Este fotógrafo documentou em imagens a história do Estado Islâmico
Um homem joga pedras num retrato de Saddam Hussein em Bagdá, Iraque. 10 de abril de 2003. © Alex Majoli/Magnum Photos.
Viagem

Este fotógrafo documentou em imagens a história do Estado Islâmico

O novo trabalho de Peter van Agtmael é uma coleção de fotos que remonta as origens do grupo terrorista.
Pierre Longeray
Paris, FR
MS
Traduzido por Marina Schnoor
27.7.18

AVISO: Esta matéria contém imagens fortes.

Peter van Agtmael é um fotógrafo norte-americano da Magnum apaixonado por história. Seu novo trabalho, A Brief Visual History in the Time of ISIS, é uma coleção de 40 imagens de 19 fotógrafos que conta a história do grupo terrorista. A primeira imagem da série é de 1941, enquanto a mais recente foi tirada durante a libertação de Mossul em 2017.

“Sem minimizar o impacto de seus crimes na vida de milhões de pessoas, esse trabalho procura colocar o Estado Islâmico no contexto de uma visão de longo prazo da história”, escreve Agtmael na introdução. A Brief Visual History é o primeiro projeto da série Chronicles da Magnum – panfletos estilo jornal de tiragem limitada com curadoria de diferentes fotógrafos.

Publicidade

Me encontrei recentemente com Peter em Paris, na França, para discutir seu novo projeto e os desafios de documentar o terrorismo.

Aurora, Illinois. 2015. Mahmud Al Hajali num supermercado Cermak. Os Al Hajali são parte de um grupo de 2.200 refugiados sírios da guerra civil que conseguiram asilo nos EUA. © Peter van Agtmael /Magnum Photos

VICE: Como você começou no mundo da fotografia?

Peter van Agtmael: Meu primeiro trabalho foi num jornal do meu campus. Aí, como parte de um estágio no Parlamento Europeu, fui mandado para a Romênia para documentar os orfanatos do país. A experiência me ensinou o poder e os limites da fotografia. Aprendi sobre limites éticos, o que me ajudou a entender melhor minhas responsabilidades como fotógrafo.

Você passou a maior parte da sua carreira documentando o terrorismo. O que te fez querer criar uma coleção mais abrangente desse trabalho?

Durante os ataques a Paris em 2015, eu estava num restaurante da cidade, não muito longe do Bataclan. Foi essa experiência que me inspirou a contar uma história mais completa de como chegamos aqui. Eu queria criar algo que fosse além das narrativas simplistas retratadas na mídia, que fosse mais acessível.

O principal foco aqui parece ser o nascimento do Estado Islâmico.

Eu queria mostrar mais que violência e destruição. Queria documentar a história por trás do Estado Islâmico e como o grupo não apareceu do nada um dia no deserto. Há uma história que vem desde o Império Otomano e por isso decidi colocar uma cronologia no começo. Fotógrafos às vezes esquecem que imagens existem dentro de uma história muito mais ampla.

Mossul, Iraque, maio de 2017. © Lorenzo Meloni/Magnum Photos

Não há muitas fotos dos soldados do Estado Islâmico na coleção. Isso foi proposital?

Publicidade

Na verdade, tem só uma foto que mostra o grupo e eu estava relutante até em incluir essa. Não vemos muitas fotos deles porque eles raramente concordam em ser fotografados a menos que tenham controle da narrativa.

Como você encontra o equilíbrio entre não mostrar demais e mostrar o suficiente?

Tento analisar bem isso. Não tem por que fingir que violência e brutalidade não existem. Mas você não pode sobrecarregar seu público com esse tipo de imagem. Quando você cobre conflitos ou terrorismo, é importante mostrar a complexidade dos temas, mostrando um panorama maior do mundo de onde essas imagens vieram. Tratar os temas dessa maneira nos permite obter uma variedade de imagens. Algumas podem ser belas, outras brutais ou surrealistas, e algumas vezes elas acabam sendo tudo isso de uma vez.

Veja mais fotos de A Brief Visual History in the Time of ISIS abaixo.

Llandudno, País de Gales. 2013. © Martin Parr/Magnum Photos

Damasco, Síria. Oficiais do exército indiano descobrem o quartel-general de Vichy depois da rendição. 1941. © George Rodger/Magnum Photos

Alepo, Síria, 2013. Um soldado do regime de Assad é executado por um membro do Estado Islâmico do Iraque e al-Sham no vilarejo de Ehtemlat, norte do país. © Emin Özmen/Magnum Photos

Mossul, um homem gravemente ferido nos olhos por estilhaços espera um táxi para ser levado ao hospital. © Peter van Agtmael/Magnum Photos

Matéria originalmente publicada pela VICE França.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tradução do inglês por Marina Schnoor.