Drogas

A maconha pode amenizar a gripe?

Cientistas comentam sobre a relação entre doenças e cannabis.

O cenário: estamos na estação das gripes e o tonto do seu amigo não tomou a vacina. Agora, ele está em casa no sofá, enrolado num cobertor e lutando contra os calafrios, a fadiga e as náuseas. É chato e desagradável, ele já não tem mais nada de bom pra assistir na Netflix e tá considerando assistir ao Punhos de Ferro. Será que ele deveria melhorar um pouquinho a situação e pegar o bong?

A realidade: os fundos para a pesquisa com a cannabis são escassos e amplamente politizados, por isso, não há pesquisas científicas destinadas a descobrir os efeitos da maconha no resfriado ou na gripe.

Publicidade

"No que diz respeito a se a cannabis cura, ou mesmo ajuda, a gripe comum, tentei conduzir diversas pesquisas ao longo dos anos e não encontrei nenhuma evidência científica ou testes clínicos que avaliassem esses resultados", afirma Laura Borgelt, professora do departamento de farmácia clínica e medicina da família da Universidade do Colorado, nos EUA, que já realizou pesquisas extensivas sobre a farmacologia dos canabinoides.

Borgelt afirma que existe uma "crença teórica" de que a cannabis possa suprimir o sistema imunológico, que poderia retardar ou interferir nos esforços do corpo humano em combater o vírus.

Contudo, o efeito ao longo da doença pode ser pequeno, afirma Jordan Tishler, médico capacitado em Harvard que dirige o InhaleMD, uma clínica de Massachusetts especializada em maconha medicinal. "Eu não me preocuparia com uma pessoa com um sistema imunológico normal", ele afirma. Tishler não vê "nenhum problema em particular em ficar chapado enquanto você está com uma gripe comum".

"No entanto", ele acrescenta, "fazer isso pode ser desagradável ou amenizar bastante os sintomas". Com relação à categoria de possibilidades em "desagradável", pode haver um efeito cruzado dos sintomas do vírus e os da erva, que podem ser mais intensos. "A febre pode deixar você com muito frio, e a cannabis também, o que pode não ser uma boa combinação", Tishler afirma.

O pior que pode acontecer: para as pessoas com bronquite, ou alguma irritação na garganta, fumar qualquer coisa pode ser muito incômodo.

Publicidade

"Fumar e tragar a cannabis pode ser irritante para os pulmões, se você tiver doenças do trato respiratório superior", afirma Ira Price, médico em medicina de emergência e diretor médico da Synergy Health Services Inc., uma clínica de maconha medicinal em Ontario, no Canadá. Ele recomenda que você obtenha o THC por meio da comida ou adesivos transdérmicos nesse tipo de situação.

Tishler contraindica quaisquer outros usos da maconha enquanto você estiver passando por uma gripe ou resfriado. "A cannabis oral age diferentemente da inalada", ele afirma. "Por isso, você não deve substituí-la sem saber o que está fazendo. Ficar muito chapado enquanto você está doente não é melhor do que ficar muito chapado quando você não está doente, o que não é nada bom."

O que provavelmente vai acontecer: especialistas em medicina não acham que a maconha cause um impacto significativo nos efeitos de um resfriado ou gripe para uma pessoa sem outros problemas de saúde.

Combinar maconha e gripe ou resfriado não vai causar nenhum tipo de chapação ruim. Contudo, alguns efeitos colaterais do uso da maconha, como vertigem e desorientação, que acometem alguns fumantes, podem ser piores quando você fuma doente.

O que dizer pro seu amigo? Assim como o "fumar para aprimorar" interpretado e imortalizado por Jon Stewart no filme Prá Lá de Bagdá, todas as experiências são diferentes sob o efeito da maconha. Fumar um baseado costuma ser bom para melhorar o humor e pode ser um jeito de seu amigo diminuir a miséria quando estiver de saco cheio, nauseado e preso em casa. Basta ser cuidadoso. Quando mais desagradáveis forem os efeitos, mais desagradável será a gripe, e um corpo com febre não é o melhor momento para ficar chapado. E se você tiver com a garganta inflamada, pegue o adesivo, não o isqueiro.