FYI.

This story is over 5 years old.

O Bob Dylan fez mais um cover de Sinatra e anunciou um álbum triplo

O vencedor do prêmio Nobel divulga sua versão de "I Could Have Told You", primeira faixa do disco 'Triplicate'.

O Bob Dylan tem passado os últimos anos copiando as canções de Frank Sinatra com sua própria e intrigante letra de mão. Os dois álbums que ele lançou desde o liricamente épico Tempest, de 2012 — Shadows in the Night e Fallen Angels — envolveram covers, afinal. Mas o próprio Dylan não usaria essa categorização. "Eu não me vejo fazendo covers dessas músicas de qualquer maneira", ele disse à Rolling Stone na época do lançamento de Shadows in the Night, no início de 2015. "Já foram feitos covers o bastante delas. E foram enterradas, na verdade. O que eu e minha banda estamos fazendo é descobrindo-as. Levantando-as da sepultura e trazendo-as à luz do dia."

Publicidade

As novas versões são algo de tirar o fôlego. Sua apresentação de "The Night They Called It a Day" em um dos últimos Late Night do Letterman foram quatro minutos mal iluminados e assombrosos que mal ocultaram sua graça sob os olhares suspeitos de Dylan para a câmera. Mas há uma riqueza de literatura do país a ser encontrada além dessa apresentação, e você não tem que cavar muito. Embora possa ser, há um sentido em que é uma música de funeral para o século XX americano; são faixas que assumem um caráter inquietante agora que o passado está sendo profanado e vendido.

Nessa quarta (1), Dylan anunciou um novo álbum triplo, Triplicate, o primeiro desde que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura no ano passado. Para cada um dos vindouros três discos, Dylan trabalhará um tema diferente: 'Til The Sun Goes Down é outonal; Devil Dolls se baseia no amor, paixão e suas conseqüências; Comin 'Home Late, nos dizem, versa sobre algum tipo de esperança. Haverá mais faixas que Sinatra tornou famosas, como ""The Best Is Yet to Come" e "September of My Years."

E também "I Could Have Told You", a faixa de Carl Sigman e James Van Heusen que Sinatra gravou em 1959. Dylan lançou sua versão da faixa juntamente com o anúncio de Triplicate. A voz de Dylan é incomparável: um arrogante, esgotado, mas estóico semi-traço que permanece brincalhão apesar do peso de sua emoção.

Ouça a faixa abaixo: