FYI.

This story is over 5 years old.

Outros

O Brasil É o País que Mais "Corrige" Xoxota

O brasileiro compra mais carros, smartphones e comidas superfaturadas, também é líder em ninfoplastias.
27.8.14
O Dr. Luiz Henrique Ishida nos recebeu na sua clínica na Vila Mariana. Foto por Felipe Larozza. 

O resultado da primeira busca no Google sobre ninfoplastia mostrava fotos de mulheres brancas e sorridentes junto com palavras como "vagina" e "procedimento cirúrgico". Aí me perguntei se o objetivo das mulheres sorridentes era mostrar que a minha xoxota poderia ficar mais bonita – com isso, me tornando sorridente que nem elas. A busca pela vagina perfeita não é nada estranha no Brasil, país que mais faz esse tipo de procedimento no mundo. Se o brasileiro compra mais carros, smartphones e comidas superfaturadas, por que não adquirir também uma ninfoplastia?

Publicidade

Para entender melhor como funciona, conversei com o Doutor Luiz Henrique Ishida, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e cirurgião na mesma área do Hospital das Clínicas, que me mostrou a última pesquisa da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery): só no ano passado foram realizadas por volta de 13.683 procedimentos estéticos no país contra os 9.049 de 2011. Fazendo as contas, é um aumento de 51% em dois anos.

E esse número não é total. "Tendo em vista que existe um preconceito, uma vergonha, com procedimentos que são realizados na região da vulva, é difícil manter um controle exato do número de procedimentos," Ishida me explica. "Mas a visão da cirurgia plástica no geral é mais aceita socialmente pelo brasileiro, talvez por isso que seja mais comum aqui". Somando às informações do doutor aos inúmeros anúncios de clínicas especializadas, entendo por que esses procedimentos cirúrgicos são cada vez mais procurados.

O aparelho reprodutor externo feminino (ou a vulva, como preferir) pode passar por algumas cirurgias estéticas. Dr. Ishida me elencou as mais comuns. A ninfoplastia é uma cirurgia destinada à correção da hipertrofia dos pequenos lábios. Dependendo da hipertrofia, pode-se causar alguns problemas funcionais para a mulher como o desconforto nas relações sexuais. Já o rejuvenescimento vaginal é um termo mais amplo e tem mais a ver com o preenchimento dos grandes lábios por conta do envelhecimento da vagina, ocorrendo uma flacidez e uma queda. Neste procedimento há também a suspensão da região da vulva – quase um lifting facial, só que na xoxota –, podendo também ser realizado em mulheres que perderam uma grande quantidade de peso.

Publicidade

Há também uma cirurgia para retirar uma pequena parte escurecida da mucosa e deixar a região mais clareada, assim como a retirada de gordura na região acima do púbis (o "capô de fusca"). Esses são só alguns que consegui encontrar em sites informativos.

Embora sejamos os primeiros no ranking, ainda são poucas mulheres que se dirigem a um cirurgião plástico para conversar diretamente sobre a correção. "É raro uma paciente me procurar por uma queixa estética na região; o que acontece é que, na maioria dos casos, a paciente vai para realizar uma outra cirurgia e na conversa, no desenvolvimento da relação médico-paciente, ela acaba se queixando de algo na região".

"É um procedimento interessante, de porte pequeno, com resultados muito bons e com uma alta satisfação entre as pacientes," garantiu Ishida. Seu alcance talvez até seja mais democrático por se tratar de um procedimento simples que exige, no máximo, uma anestesia local e uma pomada anestésica. O procedimento demora por volta de 40 minutos e a paciente pode ir para casa no mesmo dia. Portanto, é a mais barata em comparação com outros tipos de cirurgias estéticas.

Além das questões de saúde que podem levar alguém a operar, o que provoca essa vontade? "No Brasil, há a preferência das pacientes pelo seguinte padrão: vagina com os pequenos lábios menores. Os pequenos são considerados esteticamente mais bonitos, mais joviais," explicou Ishida. "Em 2008 foi publicado um trabalho científico que demonstrou que a motivação para a cirurgia foi: 32% por problema funcional, 31% por problema funcional associado a queixa estética, e 37% exclusivamente por queixa estética," completou.

Publicidade

Dr. Ishida mostrando o lago com carpas que enfeita o lado externo da sua clínica. Foto por Felipe Larozza.

A exigência de todas nós sermos jovens é tão descabida que parece haver um padrão de normalidade até mesmo na vagina. Vaginas são quase uma impressão digital dos órgãos sexuais, visto que não vão existir duas exatamente iguais no mundo. Entretanto, analisando as fotos de antes e depois, percebi que logo mais será cada vez mais comum uma pepeca gêmea por aí. Questiono se o próximo passo da perfeição corporal feminina será para deixar os úteros mais uniformes e joviais.

Isso só reforça o seguinte: possuir uma pepeca não é pra qualquer um. Além de ela sempre ter de estar depilada e cheirando a lavanda, ainda há a preocupação se ela está velha ou maior em comparação ao que clamam ser a vagina perfeita. Aterrorizante será o dia em que assistirmos a um filme de putaria e todas as bucetas serem exatamente iguais.

Por mais que atualmente esse campo estético esteja majoritariamente restrito a mulheres, fico imaginando o dia em que finalmente a cirurgia para aumentar o pênis seja mais acessível para os homens.

De qualquer forma, a porra da buceta é tua.

Siga a Marie Declercq no Twitter.