FYI.

This story is over 5 years old.

Fomos na Rave da Pizza na Filadélfia e É Lógico que o Rolê É Incrível

Lá o suingue quente acontece no mesmo lugar onde você mata a larica.

Daria um filme: você entra na pizzaria do seu bairro pra matar a larica da madrugada e dá de cara com uma patota de vinte e tantas pessoas balangando ao som de Disclosure entre quatro caixas de alto-falantes. Vi isso acontecer a uma meia dúzia de residentes confusos da região norte da Filadélfia no último dia 5, na pizzaria Alessandro's na Broad St. -- e foi hilário. A cena lembrava aquela sua festinha de aniversário de dez anos de idade, com a diferença de que a pizzaria estava cheia de fritos de cabelos coloridos como o arco-íris e tênis com plataformas altíssimas dançando e virando latinhas de breja como se não houvesse amanhã. Se, por algum acaso, você sempre sonhou em curtir uma baita duma mussarela com calabresa enquanto dança um Kaytranada e viaja na projeção de Em Busca do Vale Encantado, não espere mais, pegue o primeiro avião com destino à Filadélfia.

Publicidade

O homem por trás da Rave da Pizza é DJ SYLO, aka Brady Ettinger, um jovem da Filadélfia que circula nos meios da eletrônica e do hip hop. Desde que entrou na cena como o agitador de festas favorito da Universidade de Temple, ele saiu do circuito universitário numa missão de unir comunidades no amor através da curtição na vida noturna. Se você o indagar sobre quem ele é e o que ele faz, ele possivelmente vai responder com "nós" ao invés de "eu" -- e você nunca vai vê-lo estressado com dinheiro. "Começamos a fazer essas festas pra nossa galera", Ettinger conta. "Na última Rave da Pizza faturei um dólar."

DJ Sylo (ao centro) mixando como um mestre.

A Rave da Pizza é uma espécie de projeto paralelo e Ettinger foi discretamente levando a festa para picos diferentes do norte da cidade desde maio do ano passado. Na sua primeira encarnação, SYLO chegava na casa de um amigo, montava seus aparatos de som e luz, pedia uma quantidade descomunal de pizza e anunciava a festa no último minuto. Se você tiver pizza, eles virão.

Os convites da festa se espalhavam feito molho marinara através de mensagens de texto, e antes que se percebesse, a festa já havia superado suas modestas origens. Eventualmente, Ettinger e sua galera decidiram tentar uma nova locação onde a pizza nunca acabaria: uma pizzaria. A ideia veio pra ele numa tarde enquanto andava de skate pela Broad St., pensando em novos lugares pra festa, e o destino o colocou bem em frente à Alessandro's Pizza & Grill. A gerência concordou em sediar a festa no local e, apesar de ele ter avisado que a coisa poderia sair um pouquinho dos eixos, "eles não faziam a menor ideia", admitiu Ettinger.

Publicidade

O novo espaço os permitiu receber o dobro de pizza ravers e, ainda assim, Ettinger nunca anunciou o evento publicamente. "A metade dessas pessoas nem recebeu o convite diretamente", conta. No Alessandro's, o público ia de estudantes universitários, artistas, DJs, jovens empresários, rappers, e modeletes. Imagino que é assim que seria uma festa do patins nos anos 1970. Depois de muitas voltas na pista, você sempre poderia escapar daquele ambiente escuro e ir pro salão comer uma pizza, tomar um refrigerante e fofocar sobre o boy com os melhores passos de dança.

"Hannah Montana! Hannah Montana!"

"Não há nada como o que SYLO e seus amigos estão fazendo pela comunidade da Filadélfia agora", conta Joe Pitts da marca de streetwear Cult Classic, enquanto mastiga os últimos pedaços de pizza e toma seu danone. Ladeado por host Matt Ford e o DJ Jansen nas picapes, a Rave da Pizza é onde SYLO pode viajar nas faixas bizarras que jamais funcionariam numa boate na sexta à noite. Passando pelos clássicos house, funk e dance, ele curte mandar umas paradas rebolantes de Chicago, uns ritmos caribenhos, um house nigeriano obscuro, além de resgatar coisas tipo "Shorty Swing My Way" de K.P. & Envy e "Suga Suga" do Baby Bash. A galera da Filadélfia adora esses lances.

A festa continua e os fanfarrões pizza ravers vão lotando o Alessandro's e os despreparados donos se embananam nervosos na venda de bebidas, mas ao mesmo tempo estão sorrindo uns pros outros. "Dessa vez todos fizeram dinheiro. Todos ficaram felizes", diz Ettinger, numa brisa de alegria e sucesso pós-festa.

"Isso é muito bom", me contou o bartender no fim da noite. "Não trabalho assim há cinco anos." Então ele nos convidou pra voltar, mas com uma condição – eles precisavam do dobro de pessoas trabalhando no bar. "Estou aberto à tudo", diz SYLO. "Estou super empolgado em ver a Rave da Pizza crescer. Vai ser um ótimo verão." No fim das contas, qual é o melhor lugar pra se terminar a noite do que a pizzaria onde você iria parar às três da manhã de qualquer maneira?

Marissa trabalha exclusivamente com palavras, metais e lindos animais. Siga ela no Twitter: @MRSA_JANE

Fotos por Lucas Alvarado/Far Fetched