástido da PC Music QT tão forte que eu tive que olhar duas vezes. Também na mesma noite, o DJ DV-i incorporou os efeitos especiais de Sailor Moon em seu set de melódico hypnagogic pop, enquanto a aspirante a artista Effie Liu apresentou seu divertido pop com tons de hip-hop usando emblemática peruca cor de rosa.

Publicidade

A festa chegou ao fim por volta da uma da manhã quando os últimos dos convivas, chamados "commoonity", saíram para a úmida noite de verão novaiorquina. Seja pela nossa fascinação pela cultura pop japonesa, juventude sem fim, garotas mágicas ou apenas fantasias adoráveis, a noite foi uma prova clara que a obsessão da América por Sailor Moon nunca vai morrer.

Mande seu adesivo da Sailor Moon para Michelle Lhooq e siga ela no Twitter

Tradução: Pedro Moreira