Entretenimento

Filmes da Disney ranqueados do menos ao mais traumático

Por que tantos pais morrem, gente?
MS
Traduzido por Marina Schnoor
Imagens via A Pequena Sereia; O Rei Leão.

Os filmes da Disney (e até certa extensão, da Pixar) são fundamentais na vida de muita gente. Esses filmes serviram para vários propósitos: lições sobre moralidade, desencadear obsessões para abastecer o capitalismo, e claro, nos mostrar os horrores do mundo. Eles são um fio em comum, um paralelo na criação de muitos de nós.

Apesar dos filmes Disney terem, sem dúvida, ficado consideravelmente menos sombrios com o tempo, muita gente ainda se sente compreensivelmente impactada por aqueles que não conseguem esquecer.

Publicidade

Então ranqueamos as animações da Disney e Pixar do menos ao mais traumático das nossas infâncias, pra tentar tirar um sentido disso tudo. O nível “traumático” leva em conta vários fatores, incluindo cenas-chave que ficaram marcadas a ferro na nossa memória, casos de morte e temas problemáticos.

Antes de começar, aqui vão algumas regras da nossa metodologia. Só incluímos longas da Disney com lançamento nos cinemas, então nossas sinceras desculpas para quem curte as produções direto para vídeo dos anos 90. Além disso, decidimos acrescentar o catálogo da Pixar – mesmo que a empresa só tenha sido comprada pela Disney em 2006 – já que a Pixar é parte importante dos filmes infantis nos últimos 20 anos. Sim, esse ranque não tem nada de científico.

Alerta de spoilers, claro.

67. O Dragão Dengoso (1941), Fantasia (1940), Alô, Amigos (1942), A Vitória Pela Força Aérea (1942), Você Já foi a Bahia? (1944), Música, Maestro! (1946), A Canção do Sul (1946), Como é Bom se Divertir (1947), Tempo de Melodia (1948), Dois Sujeitos Fabulosos (1949)

Poucas pessoas vivas assistiram esses filmes, então todos eles ficam por aqui.

66. O Bom Dinossauro (2015)

Na nossa época, a gente assistiu Em Busca do Vale Encantado. Aquele filme fez muita criança que ainda não entendia os horrores da vida chorar um monte. (Além disso, você sabe a história trágica por trás da voz do Ducky? Vai lá pesquisar e fique um pouco mais traumatizado.) As crianças hoje aparentemente têm um filme de dinossauro fofinho que não vai traumatizar ninguém. Difícil se identificar.

Publicidade

65. Detona Ralph (2012)

Sim, um monstro horrível e assustador invade um fliperama, mas não tem como essa história se comparar com a maioria dos filmes desta lista.

64. A Espada Era a Lei (1963)

Um menino chamado Arthur quer ser escudeiro e tem a oportunidade improvável de ser ensinado por um mago, Merlin. Não só ele tem a chance de ser treinado por um mago muito legal e esquisito, mas também acaba se tornando o Rei da Inglaterra quando faz o impossível: tirar uma espada de uma pedra. Não vai acabar com a infância de ninguém, a não ser que a criança assistindo ache que vai se dar tão bem quanto o Arthur na vida.

63. Ratatouille (2007)

Como a história de um rato que sonha em ser um chef gourmet em Paris vai traumatizar alguém? O Remy não só desafia todas as possibilidades, mas supera as expectativas de sua família e da sociedade para entrar no mundo culinário. Claro, ser um rato nesse mundo tem seus perrengues – como ser perseguido numa cozinha de um restaurante francês por um chef enraivecido, ficar preso num pote, e ter a vida ameaçada depois de fazer uma sopa aclamada pela crítica.

62. As Aventuras do Ursinho Puff (1977); O Ursinho Pooh (2011)

O Ursinho Puff não acaba com infâncias; ele cria infâncias. Dito isso, o Bisonho é a encarnação da depressão, o que as crianças assistindo os filmes provavelmente não vão perceber até mais tarde na vida. Sério, a teoria dos fãs cercando Christopher Robin, doenças mentais e seus amigos animais é sombria pacas. A gente não recomenda procurar isso a não ser que você queira mesmo estragar essa parte pura da sua infância.

Publicidade

61. Fantasia 2000 (2000)

Honestamente, não tem nada remotamente traumatizante nesse filme fora os temas típicos da Disney de vida e morte, apesar dele ser bem intenso e ter uma trilha sonora épica.

60. Os Incríveis 2 (2018)

Os Incríveis 2 é uma das melhores sequências já feitas (junto com O Poderoso Chefão II e Shrek 2). O filme se constrói sobre tudo que os fãs gostaram do anterior, ou seja, o Jack-Jack, apresentando uma luta onde o bebê usa seu poderes recém-descobertos para enfrentar um guaxinim no quintal de casa. É uma graça. Fora as lutas de bebê, o filme também se centra em uma protagonista e uma antagonista fortes, o que é uma mudança legal (e muito importante). É um filme que lembra os desenhos animados das manhãs de sábado de outrora – tipo Jonny Quest, mas bem menos problemático (lembre o Hadji? Pois é).

59. Moana (2016)

Uma história épica de aventura, semideuses e minas sendo foda. Moana embarca numa busca antiga e se encontra no caminho. Muito mais legal que fazer mochilão pela Europa.

58. Lilo & Stitch (2002)

O Stitch é muito fofo e estranho, a menos que você não tenha medo de alienígenas ou fugitivos da justiça. Essa é uma história muito bonita sobre uma menininha ensinando um alienígena a como cuidar dos outros. Esse filme pode dar algumas expectativas pouco realistas, porque claro que você não pode mudar todo mundo, não importa o quanto tente.

57. Planeta do Tesouro (2002)

Publicidade

Esse filme não ganhou a atenção que merecia. Se você não lembra dele também: Essa é uma aventura espacial épica baseada no romance Treasure Island. Os piratas são bem malvados, mas acho difícil alguém lembrar desse filme o suficiente para ficar traumatizado.

56. Robin Hood (1973)

A adaptação da Disney do conto clássico sobre um fora da lei que rouba dos ricos para dar aos pobres provavelmente não está tão viva na sua cabeça como o live-actions (e vai sair outro este ano). Na versão animada, uma raposa humanóide luta contra o reinado de um leão, o Príncipe John, quando ele tenta implementar impostos visando os mais pobres – jogando quem não pode pagar na cadeia. Tem ação, violência e algumas prisões, mas a maldade dos impostos excessivos provavelmente está além da compreensão da molecada, minimizando os efeitos traumáticos que esse filme poderia ter tido.

55. Mulan (1998)

Tudo em Mulan é muito gratificante. Primeiro, ela é uma heroína foda que se veste de soldado homem para salvar sua família. Ela tem um ajudante dragão, que rivaliza com o gênio do Aladdin em termos de comédia. E a trilha sonora – “Make A Man Out of You” – preciso dizer mais alguma coisa? Não é um filme traumatizante; é uma inspiração.

54. Toy Story 2 (1999)

Basicamente inofensivo considerando o terceiro filme da série Toy Story. Mas se você não chorou naquela cena da Jessie com a música “She Doesn't Love Me”, você não tem coração.

Publicidade

53. Valente (2012)

Esse filme é lindíssimo, se passa na Escócia e a Merida é uma puta inspiração. Claro que tem toda a história da maldição e uma cena chocante de um ataque de urso, mas no final das contas Valente mostrar como a coragem é importante. Mas tem uns sotaques escoceses falsetas, o que é meio prejudicial.

52. Monstros S.A. (2001)

Esse filme literalmente desmantela o clássico medo da infância de que tem um monstro embaixo da sua cama. Atribuir emoções humanas e alívio cômico a esse medo tão comum provavelmente curou o trauma de certas crianças. Descobrir que crianças na verdade são tóxicas para os monstros é outro antídoto que a criançada que tinha medo de monstros. Não tem nada traumático nesse filme.

51. Universidade Monstros (2013)

Universidade Monstros conta a história de origem da amizade de Mike e Sulley, que nem sempre foi como no filme original. E acontece que você precisa de um diploma universitário para ser um monstro assustador, e eles têm até fraternidades na facul dos monstros. Quem quer viver num mundo assim?

50. Carros (2006), Carros 2 (2011), Carros 3 (2017)

Veículos humanizados – mesmo quando sofrem acidentes violentos – não conseguem assustar tanto quanto os filmes com pessoas e animais desta lista. Carros não são humanos nem animais o suficiente para te perturbar como muitos outros filmes, então vamos deixar os três juntos aqui.

49. Nem que a Vaca Tussa (2004)

Publicidade

Esse filme começa com um aviso de despejo! O que é assustador, mas provavelmente passa despercebido para a maioria das crianças. Mas depois do aviso, algumas vacas decidem fazer um ladrão de gado refém. Basicamente, isso promove o vigilantismo para conseguir o que você quer (dinheiro), e você pode considerar isso traumatizante se quiser.

48. Oliver e Sua Turma (1988)

Baseado em Oliver Twist, um gato laranja abandonado chamado Oliver se junta a uma gangue de cachorros criminosos em Nova York. Confrontar a realidade de ser sem-teto – que toda criança deve descobrir um dia – e a luta constante para sobreviver é o suficiente para fazer as crianças perguntarem um monte de coisas para os pais, quando e se percebem que nem só animais passam por isso.

47. Procurando Dory (2016)

Bom, mas não tão bom quanto o anterior, Procurando Dory vai direto no seu coraçãozinho com sua mensagem poderosa sobre família e encontrar o caminho de casa. Mas sabe o que mais choca? Pensar em como os humanos tratam peixes e outras vidas marinhas. É sério. Tem uma cena onde uma tubarão-baleia bate na parede de seu aquário e machuca o rosto, que é uma coisa real que acontece mesmo com tubarões e pode até matar. Já assistiu Blackfish? Humanos são um lixo mesmo.

46. A Princesa e o Sapo (2009)

Tiana só quer buscar seu sonho de ter um restaurante quando um cara transformado em sapo a confunde com uma princesa e a beija, a transformando num sapo também. Fora a corrida contra o tempo da Tiana para descobrir como fazer eles voltarem a ser humanos antes que seja tarde demais (e o fato de que o filme é baseado num conto dos Irmãos Grimm), o longa fica bem baixo na escala de trauma e tem final feliz.

Publicidade

45. A Nova Onda do Imperador (2000)

Ser arrogante e egoísta pode te fazer ser transformado numa lhama. Uma lição sempre boa.

44. Irmão Urso (2003)

Se você é como a gente, provavelmente não lembra desse. Aparentemente ele se passa no norte, e a seguinte cadeia de eventos acontece: Um cara chamado Kenai tem raiva de ursos porque um urso matou o irmão dele. Aí ele mata o tal urso, depois vira um urso. Aí o outro irmão de Kenai quer matá-lo porque ele está na forma de um urso, sem entender o que aconteceu. Fratricídio é assustar, e a cena acima é triste pra caralho.

43. Bolt: Supercão (2008)

A história é meio deprê na real. Um cachorro famoso da TV parte numa jornada para encontrar sua dona. Ele tem alucinações, acha que tem os superpoderes de seu personagem na TV, e se vê em Nova York quando é acidentalmente mandado numa caixa para a cidade.

42. Frozen: Uma Aventura Congelante (2013)

Perturbado porque os pais morrem, mas também por como as crianças ficam obcecadas com esse filme, exigindo brinquedos, festas de aniversário e roupas temáticas da Elsa. É quase um controle da mente capitalista, bicho.

41. A Família do Futuro (2007)

Esse é um desenho sci-fi sobre viagem no tempo que começa num orfanato. O protagonista, chamado Lewis, é um inventor precoce. Numa reviravolta triste, ele está trabalhando numa máquina para buscar a memória da mãe biológica que o abandonou. Um negócio bem deprê, especialmente se a criança assistindo tem um ou mais pais ausentes.

Publicidade

40. Zootopia (2016)

Um icônico filme furry. Mas apesar de contar com uma variedade animal estilo Arca de Noé, essa é basicamente uma história policial. O filme acompanha a personagem principal, uma coelha chamada Judy Hopp, enquanto ela se torna parte da polícia. Sem cometários.

39. Tarzan (1999)

Qualquer filme infantil com temas predominantemente coloniais é por padrão traumático. Mas pelo menos temos uma reversão de papéis de gênero aqui, que era atípico para os filmes Disney dessa era: uma mulher (Jane, parte de uma expedição britânica) atrai o Tarzan para fora de sua vida quando ele percebe que ela é humana e ele também. Mas aquela trilha sonora do Phil Collins ainda é sensacional.

38. Divertidamente (2015)

Quando o Bing Bong se sacrifica e desaparece, todo mundo na sala desata a chorar pensando em como perdeu sua inocência infantil e como desapontaria seu eu criança. Dito isso, esse filme é muito pior para adultos e considerando que ele saiu só três anos atrás, ele perde pontos porque muitos espectadores são novos demais para perceber como esse filme vai foder com a cabeça deles.

37. O Galinho Chicken Little (2005)

Chicken Little é um franguinho que precisa salvar sua cidade de uma maldita invasão alienígena, ninguém acredita nele e ele sofre bullying na escola. Também tem a cena da queimada – onde um professor de educação física divide a classe em time “popular” e time “impopular” – é traumatizante porque dá pra se identificar.

Publicidade

36. Hércules (1997)

Dependendo de como você vê isso, ter que lutar com uma série de monstros apavorantes é um preço pequeno pela imortalidade. Mas ser separado da sua família por um vilão sedento de poder não é bacana.

35. Enrolados (2010)

A versão da Disney dessa história é baseada num conto de fadas clássico alemão, então claro que ia ser meio perturbador. E óbvio, uma garota não devia passar tanto tempo da vida presa numa torre só porque nasceu com sei lá que poder que nunca pediu pra ter.

34. Toy Story (1995)

Os efeitos emocionais do original não podem ser comparados com o desgraçamento de cabeça causado pelo terceiro filme da série. Ainda assim, aquele moleque Sid é um sociopata que tortura seus brinquedos, incluindo fazer uma bizarra aranha mecânica com cabeça de boneca bebê. Sai fora.

33. Mogli, o Menino Lobo (1967)

Tem um tigre que COME GENTE na história querendo comer o personagem principal? O cenário de selva já é assustador mesmo sem isso, mas a presença de um urso cantor e cheio de conhecimento chamado Balloo é reconfortante. A parte traumatizante é que no final o Mogli decide voltar pra sua vida de humano.

32. O Caldeirão Mágico (1985)

Esse filme da Disney ficou conhecido por flopar nas bilheterias. Um longa acusado de ser chato provavelmente não se iguala a ser traumático, o que faz ele cair no ranque. Mas ainda é bem assustador, especialmente o vilão demônio esqueleto, o Horned King. Ele pode render uns pesadelos. O personagem principal, Taran, também quase morre várias vezes, e seus amigos animais são torturados!

Publicidade

31. Aristogatas (1970)

Gatinhos são drogados e abandonados para que um escroto herde a fortuna de uma cantora de ópera morta, que de algum jeito tinha conseguido deixar tudo para o seu gato.

30. Atlantis: O Reino Perdido (2001)

Traumatizante principalmente porque faz as crianças quererem ir para um lugar onde nunca irão e que pode nem existir.

29. A Dama e o Vagabundo (1955)

Uma cocker spaniel tem uma vida de luxo até que seus donos decidem ter um bebê. Ela vira sem-teto, e acaba comendo espaguete com um vira-lata (o Vagabundo), no que possivelmente é uma das cenas românticas mais icônicas dos desenhos animados. MAS, aqueles gatos siameses são coniventes e assustadores pacas – e até um pouco racistas. Tem também um pouco de slut-shaming. Os anos 50, cara.

28. Peter Pan (1953)

Esse filme é perturbador porque faz as crianças perceberem que ser adulto não é tudo aquilo que dizem E por normalizar um moleque estranho entrando no seu quarto à noite.

27. Aladdin (1992)

Tem muita coisa pra gostar em Aladdin, mas boa sorte em se concentrar nisso se você for remotamente claustrofóbico. Da Caverna das Maravilhas derretendo com o Aladdin dentro, a princesa Jasmim presa numa ampulheta gigante que vai se enchendo de areia, até o gênio literalmente morando numa lâmpada minúscula, tem muito momentos tensos onde nossos heróis chegam muito perto de serem esmagados e sufocados. Mas como uma menina morena obcecada pela Disney, era a coisa mais próxima que tive de representação. Mas ainda estou esperando uma princesa do Sudeste Asiático.

Publicidade

26. 101 Dálmatas (1961)

É impossível esquecer a maldade da vilã sequestradora de cachorros Cruella DeVille. O que poderia ser mais assustador para uma criança que alguém obcecada em usar a pele de filhotes recém-nascidos como casaco?

25. As Peripécias de Um Ratinho Detetive (1986)

Esse é um filme sobre sequestro, o que é só um pouco amenizado pelos personagens serem ratos e não pessoas. Quando um fabricante de brinquedos é sequestrado por um morcego no aniversário da filha, um rato detetive vem ao resgate. Um ratão sádico, seboso e inseguro chamado Ratingan (que não gosta de ser chamado de rato, aliás) está por trás do sequestro e ainda deve dar um puta medo na criançada.

24. Bernardo e Bianca (1977)

E aqui vai outro filme sobre sequestro! Dessa vez, uma garotinha chamada Penny é sequestrada, e uma mensagem pedido ajuda chega a Sociedade Auxílio de Emergência, localizada no porão das Nações Unidas e comandada por ratos. O sequestro de Penny tem um motivo estranho e apavorante: uma dona de loja de penhores chamada Madame Medusa sequestra a menina, e a obriga a fazer uma jornada para achar o maior diamante do mundo numa escura e perigosa caverna de piratas. Mais um fator traumático: a dona da loja de penhores tem crocodilos de estimação.

23. Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus (1990)

OUTRO filme de sequestro. Dessa vez, a vítima é um garoto australiano chamado Cody que só estava tentando ajudar uma águia dourada gigante. Em vez disso, ele acaba preso pelo caçador homicida Percival McLeach, que quer a águia em perigo de extinção. Mais uma vez os ratos precisam vir ao resgate para salvar Cody e a águia de um vilão que é muito mais apavorante que o do original.

Publicidade

22. Vida de Inseto (1998)

Esse filme infantil é basicamente sobre escassez de comida e guerra. Aqueles gafanhotos me assombram até hoje, mesmo eu tendo gostado muito do filme. E falando nisso, eu só queria dizer foda-se Formiguinhaz, que não chega nem perto de Vida de Inseto mas saiu no mesmo ano. Paz.

21. Operação Big Hero (2014)

Posso chamar sua atenção para a cena assustadora pacas do trecho acima?

20. Cinderella (1950)

Nenhuma história sobre uma criança órfã, confinada e obrigada a trabalhar ganha passe livre de ser considerada traumática. Esse longa acabou com a reputação de famílias postiças E dava à criançada a falsa esperança de que uma fada-madrinha e/ou um homem podem sumir com seus problemas.

19. Procurando Nemo (2003)

Se perder [e ser sequestrado] é um dos grandes medos de toda criança, então é muito fácil se identificar com esse filme. Ele também é prejudicial porque fez toda criança achar que todo peixe-palhaço se chama “Nemo” e todo peixe-cirurgião se chama “Dory”.

18. A Bela Adormecida (1959)

Só pra deixar claro, você não pode consentir quando está num sono profundo induzido por uma maldição, tá?

17. Branca de Neve e os Sete Anões (1937)

Uma jovem precisa cruzar uma floresta, é tentada com uma maçã envenenada e suas únicas companhias são homenzinhos estranhos e animais. Com a relação tensa entre Branca de Neve e a madrasta, o filme também introduz as crianças aos conceitos de relacionamento familiar tóxico e inveja – traumático, mas necessário.

Publicidade

16. WALL-E (2007)

O futuro é horrível e cheio de lixo, e WALL-E deixa isso bem claro. Mesmo o filme sendo quase mudo, ele tem o poder de fazer adultos chorararem. Quando o WALL-E é reiniciado e não lembra dos seus entes queridos depois de arriscar sua vidazinha robótica pra salvar a Terra – essa parte acabou comigo.

15. Pocahontas (1995)

Esse filme está bem ranqueado na lista porque não é historicamente correto e por causa do racismo. Ele fez as crianças americanas entenderem a história dos indígenas nos EUA de maneira totalmente equivocada, transformando o que na verdade é uma história escrota de sequestro num romance. É como se o sistema de educação pública americano ensinando o sentido da Ação de Graças precisasse de mais lavagem cerebral. Vai se foder.

14. Dinossauro (2000)

Cara, a cena do meteoro! Nenhuma criança quer ou precisa ver o mundo sendo completamente obliterado, mesmo que isso tenha aberto caminho para a humanidade.

13. O Cão e a Raposa (1981)

Mais um filme da Disney onde pais morrem. Fora a raposa perder sua mãe, essa história é até que bem contida e inclui uma moral não tão assustadora assim: Amizade com quem é diferente pode ser desafiador mas também gratificante. Mas o final é devastador – nossos personagens principais parecem separados para sempre, e o filme termina com Copper sonhando com o dia em que conheceu Tod. “Vamos ser amigos pra sempre”, diz o Tod do sonho. E é assim, criança, que você aprende o que é um final agridoce.

Publicidade

12. Os Incríveis (2004)

O cara que quer igualar o campo e dar superpoderes para todo mundo é o vilão e, por sua crença em igualdade, é morto por uma turbina de avião. Que horror!!! Eles até mostram o cara, enquanto é sugado, apavorado e tentando se agarrar em qualquer coisa para evitar a morte certa. Graças a Os Incríveis, as crianças sabem como é o olhar (de animação) de um homem que sabe que vai ter uma morte horrível e excruciante. Além de tudo isso, os personagens principais estão passando por uma crise de meia idade e o casamento deles está desmoronando. Diversão!

11. Viva – A Vida é uma Festa (2017)

Esse filme da Pixar ficou famoso por fazer adultos chorarem (e crianças também, claro). Ele me desgraçou e desgraçou todo mundo que conheço que assistiu. Um garoto chamado Miguel vai para o mundo dos mortos-vivos durante o Día de Los Muertos, depois que entender errado suas raízes. Ele tem certeza que um músico popular era seu avô, mas quando chega ao pós-vida, ele acaba percebendo que estava errado. A realidade é muito mais sombria – seu avô de verdade escreveu músicas famosas pelas quais nunca levou o crédito, e foi assassinado por seu “amigo” que roubou sua música.

10. Up: Altas Aventuras (2009)

Esse filme é conhecido por perturbar emocionalmente adultos mais que crianças, então por essa anomalia ele merece ser mencionado bem alto na escala. Alguém não lembra de chorar imediatamente assistindo esse retrato de amor e mortalidade? Testemunhar esse velhinho e a esposa tentarem realizar seu sonho da vida de visitar o Paraíso das Cachoeiras, só para ver a esposa ficar doente e morrer é simplesmente perturbador, não dá pra negar.

Publicidade

9. Alice no País das Maravilhas (1951)

Você pode não ter percebido na época, mas esse filme é basicamente uma viagem de ácido tensa. Psicodélicos não são pra todo mundo, especialmente para crianças pequenas que morrem de medo lagartas fumantes e ameaças de decapitação. O filme pode ser traumático ou deixar a criança confusa o suficiente para mais tarde ler o livro e tentar tirar algum sentido do que perdeu na infância.

8. O Corcunda de Notre Dame (1996)

A vida do Quasimodo é um imenso trauma. Ele é quase assassinado quando bebê, depois passa boa parte da vida trabalhando de graça e isolado tocando o sino de uma catedral com um religioso louco como chefe, e tem que fazer amizades com gárgulas. Isso já é foda. Aí ele acaba conhecendo uma garota romani chamada Esmeralda, e tendo que defendê-la do homem cruel que tentou afogá-lo e convencê-lo de que ele era um “monstro” por causa da sua aparência.

7. Toy Story 3 (2010)

Tem uma cena nesse filme que é tão apavorante que ficou conhecida como “A Fornalha”. Nela, todos os seus personagens favoritos do original quase morrem horrivelmente. Além disso, o final é supertriste e gerou vários vídeos de reação no YouTube com pessoas chorando quando assistem, então merece mesmo esta posição.

6. A Pequena Sereia (1989)

Um filme temático de oceano com sereias e criaturas do mar com personalidades humanas é simplesmente irresistível pras meninas, o negócio é que esse filme é sutilmente problemático. Temos que achar legal mesmo que uma garota de 16 anos faça um acordo obscuro com uma bruxa do mar para trocar seus talentos (cantar e mesmo falar) para ficar com um cara? Honestamente, qualquer filme da Disney que coloque casar com um homem num pedestal assim merece ser ranqueado como traumático, mas esse é o pior.

5. A Bela e A Fera (1991)

OK, esse com certeza é um dos melhores filmes Disney de todos os tempos. Dito isso, a besta dá muito medo até a metade do filme. Aquela cena em que ele pega a Bela olhando a rosa encantada e grita “SAIA! SAIA DAQUI!” ainda me dá arrepios, e não do jeito bom. Além disso – tecnicamente esse é um filme sobre bestialismo? Ou sobre Síndrome de Estocolmo?

4. Dumbo (1941)

Um bebê elefante é separado da mãe num circo – e depois ela é trancada e chicoteada. Ele ganha o nome horrível “Dumbo” por causa de sua aparência e é ridicularizado. Aí você tem o uso problemático de álcool e alucinações, sem falar nos esteriótipos racistas (incluindo um pássaro chamado literalmente Jim Crow).

3. Pinóquio** (1940)**

Esse filme é simplesmente pesado. Toda a existência do Pinóquio é traumática enquanto ele se transforma de um boneco de madeira inanimado em um garoto preso num boneco, depois preso num burro de circo (quê?), boneco de novo, e finalmente num “menino de verdade” (seja lá o que isso signifique). Primeira coisa, ele nunca pediu pra ser feito. Gepetto e a fada foram muito egoístas em querer colaborar para criar uma vida tão penosa. Esse é basicamente um filme de terror infantil.

2.** Bambi** (1942)

Sim, uma das animações mais fofas da Disney: Bambi é cheio de criaturas lindinhas, de olhos grandes e inocentes da floresta. Tudo bem enquanto os animais brincam nos campos e comem flores, até que o Bambi precisa confrontar a realidade quando um caçador chamado “Homem” (sutil, hein) mata sua mãe e ele fica sozinho imaginando para onde ela foi. Pra piorar, um macho, que definitivamente é o pai ausente do Bambi, aparece no final do filme para salvar o dia quando começa um incêndio florestal. Uma perda violenta e o tema do impacto humano na natureza, que provavelmente vai passar despercebido para as crianças até perto da vida adulta, torna esse filme quase tão ruim quanto O Rei Leão.

1. O Rei Leão (1994)

Se você era criança nos anos 90, a hora em que o Mufasa não acorda provavelmente foi uma das primeiras vezes em que seu cérebro infantil tentou compreender o sentido da morte. E se você é como alguns de nós, você assistiu o filme chorando várias vezes para tentar lidar com isso. Considerando como esse filme é icônico, o trauma que ele gerou é tão amplo que merece estar no topo da lista.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.