Noticias

Morte de universitário negro por PM causa revolta no Grajaú

Ainda mal explicado, caso será investigado. O jovem Matheus Freitas morreu na manhã de segunda-feira.
5.10.16

Matheus Freitas, de 24 anos, levou um tiro no peito supostamente por um policial militar. Foto: Facebook.

Enquanto você lê, há no muro da Escola Estadual Tancredo Neves, no Jardim Novo Horizonte, distrito do Grajaú, periferia da zona sul de São Paulo,a frase pixada: "é real, a polícia mata inocente". O pixo trata do acontecido na noite do último sábado (01), véspera das eleições municipais, quando o jovem Matheus Freitas foi baleado por um policial militar. Levado ao Hospital Geral do Grajaú, ele morreu na manhã de segunda-feira (04).

Publicidade

Matheus, de 24 anos, estudante universitário de Economia, estava com dois amigos na quadra da E. E. Tancredo Neves, interditada depois de um incêndio. Segundo informações da Ponte Jornalismo, o PM que os abordou disse que eles não poderiam estar na quadra e, na sequência, disparou com uma pistola calibre 40, atingindo Matheus, que, com os amigos, tentou correr para fora da escola. Ferido, o rapaz caiu alguns metros à frente. Relatos dão conta de que o estudante teve que esperar mais de três horas para ser atendido pelo socorro.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, os investigadores não encontraram nenhuma arma com Freitas, que não tinha passagem pela polícia. O caso foi registrado como "morte decorrente de oposição à intervenção policial" e será encaminhado ao DHPP [Delegacia Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoa] para prosseguimento das investigações. O policial que atingiu Matheus foi afastado.

LEIA:O governo de SP já gastou mais de R$ 3 milhões em bombas de efeito moral em 2016

Familiares, vizinhos e alunos da E. E. Tancredo Neves protestaram na última terça-feira (04) contra a ação da PM e a morte de Matheus, bloqueando a Avenida Paulo Guilguer Reimberg. Os manifestantes atearam fogo em sacos de lixo para fazer barricadas e gritaram palavras de ordem contra a polícia. Policiais militares usaram bombas de efeito moral para conter manifestantes e um manifestante foi preso e encaminhado o 85° Distrito Policial de São Paulo, no Grajaú.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.