​Um moleque de 11 anos se meteu numa perseguição policial para imitar 'GTA'
Foi três estrelas. Crédito:Rockstar Games

FYI.

This story is over 5 years old.

​Um moleque de 11 anos se meteu numa perseguição policial para imitar 'GTA'

Foi três estrelas.

A molecada é doida mesmo. A maioria de nós fez cagadas em nossos anos de formação. Lá pelos onze, doze, treze anos, todos fizemos algo inacreditavelmente burro e bizarro que parecia ser uma boa ideia naquela hora, muitas vezes com base no que vimos num filme ou videogame.

Esta não é uma acusação de violência ocasionada por um tipo de mídia – "minha nossa, os games são um perigo e blá blá blá"; é só a constatação de que crianças podem mesmo ser arrombadas.

Publicidade

E com isso lhes apresento a boa nova vinda direto do Canadá: na noite de sábado em Vaughan, Ontário, um menino de 11 anos pegou um carro e se meteu numa perseguição com a polícia, ultrapassando os 120 quilômetros por hora. De acordo com a polícia, o menino estava jogando Grand Theft Auto e queria saber como seria dirigir um carro. O rapazinho foi entregue com segurança aos seus pais, de acordo com relatos da Canadian Press.

Sacou? Beleza. Incrivelmente isso não resume a doideira de tudo que rolou. De acordo com o porta-voz da Polícia Provinciana de Ontário, Kerry Schmidt, que relembrou o acontecido neste domingo via Periscope, os tiras pararam o carro duas vezes.

Na primeira vez, o carro parou sozinho e a polícia fez a abordagem. Se eu fosse um moleque de onze anos dirigindo um carro a milhão e os cops me parassem, eu tomaria como sinal divino e encerraria o passeio por ali. Mas esse garoto, não. Ele arrancou mais uma vez e tentou deixar as autoridades pra trás até ser pego.

"Acionamos mais policiais e conseguimos parar o veículo sem causar um acidente", disse Schmidt. "Retiramos o motorista do veículo e, chocantemente, tratava-se de uma criança de 11 anos que tinha acabado de jogar Grand Theft Auto em casa e queria saber como é dirigir um carro."

"O que temos aqui é um exemplo de um videogame fazendo com que as crianças tentem algo sem o conhecimento ou permissão de seus pais, uma tragédia esperando para ser concretizada", continuou.

É óbvio e apoiado por pesquisas que mídias como filmes e sim, games, podem influenciar crianças. Mas há uma série de fatores que podem influenciar uma criança a roubar um carro além de games também. É importante notarmos que os games não "obrigam" ninguém a fazer nada na vida real, exceto Pokémon GO.

E, veja bem, com as habilidades desse moleque aí, devíamos ficar felizes de que ele não inventou de caçar pokémon enquanto dirige. Podia ter sido pior.

Tradução: Thiago "Índio" Silva