Publicidade
Saúde

Sim, existe um limite de quanto café podes beber

Tremores? Ansiedade? Palpitações? Se tomas meia dúzia de chávenas por dia, fazes mal.

Por Jelisa Castrodale; Traduzido por Madalena Maltez
17 Maio 2019, 1:39pm

Foto: Getty Images.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE US.

Bebes muito café, não é? Reviras os olhos ao tipo que tem o autocolante “Death Before Decaf” no MacBook, porque tu é mais tipo “Death Wish antes de literalmente qualquer coisa, otário!”. Conheces todos os hacks do menu do Starbucks e há muito que um barista não escreve o teu nome mal, porque todos eles te conhecem (aliás, até sussurram o teu nome, ou por hábito ou por medo, antes de dormir). Já percebemos: bebes muito café.

Mas, Ang Zhou e a professora Elina Hyppönen, da University of South Australia dizem que conseguiram determinar quanto café é café a mais, por isso talvez seja melhor largares esse expresso que tens na mão por um minuto. No estudo, publicado recentemente no The American Journal of Clinical Nutrition, a dupla de investigadores analisou dados do Biobank do Reino Unido relativos a 347.077 indivíduos entre os 37 e os 73 anos e observou uma associação entre o seu consumo de café e o risco de doenças cardiovasculares.


Vê o primeiro episódio de "F*ck, That's Delicious"


“A maioria das pessoas vai concordar que, quando tomas muito café, podes sentir tremores, irritação e talvez até náuseas”, explica Hyppönen. E acrescenta: “Isso é porque a cafeína ajuda o teu corpo a trabalhar mais rápido, mas também é uma sugestão de que podes ter atingido o teu limite. Também descobrimos que existe um risco maior de doenças cardiovasculares com níveis altos de pressão arterial, o que é uma consequência conhecida pelo excesso de consumo de cafeína".

A investigação focou-se num gene chamado CYP1A2, que determina quão rápido o nosso corpo metaboliza a cafeína. Há duas variantes conhecidas nesse gene, a variante criativamente baptizada de “lenta” e a “rápida”, igualmente criativa; segundo uma investigação, quem herda duas cópias da variante “rápida” pode processar cafeína quase quatro vezes mais depressa do que quem tem a variante “lenta” (sim, podes culpar os teus pais se depois de dois expressos já não consegues sentir a cara).

DE QUALQUER MANEIRA, a professora Hyppöne diz que, mesmo quem metaboliza cafeína mais rapidamente, tem um limite para quanta cafeína pode consumir com segurança – que é cerca de meia cafeteira de café por dia. “Para manter o coração e pressão arterial saudáveis, a maioria das pessoas deve limitar os seus cafés a menos de seis chávenas por dia”, realça. E acrescenta: “Com base nos nossos dados, seis é o ponto de viragem em que a cafeína começa a afectar negativamente o sistema cardiovascular”.

Comparado com pessoas que se limitam às razoáveis uma ou duas chávenas por dia, quem bebe seis chávenas ou mais tem um aumento de 22 por cento de risco de desenvolver doenças cardiovasculares (um dado interessante: pessoas que não bebem café, ou que só tomam descafeinado, também têm um risco ligeiramente mais alto – 11 por cento e sete por cento respectivamente – em comparação com os consumidores moderados).

O Science Daily diz que esta foi a primeira vez que investigadores colocaram um “tecto” no consumo diário de café, em relação à saúde cardíaca. Provavelmente, o estudo foca-se em chávenas de café normais, [Nota do editor: Ou seja, grandes para os padrões de consumo lusos. Mais tipo caneca] por isso ajusta o teu Death Wish em conformidade.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.