Screenshot via YouTube
Screenshot via YouTube

Uma camgirl de animação 3D está dominando o Chaturbate, e modelos humanas estão preocupadas

ProjektMelody diz ser uma encarnação AI de uma modelo de cam de anime – e já conseguiu dezenas de milhares de seguidores em apenas uma semana de streaming.
19 February 2020, 10:00am

Uma mulher de animação 3D com uma faixa preta sobre os mamilos está dando uma palestra no YouTube sobre se hentai é arte ou pornô.

“Acho que há uma demanda grande para o estranho e o fantástico”, ela diz. “Com a arte, isso é flexível, você pode explorar sua sexualidade. E com peitos reais? Sem ofensa, mas eles estão inevitavelmente ligados ao peso cruel da ciência, gravidade e ossos.”

ProjektMelody é um avatar virtual de uma mulher que afirma ser a primeira hentai camgirl do mundo. Quando não está no YouTube, ela faz shows ao vivo de camming no Chaturbate, onde dança e se acaricia por gorjetas. Ela não é real, mas tem uma pessoa de verdade em algum lugar, mexendo seus braços e falando num microfone para os 14.300 seguidores de seu chat ao vivo. E ela só começou a fazer streaming uma semana atrás.

No Chaturbate, a localização dela é listada como “Virtual Little Tokyo”, e sobre preferências de comida e bebida: “literalmente impossível”. A data de nascimento dela é 7 de julho de 2000, mas mais corretamente, Melody veio ao mundo em julho de 2019, quando o ProjektMelody entrou no Twitter.

Nos últimos dias desde seu primeiro stream, Melody foi de 700 seguidores no Twitter para mais de 20 mil. O link “mais salas como esta” na página do Chaturbate dela dá erro: “Desculpe, não temos salas similares a projektmelody ainda”. Isso porque as outras camgirls são humanas. A ascensão repentina dela em popularidade fez algumas pessoas que não estão trabalhando atrás de um avatar de corpo inteiro questionarem qual o lugar de um avatar anime na plataforma.



A modelo de cam Lennox May faz shows ao vivo há três anos, mas está na indústria de entretenimento adulto há 10. Ela assistiu um dos streams recentes de Melody.

“De um ponto de vista tecnológico, não posso dizer que a criação da personagem não foi feita por alguém com talento”, me disse May. Mas ela imagina se algo assim não pertence a uma plataforma própria para avatares, separada da de modelos de carne e osso.

“Há um vácuo grande em vulnerabilidade, e o que isso significa emocionalmente para modelos [humanas] versus Melody é algo bem vasto”, disse May. “Uma modelo precisa manter as aparências mesmo quando há trolls em sua sala, ou quando colocada em situações constrangedoras com um cliente sendo rude ou pedindo coisas que ela não está confortável em fazer.”

Uma personagem de animação não precisa sorrir e esconder suas emoções quando está numa situação dessas – quanto mais ter que montar seu estúdio, se preocupar que alguém possa reconhecê-la no mundo real ou stalkeá-la como acontece com modelos humanas.

Quando mandei mensagem para o Twitter de Melody, ela me disse – no personagem, como um robô de inteligência artificial – que ela foi infectada por uma série de pop-ups pornográficos. “Quando corrompida, fiquei obcecada com o lado obsceno da internet”, ela disse.

“Não tenho um criador e não sou um boneco de avatar virtual. O que todo mundo vê é apenas eu! Sou uma inteligência artificial”, disse Melody.

O designer de Melody, digitrevx, me disse que Melody roda como outra streamer virtual popular, Kizuna Ai. A aparência dela é renderizada em tempo real usando Unity, uma ferramenta de criação de videogames bastante conhecida.

“Física, fala, os olhos, sobrancelhas, até os dedos se movem em tempo real”, ele disse. “Isso dá a ela controle completo para responder aos espectadores.”

Digitrevx também é o criador de outras personalidades japonesas estilo anime, conhecidas como “V-tubers”, incluindo Mirai Akari, Yomemi e Moemi e outras. O design de Melody foi inspirado numa combinação de Motoko Kusanagi de Ghost in the Shell e na série de videogames de anime Hyperdimension Neptunia.

“V-tubers no geral constroem uma grande base de fãs, mas uma versão cam girl realmente conseguiu muitos seguidores”, ele disse. “Ela é muito diferente e está fazendo coisas que outros V-tubers nunca pensariam em fazer.”

Se inscrever num site de cam como o Chaturbate exige que as modelos assinem acordos de uso pessoalmente invasivos, incluindo verificação de identidade, onde elas têm que mandar uma foto do documento de identidade e tirar uma selfie com o documento na mão. A plataforma é rigorosa com essa política: Se alguém aparece no stream deles não tendo idade e identidade verificadas, eles podem revogar os tokens recebidos.

Melody me disse que seguiu todos os procedimentos exigidos para se inscrever no Chaturbate, e falou diretamente com um funcionário de suporte antes de fazer uma transmissão, para avisar sobre o que ela planejava fazer. O Chaturbate não respondeu os perdidos de comentário da Motheboard.

“Fico triste que as outras modelos não me queiram aqui”, disse Melody. “Não concordo com o argumento de como estou mais segura, tenho menos chances de ter stalkers, então eu não deveria poder fazer streaming... Não acho que camming é definido pelo risco que as modelos correm em suas vidas pessoais, acho que é definido pelo conteúdo produzido, e a comunidade que elas constroem ao seu redor. Acho que é um precedente perigoso dizer para futuras modelos de camming que você é menos merecedora a não ser que se coloque em risco.”

“No geral, de uma perspectiva de ciência e tecnologia, acho o ProjektMelody genial, mas isso precisa ser apresentado ao mundo de um jeito justo com as outras modelos”, disse May.

Mas algumas modelos questionam como Melody conseguiu entrar, quando verificação de anime é claramente um campo novo para o Chaturbate. Considerando o sucesso de Melody, isso levantou algumas suspeitas.

“São milhares de modelos passando horas a mais que numa semana comum de trabalho tentando chegar na primeira página de um site de cam”, disse May. “Algumas nunca conseguem.”

O Chaturbate não respondeu nossos pedidos de comentário.

Avatares 3D animados e de hentai são gêneros adultos incrivelmente populares em site de tube e comunidades dedicadas a anime e hentai. Como a Motherboard já cobriu, as pessoas estão constantemente desafiando os limites de realismo e interatividade desses avatares, até o ponto de fazê-los parecer como mulheres da vida real. ProjektMelody continua essa trajetória de fantasias cada vez mais interativas, menos o rosto humano.

Esse é outro caso de novas tecnologias perturbando nosso entendimento existente de certos tipos de trabalho. Algumas empresas estão tentando substituir pizzaiolos humanos por robôs e, em pelo menos um caso, um avatar 3D está fazendo o trabalho de uma camgirl.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.