FYI.

This story is over 5 years old.

Noticias

Ex-Soldado Canadense Aparece Disparando um Rifle de Assalto Contra o Estado Islâmico em Vídeo

O veterano da Guerra do Afeganistão faz parte de um grupo crescente de estrangeiros que estão se juntando aos curdos na luta contra as forças do Estado Islâmico.
02 December 2014, 4:41pm

​A VICE Canadá obteve uma filmagem exclusiva do veterano da Guerra do Afeganistão, Dillon Hillier – filho de um parlamentar conservador da província de Ontário – disparando contra militantes do Estado Islâmico no Curdistão Iraquiano. No vídeo, feito com uma pequena câmera GoPro, Hillier pode ser visto, de seu próprio ponto de vista, dentro de uma trincheira, usando o que parece ser um rifle M16.

Em outro vídeo, Hillier presta primeiros-socorros a um combatente ferido na cabeça depois de uma emboscada do Estado Islâmico. "Isso é tudo que posso fazer por ele agora", grita Hillier, enquanto explica para os combatentes peshmerga, que não falam inglês, como improvisar um curativo na cabeça do soldado curdo.

"Assim, assim!", ele grita. "Porra! Acertaram ele no rosto. Você vai ficar bem, cara, diga que ele vai ficar bem!"

De acordo com Hillier, os vídeos foram feitos durante uma operação que visava a libertar "Tal al-Ward das garras do mal".

"Fiz mais bem nessas 20 horas do que nos meus outros 26 anos de vida", ele diz. "Arrastei um homem que foi ferido no rosto até um lugar seguro e o socorri enquanto muitos ficaram parados em volta, sem fazer nada."

Hillier virou notícia recentemente, depois que o National Post revelou que o ex-soldado tinha pego um voo em Alberta para se juntar às forças curdas combatendo o Estado Islâmico. Ele não está sozinho quando se trata de veteranos em busca de um papel no combate no Iraque.

A novata 1st North American Expeditionary Force – um grupo de ex-soldados liderado por um veterano canadense – está formando uma unidade militar com a intenção de ajudar os peshmerga na luta contra as forças do Estado Islâmico. O grupo é inteiramente composto por voluntários com alguma experiência de combate, e não se refere a si mesma como uma força militar privada.

Numa postagem no Facebook, Hillier aparece segurando seu rifle numa mão, enquanto abraça um combatente curdo com a outra. O jovem de 26 anos teria decidido embarcar para proteger os civis curdos contra as supostas atrocidades do Estado Islâmico – um grupo conhecido por perpetrar decapitações em massa e pelo estupro sistemático de mulheres da etnia yazidi.

Vários outros cidadãos canadenses já viajaram para a Síria e o Iraque para se juntar a organizações paramilitares estrangeiras. Gill Rosenberg, uma ex-soldado das Forças de Defesa de Israel nascida na Colúmbia Britânica, se tornou recentemente a primeira mulher a se juntar às forças curdas YPG na batalha contra o Estado Islâmico em Kobane.

Ontem surgiram rumores de que Rosenberg tinha sido sequestrada pelo grupo sunita, mas uma fonte do YPG disse à VICE Canadá que o Estado Islâmico não capturou Rosenberg.

A legislação canadense permite que seus soldados operem como combatentes por entidades sancionadas, como as forças curdas do Iraque conhecidas como peshmerga. Mas se juntar a organizações designadas como terroristas, como a Al-Qaeda e o PKK Curdo (outro operador na região listado como grupo terrorista pelo governo canadense), é ilegal.

A ascensão dos voluntários ocidentais dispostos a combater o Estado Islâmico é um fenômeno crescente no Curdistão Iraquiano. Juntamente com alguns membros de gangues de motoqueiros holandeses, que também se juntaram à batalha, soldados profissionais como Hillier, sem dúvida, são vistos pelos peshmerga como combatentes sérios na luta contra as forças pesadamente armadas do Estado Islâmico.

O envolvimento de Hillier no conflito veio na esteira dos bombardeios canadenses no Iraque. Aviões CF-18 lançaram bombas inteligentes e mísseis de precisão contra alvos do Estado Islâmico. Operadores das Forças Especiais Canadenses também têm treinado soldados curdos na região.

Por outro lado, canadenses também estão entre os estrangeiros que vêm se juntando a grupos jihadistas na região. O Serviço de Segurança e Inteligência Canadense disse que mais de 30 cidadãos estão operando com organizações terroristas no Iraque e na Síria, alguns na mesma região que Hillier.

Um combatente, conhecido pelo nome de guerra Abu Usamah, disse anteriormente à VICE: "há Kataibs (brigadas) inteiras de falantes de inglês por toda a Síria."

Mesmo sabendo que muitos canadenses se juntaram às fileiras do Estado Islâmico, a crescente onda de soldados canadenses indo contra esses jihadistas é uma guinada interessante no conflito: a guerra pode ser no Iraque, mas está ganhando tons de uma guerra civil ocidental.

Membros do Estado Islâmico advertem sobre um ataque a Nova York numa entrevista exclusiva – jihadistas canadenses.Assista o vídeo da VICE News aqui.

Siga o Ben Makuch no Twitter: @bmakuch

Tradução: Marina Schnoor