Pixador suspeito de matar dentista na Zona Norte de São Paulo se entrega à policia

O pixador é acusado de ter matado Wellington Silva junto com mais três suspeitos.
11.8.16

Após ser identificado como o dono do carro usado no dia da morte do dentista Wellington Silva, o pixador de 38 anos, Adolfo Pereira de Souza, se entregou à polícia na noite de quarta-feira (10) na companhia de sua advogada. O suspeito alega inocência e diz ter agido por legítima defesa, já que o pai da vítima, Manuel Silva, atacou o grupo com um facão.

O crime ocorreu na madrugada do sábado (6), quando Adolfo e mais três amigos estacionaram o carro em uma rua da Zona Norte e pixaram a fachada da casa onde a vítima, de 39 anos, morava com a família. O grupo permaneceu cinco minutos na frente da casa e saiu com o carro. O pai de Wellington foi atrás do grupo empunhando um facão e foi agredido. Partes do caso foram registrados por câmeras de segurança que mostram o momento da chegada dos pixadores de carro e Manuel saindo de casa com o facão.

Adolfo Pereira de Souza. Captura de tela via.

Segundo a mãe de Wellington, Manuel, de 75 anos, encontrou o grupo e foi agredido. Segundo ela, o filho saiu de casa logo em seguida para ajudar o pai e foi espancado, apedrejado e arrastado pela escada próxima à casa. O dentista não resistiu aos ferimentos e Manuel saiu machucado.

Após o depoimento do pixador, a polícia agora apura o caso para localizar mais três suspeitos do crime.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.