Nove Clipes que Mostram como Era o Funk Paulista Antes da Ostentação

FYI.

This story is over 5 years old.

Nove Clipes que Mostram como Era o Funk Paulista Antes da Ostentação

Os vídeos do começo dos anos 2000 são a pedra fundamental do funk paulistano.

Arte: Juliana Lucato

Com os festejos da Copa do Mundo, o MC Guimê fez até vinheta pro Bem Estar. O pessoal da KL Produtora está com um sorriso de orelha a orelha. O MC Bin Laden gravou com o Diplo, cercado de Madames do Crime. DJ Perera está estourando de like. Nego do Borel segue colecionando correntes de ouro. Quer dizer, funk ostentação virou mainstream, os caras são patrão.

"Eu não sei se o Bin Laden sabe quem eu sou", diz Diplo

Publicidade

Mas antes de os Racionais servirem como o objeto catalisador do que chamamos de funk ostentação, com Vida Loka Parte 2, vamos pensar na história. Durante os anos 80, sob a alcunha de baile black, o funk abalou as estruturas das festinhas da periferia do Rio de Janeiro. Percebendo este movimento e prevendo seu estrondoso sucesso, dois homens com espírito empreendedor e nomes incomuns (Lorival e Pitch Loko), exportaram o funk carioca para a Baixada Santista e fundaram a Equipe Foot Loose que, por intermédio de um selo, um programa nas rádios comunitárias e uma festa de mesmo nome, botaram fogo nas comunidades da baixada e fundaram o alicerce para o império do funk paulista.

Os melhores Dubsmash do Funk

Fincados em beats num estilo Miami bass, com letras simples sobre o cotidiano da favelas e clipes de baixíssimo orçamento, o tal do funk paulista pegou as manhas e fez seu próprio corre. No começo dos anos 2000, quando o Youtube era a única plataforma que permitia hospedar vídeos, o tráfego de dados de internet era tão baixo quanto um plano de internet móvel com franquia reduzida. Aí, a divulgação pra valer rolava só enquanto havia fichas na lan house, através de scraps do saudoso Orkut. Selecionamos aqui nove clipes que contam a história da pedra fundamental da ostentação do funk paulistano:

Equipe Klipton
Klipton foi a primeira equipe de vídeo da Baixada Santista e seu criador Sandro Rodrigues, do município de São Vicente, tocava suas produções com ajuda de um Samsung Mini DV e editava os vídeos no Vegas 4. O primeiro clipe da Klipton (entre os quase 30 feitos pela produtora) saiu em 2007 e foi do MC Jax em "Lembranças".

Publicidade

Entre os clipes de maior sucesso da Klipton, estão:

Mc Barriga com "Reabilitação"

Mc Leke em "Anjo Mais Fiel"

Totto e Kbça em "Lembranças"

DJ Cuco
Outro percursor dos clipes de funk na Baixada Santista foi o produtor musical DJ Cuco, que em 2008 lançou o clipe de Danilo e Fabinho em "Foi a Hora."

Na lista dos clipes mais acessados do DJ Cuco, está o vídeo de Felipe Boladão em "A Viagem":

Mc Careca com "Tá na Memória" é outro sucesso produzido por DJ Cuco:

MC Primo e DJ Marlboro
O DJ Marlboro é o responsável por um dos clipes mais famosos da era pré-ostentação. É dele o vídeo de "Diretoria", do MC Primo. Essa foi a primeira música do funk paulista a fazer sucesso no Rio de Janeiro e Marlboro decidiu apostar em um clipe feito para ser exibido na TV bancando uma equipe de fora da Baixada para filmar Primo no município de São Vicente, no bairro do Jockey Clube e na antiga estação de trem Catiapoã, que foi demolida uma semana após a gravação.

Primo tinha entre seus planos criar uma produtora de videoclipes e foi o primeiro MC de São Paulo a lançar um vídeo em alta definição em "Espada do Dragão", pela Diretoria Filmes, o clipe foi filmado por Konrad Dantas que mais tarde ficaria famoso como Kondzilla.

*Colaborou Lucas Panoni.