Motherboard

A NASA criará o ponto mais gelado do universo a bordo da Estação Espacial Internacional

Você já sentiu tanto frio a ponto de se transformar em um condensado de Bose-Einstein?
15.3.17

Neste ano, cientistas da NASA criarão a zona mais fria do universo dentro de uma carga do tamanho de um cooler chamado muito apropriadamente de Laboratório do Átomo Gelado (CAL, na sigla em inglês). Adoramos tanto o nome que estamos chamando o ar condicionado de nossa redação assim. Mas isso não é o principal. O pequeno pacote de instrumentos está programado para subir à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) em agosto, na missão SpaceX CRS-12, e irá alavancar o ambiente de microgravidade da estação a fim de criar as temperaturas mais baixas já registradas ou observadas na história da ciência humana.

Publicidade

Mas de que tipo de frieza estamos falando? Estonteantemente frio, cara. Uma vez ativada no espaço, a CAL vai vibrar a 100 pico (10-12) Kelvin. Isso significa aproximadamente um bilionésimo de grau abaixo do zero absoluto, ou zero Kelvin, que é o limite da escala de temperatura termodinâmica tradicional.

Diagrama do Laboratório do Átomo Gelado: Imagem: NASA/JPL.

Isso é tão rigoroso que os átomos dentro do laboratório formarão uma forma rara de matéria conhecida como condensado de Bose-Einstein. A equipe do CAL, com base no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), planeja estudar os efeitos desse ambiente inusitado nos isótopos de potássio e rubídio, que fornecerão insights para a física fundamental, a superfluidez e as novas tecnologias.

Leia o resto da reportagem eMotherboard.