FYI.

This story is over 5 years old.

Outros

A 'friend zone' é só mais um jeito de culpar mulheres por frustrações adolescentes masculinas?

Conversei com alguns jovens sobre o que realmente significa ser ‘friendzoneado’ e descobri que o problema é muito mais complexo (e de gênero) do que se imagina.
MS
Traduzido por Marina Schnoor
24.2.16
Um de muitos, muitos memes sobre a friend zone.

Tenho que admitir uma coisa: muitas vezes no passado achei que tinha sido friendzoneado. Garotas com quem eu pensava que tinha algo especial rolando, graças à frequentes troca de mensagens, ficar de conchinha assistindo filmes, basicamente o fenômeno delas quererem passar muito tempo comigo. Aí eu reunia a coragem para convidá-las para sair e elas invariavelmente me diziam que não ia funcionar. Elas adoravam me ter como amigo e temiam que, se dissessem alguma coisa, eu não ia mais querer sair com elas. Na época, fiquei indignado. Como elas ousavam? Como uma mulher ousa querer um amigo homem?!

Publicidade

É vergonhoso relembrar desses pensamentos. Antes do meu curso intensivo na Universidade Aberta #AcordaCara, eu realmente acreditava na existência da "friend zone", um purgatório platônico para onde você era empurrado por garotas que sabiam que você gostava delas, mas que não tinham educação suficiente para corresponder esse sentimento.

Como comecei a definir minha posição assim? Quando era adolescente, eu tinha cabelo comprido tingido de preto e ouvia Slipknot; então eu encontrava muita rejeição. Isso doía, e às vezes eu culpava a garota, mas nunca cheguei a dar um nome para essa situação. Segundo a internet, a gênese da expressão pode ter surgido — como quase todas as coisas fundamentalmente escrotas do mundo — de um episódio de Friends de 1994. Mais especificamente, "Aquele do Blackout".

Dessa piada do Joey nasceu uma mentalidade muito millennial. A "friend zone" gradualmente se tornou um verbo além de um substantivo. Ela tem uma página na Wikipédia, é a base de incontáveis memes, e inspirou um programa na MTV, onde os participantes confessavam seu amor para um amigo em frente às câmeras, na esperança de "escapar da friend zone" e imediatamente passar para um encontro filmado incrivelmente desconfortável para ambos.

Mas como você define esse estado? O Google diz que essa é "uma situação onde uma amizade existe entre duas pessoas, e uma delas têm um interesse romântico ou sexual pela outra que não é recíproco". Ou seja, amor ou tesão não correspondidos. Só que a realidade é muito mais complexa (e baseada em gênero) que isso.

Publicidade

Geoffrey, 26, define a friend zone como "uma maneira apropriada de descrever uma situação muito verdadeira, que geralmente ocorre quando você tem um momento de ilusão e pensa que tem chance com alguém". Wesley, um músico de 26 anos, diz que isso é "o nome que a maioria dos homens dá [para a situação onde tentaram seduzir uma mulher], mas suas tentativas de transar ou namorar deram em nada. Acho que usar o termo friend zone é uma admissão de fracasso — tipo, seus amigos vão te consolar dizendo que você foi 'friendzoneado'".

E para as mulheres? Emily, 24 anos, diz que a friend zone é "uma conversa fiada que os homens usam para justificar seu sentimento de que têm direito às mulheres. É assumir que se você é legal com uma mulher, ela é obrigada a retornar esse interesse de alguma maneira". Vanessa, uma cantora de 28 anos, sugere que o termo "tem tons de agressão e ressentimento. E geralmente é usado para dizer que 'ela me iludiu' ou que 'o cara foi injustamente rejeitado'. Isso implica uma percepção de vitimismo e injustiça".

Você encontra vários vídeos de pick-up artists falando sobre a friend zone na internet. Esse cara, chamado Tripp, diz que sabe por que a garota que você gosta está te "friendzoneando" em vez de dar pra você. (Screenshot via)

A diferença entre as atitudes é gritante. Pelo que entendi, conversando com pessoas que conheço, os homens veem o termo como associado a derrota e desilusão, como se isso fosse uma competição ou jogo em que eles foram trapaceados. As mulheres veem isso como os homens achando que têm direito às mulheres, além de antagonismo e animosidade — sem surpresa, considerando que elas são os "prêmios" desse suposto jogo.

Quando perguntei sobre as experiências deles, os caras geralmente espelharam ideias que tive no passado. Um tipo de sentimento persistente de que as amigas constroem um ápice e uma admissão escapa, então tudo fica estranho.

Publicidade

Kevin, no entanto, diz que sabia que sua amiga tinha namorado, mas continuou saindo com ela "porque ela era muito bonita e não tinha autoestima". Uma noite ele decidiu que era hora de "colocar as cartas na mesa", e disse a ela como se sentia. Ela disse que ficava lisonjeada, mas que não tinha os mesmos sentimentos. "Ela ainda me convidava para ir à casa dela. Dormíamos na mesma cama, mas nada acontecia", ele disse. "Sempre que penso nisso, grito para o meu eu mais jovem: 'Vá pra casa e tenha um pouco de respeito próprio!'"

Esse tipo de experiência não é compartilhada pelas mulheres com quem falei. As histórias delas geralmente envolviam um homem que se tornou amigo dela, até que um dia confessava sua atração, aparentemente do nada. Quando rejeitado, a situação ficava esquisita: o amigo ficava puto com a garota por supostamente enganá-lo ou, no mínimo, dizia que não podia mais vê-la. Os caras continuavam agindo de modo infantil e a amizade era cortada abruptamente.

Claro, isso não quer dizer que todo homem que tenta esses avanços e é rejeitado tem um ataque de birra. Muitos são perfeitamente capazes de empatia e processar pistas emocionais básicas, e vão entender que só porque gostam de alguém não quer dizer necessariamente que a pessoa tem que retribuir. No entanto, fica claro que alguns não são conseguem lidar com isso — ou só percebem que esses relacionamentos não são transações em retrospecto. É bem escroto perceber que homens héteros como eu, mesmo que inconscientemente, parecem acreditar que se você se comportar direitinho e fizer amizade, isso vai ser recompensado com sexo.

Publicidade

Digo "homens héteros" porque de todo mundo com quem falei, parece que a friend zone é uma ocorrência puramente heterossexual entre homens e mulheres. Emily, por exemplo, que é bissexual, diz que se viu em situações de friend zone com "amigos", mas nunca com "amigas mulheres queers". De maneira parecida, Todd, 25 anos, que é gay, diz: "Acho que nunca estive numa posição de friend zone. Quase todos os amigos gays que tenho são caras com quem já saí romanticamente antes, então acho que isso é mais como o reverso da friend zone? Eu fui datezoneado e virei amigo depois."

Mas todos com quem falei concordaram que amizade entre homens e mulheres pode permanecer alegremente platônica. Héteros solteiros de diferentes gêneros, pelo que entendi, passam tempo juntos sem transar e sem que a outra pessoa se sinta pessoalmente atacada porque o sexo não está acontecendo.

"É possível ter um relacionamento completamente platônico, e acho que a maioria das amizades é desencadeada por um nível básico de atração, e que em algum ponto esse desejo de transar é filtrado, deixando apenas o relacionamento platônico", diz Kevin.

Laura, uma relações-públicas de 26 anos, concorda, dizendo: "Acho que muitas amizades entre homens e mulheres começam com uma atração ou, pelo menos, uma confusão onde você acha a pessoa atraente porque é uma garota e ele é um cara, e vocês realmente curtem fazer coisas juntos, então você deve gostar dele, certo?"

Publicidade

Então, o que isso nos diz sobre amizade e sexo entre homens e mulheres? Bom, que, dependendo da sua maturidade ou do que você acha do movimento dos direitos dos homens, alguns homens acreditam que as mulheres estão brincando com seus sentimentos por não gostar deles dessa forma e não concordar quando eles anunciam que querem começar a transar, em vez de apenas fazer outras coisas juntos.

A expressão "friend zone" se tornou um jeito aceitável de jogar a culpa no outro, o que obviamente não é algo positivo. Uma cultura que culpa as mulheres quando os homens não conseguem o que querem não é algo que deveríamos estar alimentando, principalmente agora, em pleno 2016.

Resumindo: se você gosta de alguém mas não é correspondido, não surte ou diga que não quer mais ver a pessoa. Este é um jeito muito rápido de conseguir um novo arrependimento.

Siga o Tom no Twitter.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.