Publicidade
Music by VICE

Vinte e dois anos depois, ainda toda a gente copia o estilo de Lil' Kim em "Hard Core"

Desde o lançamento do disco de estreia, que Lil’ Kim é uma pioneira, seja em termos líricos, estilísticos ou culturais - e a sua influência é clara até aos dias de hoje.

Por Rae Witte
19 Novembro 2018, 10:01am

Fotos: à esq. Kevin Winter/Getty Images, ao centro screenshot do YouTube, à dir. screenshot do Instagram de Beyoncé

Este artigo foi originalmente publicado na nossa plataforma Broadly.

O final dos anos 90 foram mais ou menos uma época dourada do hip-hop nos EUA. Editoras investiam milhões de dólares em videoclips, digressões mundiais e merchandising, de forma a fazerem proliferar a imagem e estilo de vida decadentes dos artistas do género. Na altura, um dos maiores nomes era Notorious B.I.G., o jovem e carismático artista do Brooklyn cujo lirismo suave, passado de traficante e um colectivo pesado de MCs, denominado Junior M.A.F.I.A, acabariam por levá-lo à fama.

Uma das integrantes da pandilha destacava-se: Lil’ Kim, beldade de 1,50m que se via bastante à vontade no meio dos rapazes, segura de sua própria sexualidade - uma personificação do estereótipo de mulher "ama-a ou deixa-a", idealizada por muitos homens. Talentosa com as palavras, assumindo um tom declaradamente erótico e extremamente confiante, não foi à toa que a rapper se tornou uma estrela quase de imediato.

Antes de Kylie Jenner construir todo um império com base no contorno dos seus lábios e o clã Kardashian tomar para si o negócio das perucas com cores berrantes, antes de Lady Gaga e Nicki Minaj entrarem numa eterna competição na disputa quem é a mais louca da moda, antes de Cardi B ganhar mais atenção na primeira fila do que quem desfila na passarela e antes de Rihanna dominar o mundo da beleza, Lil’ Kim já lá estava. Desde o lançamento do seu disco de estreia em 1996, Hard Core, Kim fez tudo o que foi citado anteriormente e foi ainda mais além, criando as bases para o que as nossas actuais artistas do coração fariam em termos líricos, estilísticos e até mesmo no campo do empreendedorismo.

Com 22 anos naquele agora longínquo ano de 1996, Lil’ Kim lançou Hard Core, produzido em grande parte por Sean “Puffy” Combs. Entre os singles de destaque do disco temos “Crush on You”, “Not Tonight” e “No Time”, canções de forte carga sexual sobre ser dona de si própria, itens de luxo, sexo caliente e usar os homens como forma de conseguir dinheiro. O álbum começa com uma introdução explícita em que um gajo se masturba enquanto fantasia com um filme porno de Lil’ Kim, até ao início de “Big Momma Thang”, canção sobre como Kim tinha amadurecido em relação à sua própria sexualidade. “I used to be scared of the dick / Now I throw lips to the shit / Handle it like a real bitch / Heather Hunter, Janet Jack-me / Take it in the butt, yah, yazz wha”, rima no verso que dá início ao tema e que marca o tom de uma estreia 100% sexualmente empoderada.

Havia toda uma extravagância visual a acompanhar as letras de Kim - colares de diamantes, casacos de pele, sapatos de luxo - com a ajuda do talento precoce de Misa Hylton no guarda-roupa e Eugene Davis nos penteados. O trio é lembrado pelo trabalho em “Crush on You”, vídeo vibrante em que quatro cores principais são trabalhadas, naquele que se tornou o mais icónico teledisco de Kim. Recentemente, as perucas de cores berrantes, peles em neon e logotipos de alta costura voltaram com tudo - o que pode ser facilmente ligado aos primórdios de Lil’ Kim. Ela até já usava óculos de sol de armação redonda 20 anos antes dos teus rappers do Soundcloud favoritos os chamarem de “clout goggles” ou "óculos à Kurt Cobain".

Este ano, Minaj foi fotografada cheia de estampados Fendi no seu material promocional de "Chun Li", lembrando que logotipos eram a marca registada da estética de Lil’ Kim nos 90. Conhecida por usar Chanel, Louis Vuitton ou Fendi dos pés à cabeça, apareceu até com os logos da Versace e Chanel em algumas das suas perucas (homenageadas por Beyoncé na sua série de fantasias de Halloween de Lil’ Kim em 2017). Kim posou nua para David LaChapelle, com o corpo coberto pelo logo da Louis Vuitton; e quando a moda regressa com a ajuda das Kardashians e Hadids, é difícil não recordar esta marca característica do estilo de Lil’ Kim.

O visual de Lil’ Kim em “Crush On You” é um dos mais memoráveis e mais copiados da sua carreira, inspirando não só a fantasia de Halloween de Beyoncé de 2017, mas surgindo também na apresentação de "BBHMM" de Rihanna, em 2015. Outro exemplo mais recente é Cardi B, com trajes inspirados em Lil’ Kim, a dominar a pista durante a sua participação no videoclip de “Backin It Up”, de Pardison Fontaine, semelhante ao teledisco de Kim de 1997.

O facto de que as roupas mais malucas e icónicas de Lil’ Kim ainda estejam a ser reaproveitadas hoje em dia, é uma prova clara da sua influência, especialmente o fato roxo criado pela estilista Misa Hylton, usado por Kim nos VMA de 1999 - quando Diana Ross tocou no seu seio à mostra - que é uma inspiração para estilistas e celebridades. A maison francesa YSL apresentou um vestido assimétrico em cabedal negro no desfile da sua colecção ready-to-wear Primavera 2015 e Nicki Minaj apareceu com um look semelhante no Haider Ackermann Womenswear Outono-Inverno 2017/2018, em Paris.

Editoriais inteiros foram inspirados no estilo de Lil’ Kim. Em Agosto de 2017, o CR Fashion Book lançou um ensaio cuja temática era o ano de 1999, protagonizado por Kim Kardashian de peruca rosa, biquini rosa, botas de cabedal de cobra também rosa, além de um casacão de pele na mesma cor, tudo inspirado no visual de Kim naquele mesmo ano para a Met Gala. Já a V Magazine fez a sua capa de 2015 com Rihanna numa cena extremamente Lil’ Kim, de peruca loura platinada e batom escuro. Já este ano, a própria Rihanna mencionou Kim como uma das suas maiores inspirações em termos de beleza e moda, ao afirmar: "Há um monte de supermodelos dos anos 90 que adoro e em quem me inspiro - mas, Lil’ Kim tinha muitos visuais diferentes".

Seja a referência para uma página inteira num editorial de revista ou num videoclip, quem sabe até mesmo numa fantasia usada por gente como Miley Cyrus ou Beyoncé, a influência de Kim é inegável. A sensualidade na sua música e estilo cimentaram a sua posição de pioneira cultural que, ao mesmo tempo, participou em diversos desfiles, foi homenageada num especial Hip Hop Honors da VH1, ou lançou a sua própria linha de maquilhagem com a MAC. Lil’ Kim despontou num mundo do hip-hop dos anos 90 dominado por homens - com uns saltos altíssimos -, para que as ícones musicais de hoje pudessem seguir o seu caminho.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.

Tagged:
Hip-Hop
Fashion
Features
Noisey
Rap
Rihanna
Nicki Minaj
música
Beyoncé
Lil' Kim
Mulheres
estilo
anos 90
Cardi B
Μoda
Sociedade
Poder feminino
Destaques
Moda